30 de dez 2014

Olá, pessoal!

Quando comecei a pensar sobre o que escrever no último post do ano, decidi que seria algo feliz, mas não feliz fairy-tale-feliz, um feliz esperançoso. Decidi também que não escolheria vários filmes pro post, mas somente um, para assim conseguir discorrer mais sobre o tema. A dúvida sobre qual filme escolher pairou por alguns dias e só porque esse foi escolhido, embora não saiba se seja o mais apropriado para passar a mensagem que eu queria. Sem delongas, vamos lá:

O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (Le Fabuleux Destin D’Amélie Poulain, 2001) é um dos inúmeros filmes não-hollywoodianos que valem a pena assistir e os motivos são muitos. A começar pela própria Amélie, ela é, como eu gosto de dizer, peculiar. A identificação por ela é quase instantânea porque, assim como nós, ela é cheia de manias, como colocar a mão em um saco de grãos, e é uma sonhadora, que acredita em contos de fadas e finais felizes.

amelie3

Amélie não deseja mudar o mundo, mas tenta ao máximo com tudo que pode ao seu redor, e quando digo mudar, não significa modificar algo que ela não aprova, mas melhorar; ela conta histórias mirabolantes para unir duas pessoas da lanchonete que frequenta, o freguês assíduo e a vendedora de tabaco. Quando ela consegue fazer com que os dois criam coragem para assumirem um ao outro o quanto se gostam, Amélie sorri. Não comenta, só sorri. Acredito que nós não precisamos de reconhecimento para fazer o bem, para dar um empurrãozinho naqueles que conseguiriam eventualmente, alcançar seus objetivos.

O que eu mais gosto do filme e de Amélie é que ela acredita em histórias de amor, mas não fica parada esperando o príncipe encantado. Aliás, ela nem procura um, ela faz de um cara tão ordinário quanto ela ser interessante. Todos nós temos manias, afinal, – o de Nino era varrer embaixo da cabine de fotos a procura de papéis rasgados – e só precisamos encontrar alguém que as aceite. O mesmo vale pros defeitos (podemos ficar horas debatendo se manias são consideradas defeitos, mas outro dia, quem sabe?)

Ao encontrar quem a interesse e intrigue, Amélie começa sua jornada para conquista-lo, ela faz jogos na lindíssima Paris com fotos para que ele também a descubra. Isso também a faz criar coragem para se apresentar propriamente. É uma delícia ver Nino todo curioso e a criatividade de Amélie para instigar a imaginação dele.

amelie2

O filme tem uma jogada de câmera onde ela olha diretamente pro espectador e sorri, de forma que viramos cúmplices de suas aventuras. A narrativa também ajuda, e muito, a nossa empatia com Amélie. Ela faz travessuras no apartamento do dono da quitanda e nós não a culpamos, seja porque também faríamos o mesmo, seja porque ela é tão encantadora que não conseguimos julgá-la.

O filme tem um nome pretensioso, mas ao final do filme você percebe o quão fabuloso realmente o destino dela é. O mais fabuloso é perceber que o destino de Amélie foi conquistado por ela mesma e é essa a mensagem que quero deixar nesse final de ano: corra atrás do seu destino. O problema não é acreditar em conto de fadas, não é ter um sonho “impossível”; é impor barreiras para que nada de incrível aconteça na sua vida. Então, gente, pra quem precisa de um ponto de partida, 2015 tá aí novinho em folha para conquistar todas as suas metas. Vamos lá!

 amelie4

Despeço-me de vocês e volto ano que vem se a Carla assim desejar!

Ótimas festas, pessoal!

Beijos e até 2015!

 

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
Comentários publicados somente após a aprovação.
  • Patty

    30 de dez de 2014

    A primeira vez que assisti esse filme foi em uma aula de francês ha muitos anos atrás e fiquei completamente apaixonada pela Amelie, assim como você! Adorei o post sobre o filme, me deixou até com vontade de assistir de novo, rs.

    Beijos

    Responder

    Pate Akemi responde:

    janeiro 2nd, 2015

    @Patty, Pois reassista, xará! Eu revi após fazer o post! :D

  • Dai Castro

    30 de dez de 2014

    Esse é o meu filme favorito, acho que todos nós podemos nos inspirar na Amélie! Ela nos ajuda a apreciar as coisas simples da vida! Beijos!

    Responder

    Pate Akemi responde:

    setembro 3rd, 2015

    @Dai Castro, ótimo gosto você tem! Amelie não é meu filme favorito, mas facilmente poderia ser (:

 
ir ao topo