06 de mar 2015

 

TALKSHOW3

Oi seus lindo! Essa é a primeira entrevista do blog e convidei a Aninha (Ana Flávia Cador) do blog Madly Luv pra conversar. Não preciso nem falar que é uma super querida, já apareceu antes aqui nos looks ilustrados, blog day e foi quem programou tudo que cê tá vendo. Amei as respostas dela e espero realmente que vocês também amem e sem preguiça de ler, faz favor!

A Ana é formada em Design Gráfico na Universidade Federal de Goias e tem o blog a 7 anos. Pra quem não sabe, no blog ela trata de assuntos variados, fotografia, inspiração, livros, mulherzices, mas principalmente, design. Explorando bastante a profissão e realmente oferecendo auxílio a galera que está meio perdida (tipo eu :) ), fora que também tem os Extras, uma área no lotada de tutoriais pra te socorrer.
Clique no ler mais para carregar a entrevista!  :D

 

1 ) Acho que todo mundo que é dessa área de criação (design, ilustração) passa um pouco pelo julgamento das pessoas, por vezes até parentes, que pensam que estamos brincando e não levam o trabalho a sério. Você passou por isso? Como lidar?
Passei muito por isso antes de entrar na faculdade e isso me fez “perder” um ano da minha vida porque devido à estes julgamentos e a minha falta de maturidade na época, eu fui levada a acreditar que eu precisava partir para a área das exatas. SIM, EXATAS! Minha família e meus professores do ensino médio me incentivavam a prestar para Engenharia de Software ou Ciências da Computação, porque, além de eu ter a “facilidade” com números (que não vejo a onde, pois eu ODEIO matemática), eu poderia construir uma carreira como programadora, ao contrário do curso de design que não me levaria a futuro algum e eu ficaria “só desenhando”, já que era faculdade de artista. Desta forma, logo quando sai do Ensino Médio comecei o cursinho pré-vestibular. Prestei 2 vestibulares para cursos que eu odiava e teve um momento em que eu explodi. Em segredo eu fiz a minha inscrição do vestibular para prestar para Design Gráfico na UFG e só depois de tudo pago fui mostrar à minha família, já que não tinha mais volta, hahaha. Demorou muito para eu escutar meu coração e deixar de lado o sonho dos outros para eu seguir o meu. E jogar tudo para o alto e fazer o que eu realmente amava foi a melhor decisão da minha vida!
 
No começo foi muito difícil, mas paralelamente eu também fui crescendo na blogosfera e fazendo projetos para blogs e sites. E no decorrer do curso minha família percebeu o quanto era um curso maravilhoso e que eu estava realmente feliz com isso… e mais: eu estava ganhando dinheiro com isso! E hoje o que não falta em casa é incentivo à minha área! 
 
A área de criação é muito difícil no começo porque não são todos que entendem o quanto que a área é complexa! E justamente por ser complexa as pessoas a subjulgam. Quando há foco, fé e bastante determinação, o sucesso é pura consequência. 
 
2 ) Você sempre conta no Madly Luv que começou bem novinha a aprender a programar e editar, mas em que momento percebeu que o design era uma coisa séria?
Foi quando eu comecei a ganhar um dinheirinho com meus projetos e uma alma iluminada me deu um severo puxão de orelha para a realidade, que o que eu fazia não era brincadeira. Para você ter uma ideia, eu fazia trabalhos DE GRAÇA, ou por preços que não pagam nem um combo do Burguer King e eu achava que estava abafando! Eu não tinha ideia do quanto a minha brincadeira era assunto sério e que haviam muitos profissionais que pagavam as contas da casa com isso. Um dia, quando eu tinha 17 anos, recebi um e-mail anônimo de um designer com uma mensagem muito severa, mas real e muito sincera sobre a auto-valorização e o quanto eu estava desvalorizando uma área de atuação com meus preços absurdamente ridículos (reproduzindo exatamente as mesmas palavras que me foram ditas). Foi um choque do caramba receber um e-mail de um desconhecido me dizendo o quanto eu estava sendo ingênua, e isso abriu meus olhos. Com o tempo fui aprendendo a dar valor à minha mão de obra. E depois da minha entrada na faculdade, com 18 anos, me ajudou mais a ainda a levar a sério o que eu estava fazendo! 
 
3 ) Como decidiu entre a faculdade e cursos profissionalizantes de design? Qual você acha que vale mais a pena?
Depende do que cada pessoa quer. Eu acho os dois muito importantes e me arrisco a dizer que um complementa o outro. Uma graduação é extremamente importante para fundamento teórico e conceitos em design. Pode parecer bobeira toda essa teoria que estudamos, mas se parar para analisar, todo projeto de design consistente possui, no mínimo, meses e meses de estudo e pesquisa até chegar numa solução final e, muitas vezes, arrebatadora.
 
Um curso profissionalizante é ótimo para te preparar ao mercado, ser ágil. Te faz colocar a mão na massa logo de cara e isso é muito importante para o mercado. Você estuda coisas mais técnicas neste tipo de curso, e isso é muito fundamental!
 
4 ) Foi difícil passar na Federal? Caso não tivesse conseguido, tinha outros planos?
Não foi difícil depois que eu tomei a decisão. Se bobear a decisão de prestar para Design foi muito mais difícil do que passar na UFG. Sempre tive muita facilidade para estudar e desde o ensino fundamental tinha o hábito de revisar tudo o que eu via na aula do dia quando chegava em casa, e isso me ajudava muito a lembrar das coisas. Acho que nunca fiquei mais de 4h sentada na escrivaninha estudando, hahahaha. Mas depois de decidir que seria o Design, eu não conseguia pensar em mais nada. Eu não tinha nenhum outro plano a não ser tentar de novo caso eu não passasse.
 
5 ) Há alguma outra área do design que você se envolveria? (moda, industrial, de ambientes, etc)
Talvez de Ambientes, mas confesso que nunca parei para pensar.
 
6 ) Já pensou em seguir outra carreira, que outro curso você faria que não esse?
Eu faria Biologia… eu sou muito apaixonada pela área da Biológica, especialmente Botânica ♥ E ainda penso em fazer esta graduação quando eu ficar bem mais velha :D
 
7 ) Você disponibiliza vários tutoriais no seu blog, como isso começou? Partiu de você ou o público pediu?
Partiu de mim. O “Extras” surgiu na época de “ouro” da blogosfera, mais ou menos em 2008. Naquela época a blogosfera não era girada por interesses como é hoje, sabe? Atualmente há muitos blogs criados por motivos mercadológicos mesmo, onde a pessoa vê isso como uma profissão. Não que isso seja errado! Só que naquela época era diferente. Todo mundo se ajudava, e o máximo que a pessoa queria em troca era o reconhecimento pelo trabalho, que era simplesmente um link de crédito. Ver que alguém conseguiu evoluir com ajuda de algo que você fez ou criou é muito gratificante. Pode ser uma bobeira minha, mas fico super feliz em ver este tipo de sucesso! Quando a gente faz o bem, recebe o bem. Quanto mais eu alimento os Extras com tutoriais e recursos, mais as pessoas reconhecerão meu trabalho (e o recomendará ou creditará) e mais elas se beneficiarão. É uma coisa recíproca. :D

Sobre o blog:

8 ) Você tem 5 anos* de blog, certo? Pra você, qual foi o pior momento da blogosfera? já teve que lidar com haters?
Na verdade o tenho há mais de 7 anos, hahaha! Ele surgiu em 1 de outubro de 2007 e desde 2006 eu tinha o nome Madly Luv (que antes eu usava em flogs). Não acho que teve pior momento da blogosfera olhando de uma forma imparcial. A blogosfera muda de tempos e tempos, e por isso não podemos julgar o que é melhor e o que é pior. Sinto uma saudade tremenda da era oldschool da blogosfera, dos blogs bem mais pessoais… mas a moda muda, os conceitos mudam e as PESSOAS também mudam. Mesmo sentindo saudades daquela época, eu não escreveria em meu blog como eu escrevia naquela época. 
 
Já tive que lidar com haters, sim. Houve uma época em que eu estava num período muito difícil da faculdade e na mesma época eu tinha arranjado o meu primeiro emprego. Nesta mesma época eu tinha terminado um relacionamento que me deixou muito abalada e pelos inúmeros posts extremamente pessoais (reflexões, poesias e afins) no blog causou um burburinho enorme na família…  a junção de todas estas coisas me fez não ser mais a mesma com o blog. Essa foi a pior época para mim do blog.
 
Eu recebia muitas mensagens de leitores, principalmente a respeito de tutoriais, com inúmeras dúvidas e pedidos para eu voltar e eu simplesmente não conseguia responder, fora os apelos para eu voltar aos meus posts pessoais. E houve também pessoas que achavam que eu tinha a obrigação de fazer algo por elas, que me procuravam na mais diversas redes sociais só para pedir para eu fazer coisa de graça para elas. Sabe aquela situação que você percebe que só tem interesse ali e a pessoa pouco se importa com o que você está passando? Pois é… e juntando com todos os meus problemas pessoais, da faculdade e do estágio as pessoas estranharam, e começaram a me julgar como uma pessoa metida e prepotente. E eu não lidei com isso, porque eu sabia que as pessoas não entendiam… e elas também não eram obrigadas a entender, assim como eu não era obrigada a ficar dando satisfação a não ser nos meus posts do blog (porque no blog eu sempre explicava meus sumiços). Eu simplesmente deixei o tempo passar e fui levando minha vida e postando no blog quando eu podia e quando queria, rs. 
 
9 ) Qual foi o melhor momento?
Acho que o melhor momento para mim como blogueira está sendo agora! Como o meu trabalho fixo é apenas de manhã, a tarde e consigo tempo para tirar minhas fotos para os posts, escrever com calma, inclusive trabalhar com meus projetos design e ficar tranquila de noite (onde quero passar longe de trabalho, clientes e blog, só penso em relaxar).. tudo sem neura! E da blogosfera em si acho que todo momento é bom se souber aproveitar. Assim como falei anteriormente: a blogosfera muda de tempos em tempos, não dá para ficar comparando uma coisa que sempre será mutante. :D
 
10 ) Qual pauta você levaria para o seu público e qual você tem muita vontade de falar, mas tem receio ou nunca teve oportunidade?
Eu acho que as pautas que levaria para o meu público já tem sido levadas desde quando me formei na faculdade: que é a importância do design e da arte em nossas vidas tanto como blogueira como na vida fora da blogosfera. Eu também tenho muita vontade de falar sobre assuntos mais polêmicos como aborto, feminismo, sexualidade… mas tenho muito receio porque eu conheço o meu público e sei quem o lê. Família lê, amigos de faculdade, de trabalho e de colégio leem.. e como sei que são assuntos muito complicados de lidar, eu acabo não falando e apenas debatendo estes assuntos nas redes sociais. No blog eu deixo para compartilhar outras coisas, como design, tutoriais, inspiração, literatura etc.
 
11 ) Troca de likes, qual a sua opinião?
Coisa batida. Não troco meu direito de gostar de algo por conta própria só para ter um like em troca. Dou like porque gosto, não para eu ter outro também. Não é assim que consegue leitores fieis… acho que as pessoas deveriam se preocupar mais com conteúdo de seus blogs para garantir um bom público do que gastar este tempo todo trocando likes com gente que praticamente nunca acessará seu blog. Likes de verdade conseguimos com conteúdo de qualidade, com comentários em outros blogs, com divulgação honesta, conversando nos grupos de discussão do facebook etc.
 
12 ) Já pensou em desistir?
Já. Foi naquela época que contei anteriormente que tive problemas pessoais somadas com a falta de tempo devido à faculdade e estágio.
 
13 ) Você prevê para um futuro para o Madly Luv?
Confesso que não penso muito nisso porque hoje já estou impressionada como o blog está hoje! Sou muito realizada com o público dele e também com os trabalhos que consigo através dele. Acho que a tendência é só crescer.. mas não imagino ele super famoso com trilhões de seguidores e tals. Não tenho ambição de seguir carreira profissional como blogueira em si. Entretanto, eu reconheço que o Madly Luv é o meu cartão de visitas e é dele que vem grande parte da minha renda mensal. E, somado ao amor que tenho em blogar, continuarei a trabalhar nele com toda minha dedicação e paixão ♥

Responda rápido (a primeira coisa que vir a cabeça):

Sorvete – Chocolate ou Baunilha?
Pode ser misto? Hahahaha
 
Tempo – Quente ou Frio
Frio.. eike saudades de São Paulo e abandonar essa calor infernal de Goiás!
 
Você é – Design ou Designer (pra galera entender de vez)
Sou designER com “er” no final mesmo, hahahaha! Faço design, e quem fez designer foram meus pais xD

trabalhando-contrato-3
Que acharam? contem tudo nos comentários e acompanhem o trabalho da Aninha!

Blog | Behance | Fanpage | Insta | Email

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
Comentários publicados somente após a aprovação.
  • Katherine Farias

    06 de mar de 2015

    Muito legal essa entrevista, Carlitxa! Entrei poucas vezes no Madly Luv, mas sempre achei um blog muito fofo e com conteúdo bacana, além de ter me identificado com Ana, já que pretendo num futuro bem próximo ingressar na graduação de Design para me tornar DesigNER heuheuehue. beijo, beijo.
    Ps: a ilustração de vcs duas na entrevista lá no início do post ficou demóóóis.

    Responder

    Carla Nascimento responde:

    março 6th, 2015

    Também penso em fazer design um dia Kat, adoro ler sobre esses temas. Fico feliz que tenha gostado da entrevista e da ilustra. :D

  • Aninha

    06 de mar de 2015

    Carla linda! Adorei essa entrevista! Foi super nostálgica… me fez relembrar tanta coisa do meu passado! Adorei <3

    Responder

    Carla Nascimento responde:

    março 6th, 2015

    Adoooro essas retrospectivas, muito amor <3

  • Stephanie Ferreira

    06 de mar de 2015

    Adoorei, eu acompanho desde o começo o blog da Aninha e eu adoro ela, seu trabalho, seu carisma… É uma pessoa incrível mesmo.
    Excelente post!
    Um beijo

    Responder

  • Aziza Zayn

    06 de mar de 2015

    Ja vou seguir o blog da Aninha….super amei a entrevista…Parabéns

    Responder

  • Gabi Gouveia

    06 de mar de 2015

    Ahhh a Aninha é uma fofa e me sinto honrada em ter acompanhado ela praticamente desde o começo de tudo…ela é uma pessoa de coração maior que a alma e sinceramente só desejo que ela alcance e consiga TUDO o que quiser, pois ela merece! Carla eu amei a entrevista, ficou um chuchu <3

    Responder

  • Jessica M

    06 de mar de 2015

    AAmei a entrevista! Ela é uma fofa e tem muito talento! Acho que a Aninha disse tudo o que sinto a respeito tanto da área de design quanto da blogosfera <3
    Beijos!

    Responder

  • Filipe Machado

    06 de mar de 2015

    Aninha é um amor, e a conheço há um tempinho já. Lembro dessa fase down aê, mas era a época que eu não interagia muito mesmo… Mas enfim, falando de coisas boas, não se fazem mais pessoas como ela na blogosfera. Sempre carinhosa e prestativa com seus leitores, super me ajudou com seus tutoriais na minha migração pro WP. Já pensei até em cursar Design gráfico, e ela tem sua parcela de culpa nisso. Ainda penso, mas como uma segunda facul, talvez… Bom, curti a entrevista. Parabéns pelo blog, Carla, tá lindo. De vez em quando tô por aqui, mas preciso dar mais as caras, confesso.

    Responder

    Carla Nascimento responde:

    março 9th, 2015

    Eu também lembro, até conversamos, em off, durante a entrevista sobre. Ela também me motiva bastante em fazer Web design, quem sabe um dia. Realmente é uma pessoa rara, provavelmente quem mais me ajudou até hoje, pode perguntar pra ela, eu sempre me espanto, hahaha. <3
    Muito obrigada Filipe, volte sempre viu, gostei do seu comentário. :D

  • Camila

    06 de mar de 2015

    Ownn *-* A Aninha é a maior fofa dessa internet toda. Acabaram as dúvidas!

    Responder

  • Camila

    06 de mar de 2015

    Esqueci de dizer que vomitei arco-íris com a ilustração e que minha meta de vida agora é ser entrevistada por você só pra ganhar uma! HUAHUAHAUHAUAHUAHAUH

    Responder

    Carla Nascimento responde:

    março 16th, 2015

    KSAPOKSPOAKOPSAPSPAPSA <3

 
ir ao topo