04 de ago 2015

IMG_6862

Finalmente consegui ir ao Parque do Carmo. O festival já acabou, mas as flores ainda estão lá, mesmo na semana, ainda enche de gente, hahaha, pude fotografar as sakuras e o look do dia. Esse e o look mais contraditório da vida. Pensei seriamente em nomeado de pirigótica suave séria.

sem edição

sem edição

sem edição

IMG_6657

sem edição

Sabe aquela roupa que você compra com quase certeza de que nunca vai usar? Eu comprei essa blusa branca e falei pra minha mãe deixar no guarda roupa dela, para em um dia em que estivesse desesperada por não ter nenhuma blusa, pegá-la. E esqueci da existência.

Dai hoje, enquanto estava correndo pelo quarto, com as mãos na cabeça, sem achar nenhuma blusa (provavelmente porque estava com as mãos na cabeça e não procurando direito ‘?’), ela veio me entregar.

Como esse tempo está muito maluco pra mim, estou me vestindo como gosto, sem me importar com ele. Porque de uma forma ou de outra, vou carregar a blusa de frio e precisar dela depois, vou sentir frio e calor nas pernas e nos braços. Tanto faz.


Vesti o blazer, com o qual sai de casa, para mostrar como o look inteiro deveria ficar, mas tirei rápido porque comecei a fritar.

os pontinhos brancos no blazer são folhinhas

Essa bota eu comprei na promoção, na renner. Ela é da Via Marte e o que achei mais engraçado foi essa parte de trás mais alta dela. É bem confortável, apesar de eu ter andando até meus pés virarem batatas assadas, ela segurou muito bem a onda.

A decepção do look foi o Jetés da Dailus. Sim, aquele batom líquido que procurei loucamente. Eu passei ele duas vezes (com e sem protetor labial) para fotografar, porque a cada uma hora ele saia (e olha que nem comi) e tive que aplicar mais de uma camada e corrigir com meu lápis da QDB, para cobrir as falhas. Fiquei um pouco triste, porque foi minha primeira experiência com a marca e agora não sei se deveria tentar novamente, já que as cores são muito bonitas, mas não sei se os outros também duram pouco. </3

uma mão vai na cabeça, um mamão vai na cabeça… não pera

O shorts já apareceu em outro look, mas achei válido, pois ainda é o ano da cor marsala.

oi, amassei

Blusa: Forever 21

Blazer: Renner

Shorts: Marisa

Coturno: Via Marte

Bolsa: Renner

Batom: Jetés da Dailus

Fui com a Simone (ela que tirou todas as fotos em que apareço) e a Amanda.

beijo das miga

E a sessão de memes que minha cara proporciona, toda vez que uma câmera vira pra ela. Não faço ideia de como acontece.

 

Fastasmas brincando com meu cabelo | Não parece um macaco de desenho?

 

Wait what? | Flagrada beijando meu namorado invisível

badge_post_01

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

02 de ago 2015

interrog
Há vários posts pela internet com o ponto de vista técnico Blogspot x WordPress, neles vocês podem conferir as funcionalidades de cada um e por vezes coisas que vocês podem nunca nem precisar na vida. Vou dar as minhas impressões das redes, pois passei por cada uma delas e como foi trabalhar com cada uma. E esse é o segundo ‘Quero ter um blog, e agora?’

No começo eu tinha Tumblr, uns 4 ou 5 na verdade, e era super divertido, reblogar enlouquecidamente, editar as fotos de artistas e postar, fora os textos super emotivos, que afinal não tinha problema em postar, porque era um ninguém é de ninguém inacreditável e tudo era reblogado, quase ninguém presta atenção de onde veio o que.
Foi lá que eu comecei a fuçar os themes e entender um pouquinho de html, trocando as imagens e posição das coisinhas nos themes free, que depois descobri, que eram compartilhados por blogueiras migas de hoje (Bruna, Simone, Aninha, etc <3)

Larguei o Tumblr e só depois de alguns anos criei o blog no Blogspot, eu lembrava pouca coisa da época nos meus primeiros blogs – onde eu falava sozinha a maior parte do tempo, mas foi super fácil me encontrar ali.
Ter Blogspot é como morar com os pais depois de adulto, você trabalha, estuda e ajuda com uma coisa aqui e outra ali, na no fundo eles ainda administram a casa. Quando você parte para o WordPress, logo de cara você tem aquele baque: OMG, eu tenho que fazer tudo sozinha, mas como? E depois com o tempo você se acostuma a ser “adultinho”.

Blogspot


Considero a plataforma mais fácil e acessível. O que eu mais gostava era essa liberdade de poder trocar o tema quando quisesse, pois você pode editá-lo livremente, sem nenhum custo, ainda que nem tudo possa ser feito, em termos de codificação.
Meu incomodo era a parte das coisas que eu não conseguia fazer com meu layout no blogger (ex: formulário de contato/ formulário de comentários, divisão das categorias, etc), não ter o domínio .com e as pessoas dizendo que WordPress é mais profissional.

Pois bem, comprei o domínio e continuei dando jeitinhos no meu layout, na época eu não encontrava ninguém que fizesse só a codificação do meu blog, porque eu já tinha modelos de layout na cabeça, só não sabia executar. Foi nessa época que teve todo aquele rolo do “golpe” que eu contei aqui pelo blog uma época e que não vem ao caso do momento – não quero ficar lembrando das desgraças.

Quando finalmente a Ana encontrou na minha vida para salvar a pátria e fomos pro WordPress.

Pontos negativos
– Uma coisa que não concordo no blogger é o sistema de contagem de views, todo errado que nos ilude, por favor, usem o Analytics, clique nesse post para saber mais.
– As imagens geralmente perdem a qualidade no blogger, hospede no Flickr e use o link para colocá-las nos posts.

WordPress


Logo que cheguei no WordPress, fiquei perdida. Hoje não consigo entender o porque, ele é bem intuitivo, tudo que você precisa esta a disposição. Claro que nesse caso estou falando dele instalado no servidor, já não tenho mais o ponto de vista dele gratuito. O que mais me incomoda é não poder interagir com o layout diretamente na plataforma, quando quero trocar algo, tenho que ir no cpanel ou pedir ajuda da Ana.
Os plugins que tanto falam que vão fazer diferença na nossa vida e que não vamos mais ter problema com nada, não são bem assim. Eles deixam o blog bem mais pesado e a dica é tentar fazer o máximo possível sem utilizá-los.
Uma coisa que gostei bastante foi poder separar os usuários por perfil, os colaboradores do blog, cada um tem seu login, senha e sua área de postagem, sem invadir o do coleguinha (dá pra fazer isso no blogger? eu acho que não, mas não confirmei).
De dividir os ícones de categorias e poder personalizar cada página de uma forma, são muitas possibilidades. Realmente foi onde pude ter tudo do jeitinho que eu queria e me senti livre para trabalhar.

Como fiz a transferência de todos os posts, comentários e fotos do Blogspot para o WordPress?

Bom, eu já havia testado 3 vezes e errado, então na vez final acabou de não deu tão errado quanto poderia.

Alguns pontos para ficar atento ao tentar exportar conteúdo:
– Para começar, você precisa se conscientizar que o sistema de tags/categorias dos dois sites é diferente, então muito provavelmente, se você adora pro tags nos posts, vai dar trabalho para reduzi-las e adicionar novas nos posts pelo WordPress.
– Segundo ponto, por favor se certifique antes da transferência que o tema que esta atualmente no seu blog não está programado para imagens pequenas, pois isso pode ferrar todas as imagens do seu blog e você ter que exportar tuudo de novo (procure nas configurações do wordpress e altere antes de começar).
– Terceiro, em algumas das vezes que fiz a exportação, meus posts vieram sem os links (não sei o que houve, mas na última vez deu certo sozinho – boa sorte!)
– Quarta coisa, muito provavelmente os espaços entre imagens e textos vão sumir, vai ficar tudo grudado e você vai ter que arrumar tudo manualmente (sim, passei por isso chorand sangue, mas arrumei tudo em dois dias, hahaha)
– Os comentários dos posts vão normalmente, os das páginas, como por exemplo ‘sobre’ e ‘blog’ não vão (não sei quando ao disqus e facebook, não usava na época).

Eu não mudaria o modo como fiz as coisas, se quer minha opinião, a melhor plataforma para começar é o Blogspot, você aprende muito com ele e com esforço e pesquisa, além da interação com outros blogs. Hoje há bem mais pessoas que vendem layouts e grupos para tirar dúvidas no Facebook do que antes. Fora que é gratuito, não cai (bom, quase nunca), não dá dor de cabeça. Eu voltaria? Bom, não, pois já investi muito no meu blog no WordPress e me acostumei com como as coisas são. Confesso que realmente me sinto mais profissional do que na época do blogger, mas isso se deve mais a dedicação do que a própria plataforma, apesar de ter ajudado muito na minha organização e comprometimento. Algumas pessoas começam no wordpress e continuam lá pra sempre, outras mudam pro blogger, outras começam e nunca saem do blogger, fique onde se sentir mais confortável, onde você achar que está atendendo suas necessidades atuais e seja feliz.

Quais são os passos para mudar?

  • Arrume um layout legal: Se você tiver um designer responsável, que te ajude a se perder menos, melhor – Recomendo a Aninha, que é meu anjo da guarda blogueiro. Recomendo fazer isso primeiro porque além da ajudinha do designer, tem o tempo de produção de tudo.
  • Compre um domínio (geralmente é anual) – Recomendo Registrobr, comprei de um totalmente aleatório e me ferrei (nunca contratem Advencehost).
  • Contrate uma hospedagem – A minha atual é a Prelude, acho ótima (já caiu algumas vezes, mas sempre correm atrás e respondem logo)
  • Instale o WordPress
  • Exporte o conteúdo de um blog para o outro.
  • Feche o blog anterior.
  • Conserte o que der errado.

Seja feliz! Pelo menos foi o que fiz. :D
badge_post_01

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

01 de ago 2015

stalker

Lembra quando a Beyonce lançou Crazy in love naquela versão super lenta e sensual para 50 tons de cinza? Bom, ela não foi a única. Até onde vi, criou todo um movimento. E é incrível como algumas músicas ficam até melhores que suas versões originais.
A primeira coisa que me chamou atenção na série Stalker foram os covers sensacionais. Já sai quinem doida procurando, achei uma playlist no spotify, mas todas as músicas mesmo, só encontrei no youtube.

Eu já conhecia a maioria das músicas, por elas terem sido usadas como soundtracks de filmes e séries. Tentem reconhecer. :D

Espero que gostem!
Link da playlist no spotify.

badge_post_01

O que é BEDA?
Vocês lembram do VEDA? (Vlog everyday April/August), é o mesmo conceito, só que com o blog. Então vai ter post todos os dias em Agosto – pelo menos eu espero. A iniciativa partiu do Rotaroots. <3

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 7 de 71234567
 
ir ao topo