24 de nov 2015

Olá, pessoal,

Desde de 2011, temos um novo feriado no calendário: 20 de novembro é dia da consciência negra. A data foi escolhida por ser o dia em que Zumbi dos Palmares foi assassinado, representando, assim, a resistência negra contra a escravidão. Selecionei alguns filmes acerca do tema, vem conferir!

12 anos de escravidão

Começo pelo filme mais recente, o ganhador do Oscar 12 anos de escravidão, de 2013. Baseado em uma história real, Solomon Northup é um ex-escravo que é sequestrado e vendido como um. Como o título já diz, ele passa 12 anos como tal até conseguir sua já anteriormente conquistada liberdade. O filme é forte, principalmente quando ele está sob às ordens do personagem de Michael Fassbender. Vale a pena ressaltar que nesse período, Solomon conhece Patsey, uma escrava interpretada pela Lupita Nyong’o (e que interpretação!) Na época, a apresentadora do Oscar, Ellen Degeneres brincou que era óbvio que o filme ganharia a estatueta de melhor filme, pois caso contrário iriam sugerir que a Academia era racista. Polêmicas à parte, o filme é um exemplo de atuação e de história.

Xica da Silva

Mais perto de nós, Xica da Silva, de 1976, retrata uma brasileira que deixa de ser escrava e se torna uma dama após seduzir um contratador. A partir daí, ela começou a ostentar com festas, banquetes e criar fama dentro da sociedade burguesa devido às suas tendências europeias. Depois do filme, em 1996, essa história virou uma novela com a Taís Araújo no papel principal, que criou uma polêmica por mostra-la seminua aos 17 anos.

Amistad

Amistad, de 1997, retrata o navio negreiro La Amistad quando os escravos conseguem se libertar e assumem o comando. Eles estão perto de Cuba e desejam retornar à África, mas como ninguém sabe navegar, eles confiam nos tripulantes. No entanto, eles os enganam e todos são capturados novamente. Um julgamento contra os africanos começa e as ideologias entre os dois extremos dos Estados Unidos entram em conflito, por um lado, a condenação; do outro, a redenção.

Django livre

 

De 2012, Django Livre, também retrata um escravo que conseguiu sua liberdade após ajudar o caçador de recompensas Schultz a capturar uns assassinos. Mesmo livre, Django continua ao lado dele ajudando na caça de homens procurados, mas também procura sua esposa que foi comprada por Calvin Candle. Eles localizam onde ele mora e se apresentam com personalidades falsas a fim de criar um plano para resgatar a esposa de Django. O resto vocês já sabem por se tratar de Tarantino: sangue, sangue, sangue.

Diamante de Sangue

Diamante de Sangue, de 2006, retrata a escravidão mesmo na década de 90. O contexto é a guerra civil na Serra Leoa, onde Solomon é levado a força para trabalhar numa mina de diamantes. Ele, por ventura, encontra um diamante enorme e faz de tudo para escondê-lo. Ele cria um pacto com Danny Archer, um ex-mercenário: em troca do diamante, Danny o ajudaria a encontrar sua família. O filme mostra a realidade das pessoas que ainda trabalham com mineração de uma forma bem sensível. O final é bem triste, mas fantástico! Assistam!

O feriado não englobou todas as cidades (e minha, por exemplo, não adotou e eu trabalhei), mas a ideia era promover o debate sobre a injustiça contra os negros e sobre como lidamos com isso hoje. Além da polêmica das cotas das universidades, dos preconceitos diários, vale lembrar que ainda existe escravidão em alguns lugares no mundo.

É isso, pessoal! Até a próxima!

Beijos!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
Comentários publicados somente após a aprovação.
  • Juliana Demos

    24 de nov de 2015

    Adoro o filme Diamante de Sangue, outro filme que adoro muito e que remete isso é Histórias Cruzadas! Desculpe mas o filme Django livre achei muito sem noção, as cenas de tiro são forçadas, e acho que sai fora do contexto várias vezes, mas vai de cada um, eu não recomendo.

    http://simplesmenteassimj.blogspot.com.br/

    Responder

    Pate Akemi responde:

    novembro 26th, 2015

    @Juliana Demos, pensei muito em Histórias Cruzadas, mas tô separando pra outro post! (:
    E eu também não gosto de Django, tento ser o mais imparcial aqui nos posts, mas penso a mesma coisa que você, haha
    Beijos!

  • Rebeca Stiago

    24 de nov de 2015

    Oiii! Acho super importante pararmos e repensarmos. E eu ameeei as indicações dos filmes. Acredita que ainda não assisti Xica de Sá? ;/ Beeeijos

    Responder

    Pate Akemi responde:

    novembro 26th, 2015

    @Rebeca Stiago, É difícil de achar Xica da Silva mesmo!
    e obrigada, Rebeca :D

  • Nanda Doria

    24 de nov de 2015

    Adorei o post!
    Eu já assisti Amistad e Diamante de Sangue (que é perfeito, um dos meus filmes preferidos, é muito bom, mas muito doloroso também). 12 anos de escravidão e Django livre sempre me indicam, mas nunca assisti, pretendo ver logo. Obrigada pelas indicações, adoro filmes de peso assim <3

    http://www.vodkaescarpin.com.br

    Responder

    Pate Akemi responde:

    novembro 26th, 2015

    @Nanda Doria, que bom que você gostou das indicações, Nanda! :D
    Favorito Diamante de Sangue também, adoro! e veja 12 anos logo sim, é muito bom!!
    Beijos!

  • Ana Sophia

    24 de nov de 2015

    12 anos de escravidão é simplesmente perfeito, creio que seja o melhor filme dessa lista ai. Ótimas indicações.

    Responder

 
ir ao topo