31 de maio 2016

Olá, pessoal,

Estive bem pensativa com esse post, queria tratar sobre diversos assuntos que foram recorrentes essa semana, mas todos já foram abordados aqui (parada lgbt, machismo). Pensei, então, em uma lista sobre uma das possíveis consequências se esses temas não forem discutidos: depressão. Fiz uma lista bem simplória, tentando abranger vários gêneros de filmes como uma iniciativa para compreender essa doença que, assim como a homossexualidade e o feminismo, é negligenciada pela nossa sociedade.

As Virgens Suicidas

Para começar, As virgens suicidas, de 2000, mostra uma família de classe média com cinco filhas adolescentes. Quando uma delas, com 13 anos, comete suicídio, a família se desestrutura e as demais filhas ficam presas em casa sem poder interagir com qualquer cara da cidade. O problema é que todas são adolescentes e com fogo na piriquita, então já viu, ne? Proibir só piora a situação. O filme é um clássico da Sofia Coppola e mostra a Kirsten Dunst novinha e atuando muito bem.

Elena

Elena é um documentário brasileiro de 2013 que conta os passos de Elena após viajar para Nova York para virar atriz de cinema. Tudo isso é perspectiva da irmã, Petra, que foi entender o que aconteceu com sua irmã depois de vinte anos. Elena se suicidou e Petra tenta entender o porquê. O filme é de uma poeticidade maravilhosa, gente. Assistam!

À beira da loucura

À beira da loucura, de 2001, é do diretor John Carney, o mesmo de Mesmo que nada der certo. Nesse filme, a perspectiva é de um cara que tinha “tudo” na vida: era rico, bonito e jovem. Mesmo assim, ele se jogou do alto de um penhasco e, após escapar por um milagre, começa a se consultar com um médico e a entender seu propósito na vida. O filme nos dá a mesma leveza que o final de Mesmo que nada der certo, bem agradável de assistir.

Melancolia

Preparem-se para assistir Melancolia, não é para todos. O filme de 2011 do Lars Von Trier, basicamente, gira em torno de um planeta que vai colidir com a Terra em poucas horas e em como as personagens se preparam para esse “evento”. Digo basicamente porque o filme vai muito além disso e muito além de qualquer sinopse que eu vá fazer aqui. Quem já assistiu, comente comigo e, quem pretende, fica o meu alerta: abstraia.

A pequena loja de suicídios

Para tirar o clima pesado, a animação francesa de 2012, A pequena loja de suicídios, é uma ótima opção para continuar no tema, mas descontrair um pouco. A pequena loja de suicídios é a loja mais lucrativa de uma cidade bem depressiva e gera uma diversidade enorme de como se matar. A família que administra a loja tem uma reviravolta quando a dona tem um filho alegre, o que é totalmente proibido para eles.

Então é isso, pessoal, de novo, a lista é só um pontapé no tema, tem muitos aspectos a serem abordados, mas fica para próxima.

Beijos!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
Comentários publicados somente após a aprovação.
  • Rebeca Stiago

    31 de maio de 2016

    Sabe o que eu adoro no seu blog? NADA aqui eh comum. Os temas nao sao batidos, as indicacoes nao sao as mesmas.. enfim. O teu blog tem muita personalidade. Adorei as indicacoes, nao conhecia nenhum filme. E realmente acho que precisamos discutir mais a depressao em casa.. (assim como machismo, feminismo e etc). Acho que os pais e familiares tem OBRIGACAO de sentar na mesa e trocar uma ideia sobre TUDO com os filhos, nem que seja convidado para assistir um filme. Por que nao? =) Enfimmmm, nao quero me estender muito (sempre acabo fazendo isso hahahah). Parabens pelo post, blog, posicionamento, personalidade e os batons incriveis que vc tem.. Beijo beijo

    Responder

    carla nascimento responde:

    junho 16th, 2016

    @Rebeca Stiago, Obrigada Rebeca, mesmo mesmo, as vezes sinto uma certa pressão pela parte diferentona da minha vida. As indicações de cinema da Patê sempre são bem pontuais nesses temas que precisam ser abordados mesmo e realmente, os pais deveriam por esses temas na mesa. Beijo. :D

  • Ana Carolina Domingues

    31 de maio de 2016

    Que maravilha ver que você procurar abordar sobre esses assuntos. Ainda é difícil falar sobre depressão ser receber o julgamento de ser fraca e estar apenas com frescura.
    Não conhecia os filmes que você indicou, vou procurar todos

    Responder

  • Nattany Martins

    31 de maio de 2016

    Oi Carla, maaar menina, tô apaixonada com seu blog; conhecia somente seu canal e agora tô aqui querendo me filiar ao seu partido da lacração. Hahahahaha’
    Vou procurar TODOS os filmes da sua lista. Meu namorado tem depressão. Vou convidá-lo pra assistir comigo. <3 tô sua fã muler.
    Beeeeijos.

    Responder

    carla nascimento responde:

    junho 16th, 2016

    @Nattany Martins, awn, que bom, fico muito feliz em saber que tu gostou, espero mesmo que volte sempre. :D
    As indicações de filmes da Patê são ótimas mesmo, também adoro. <3

 
ir ao topo