10 de out 2016

img_2690
Sempre fui muito ansiosa, quando pequena mal conseguia dormir próximo a dias de excursão escolar, viagens, visitas de familiares, começo das aulas, etc. Foi por conta de toda essa ansiedade que roí minhas unhas por 18 anos e um dos motivos pelo qual vivo rodeada de papeis, sempre rabiscando, planejando, imaginando, fazendo contas, minha cabeça  nunca para.

Por incrível que pareça não é uma coisa engraçadinha, como achávamos tempos atrás, não era apenas ficar na expectativa por algo que está por vir. Começou a me impedir de fazer coisas e demorei para entender o que estava acontecendo, percebi que era transtorno de ansiedade.

Eu imagino milhões de situações que podem ou não acontecer e crio soluções mentais para elas por medo de não saber o que vai acontecer, penso no pior e sofro antecipadamente, mas dificilmente não estou preparada para algo. Durmo 6 horas ou menos por dia, por medo de perder as coisas que estão acontecendo no mundo (?) e em dias em que estou ansiosa demais, tensiono tanto os músculos da minha perna que elas acabam doloridas, tenho um problema de foco seríssimo (que nem vou começar a explicar pra não entrar no território de DDA), entre outras coisas.

Nunca fui a um psicologo, não tenho propriedade para recomendar nada mais do que estou fazendo por mim mesma, muita gente vai achar que sou maluca e estou fazendo drama, não culpo vocês, o drama é da minha natureza, mas pesquisei muito e ouvi relatos e psicólogos falando a respeito. Se você acha que pode ter isso, vá a um psicologo, ele pode te recomendar um remédio e terapia que realmente pode ajudar.

2016-10-08-08-55-15-1

Ufa! falei tudo isso para explicar que percebi recentemente que por medo de alguma atividade ou da decepção de não ter cumprido uma atividade, parava de preencher minhas agendas e planners para não encarar essa “falha” e isso me fazia dar um passo para trás.

Então assisti esse vídeo da Gabbie (ignore o título, é só o clickbait), uma youtuber/vinner gringa que falava sobre objetivos e como alcançá-los, que você tem que ter uma imagem do que você espera, do que você sonha e uma série de pequenos passos a tomar para chegar lá. Pela primeira vez entendi o que significava correr atrás dos seus sonhos, ela praticamente desenhou para mim, uma lampada se acendeu no meu cérebro.

Sai, comprei um monte de papel cartão e estou reorganizando tudo, pedi um novo planner pelo aliexpress e tentando seguir direitinho o que já tenho. Coloquei meus maiores sonhos bem na minha frente, literalmente, imprimi e pendurei na minha frente no desktop e finalmente me sinto nos trilhos. O engraçado é que nessa reorganização, encontrei coisas que guardei por anos e anos pensando “um dia vou usar isso para algo” e agora fazem sentido, acho que agora vai. Estou confiante, logo vou fazer um post mostrando como reorganizei minha vida com papel e assim que o planner chegar, mostro para vocês, quem sabe não rola uns freebies para quem também tem planner fichário.

Conclusão: Foco e dedicação, bora ♥

Acho que esse é meu primeiro desabafo em algum tempo, obrigada por lerem.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
Comentários publicados somente após a aprovação.
  • Alef

    10 de out de 2016

    Me vi em cada palavra do seu desabafo. As vezes sinto que estou perdendo as coisas de tanto pensar no que pode ou não acontecer no futuro. Tento pensar que essa é uma característica minha e de alguma forma tento extrair coisas boas.
    O vídeo da Gabbie é realmente muito inspirador, coloquei nos favoritos porque quero ver sempre que me sentir perdido ou confuso.

    Responder

  • Hellê

    10 de out de 2016

    Menina, falar sobre isso é muito importante e já é o primeiro passo, quando descobri o transtorno (inclusive junto com o DDA ou TDAH) foi através de um fobia que tinha desde infância, e começou a incomodar mais quando entrei pra faculdade, percebi que o buraco era bem mais embaixo, e confesso que me irrita um pouco quando banalizam o termo ansiedade e se dizem “ai, eu sou muito ansiosa”, pq na verdade a ansiedade é uma doença muito séria, que tem que ser dada o devido valor, sei que não é por mal, que é mais uma ignorância sobre o tema, mas é que quem sofre de verdade com o transtorno sofre de verdade, e por isso, muitas vezes as pessoas acabam confundindo com drama e frescura, fiz tratamento durante um tempo e parei tem mais de 1 ano, começo a sentir que está me fazendo falta, mas infelizmente a $ituation no momento não é das melhores, mas assim que puder pretendo voltar, vai atrás, procura ajuda, porque tende a melhorar, pelo menos a gente aprende a controlar melhor e dependendo do seu grau, a medicação pode ser necessária =) desculpa pelo textão, mas é que me identifiquei muito ^^

    Responder

 
ir ao topo