31 de mar 2017

Fonte: Warner Music Brasil

IZA é a nova aposta da Warner Music e tem tudo para brilhar!  A carioca Isabela Lima, uma cantora negra, que canta o empoderamento feminino, tem 25 anos e é formada em Publicidade e Propaganda. Até trabalhou como editora de vídeo, mas viu que o seu talento era mesmo a música.

Vinda de uma família de músicos, aos 23 anos percebeu que a Publicidade não era a sua paixão. Numa entrevista para a Capricho, ela afirmou que no momento da dúvida, começou a se questionar: “O que eu faria até de graça?”, e para ela, era a música. Foi então que ela resolveu largar tudo e ir para o Youtube, gravar covers das músicas que ela realmente gostava. Até porque, ela cantava na igreja desde os seus 14 anos e não era bem o seu estilo. As inspirações da artista não deixam dúvidas de sua visibilidade de mercado e influência: indo de lendas como Lauryn Hill, Tina Turner, Diana Ross e Stevie Wonder até mesmo cantoras que fazem grande sucesso atualmente como Beyoncé, Rihanna e Tinashe.

Além da música, IZA busca propagar o empoderamento negro e feminino. Em entrevista à Billboard, IZA revelou, sobre seu álbum: “Quando eu era mais nova, não tinha nenhuma referência de jovem negra para me espelhar. Tenho uma preocupação grande de levantar essa bandeira e expressarei isso nas letras, nos vídeos, no figurino.”

Hoje, a cantora tem 162k seguidores no instagram (@iza), uma música na trilha sonora de “Rock Story”, o hit “Quem Sabe Sou Eu” e o seu videoclipe “Te Pegar”, tem nada mais nada menos que 1.171.800 visualizações no Youtube – números verificados até o fechamento deste post. E nesse fim de semana passado, ela cantou no Miss São Paulo 2017.

Confesso que eu conhecia muito pouco  ou quase nada sobre a IZA e hoje virei fã. Ela tem tudo para crescer, e merece MUITO reconhecimento. Você pode conhecer (se inscreve também!) o canal da IZA, onde você encontra covers de Beyoncé, Adele, Rihanna e muitos outros. Ah, e você também pode conhecer as duas músicas de trabalho dela, na playlist abaixo.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

28 de mar 2017

No final do ano passado (2016) a Netflix lançou a minissérie Gilmore girls: Um ano para recordar, e desde então eu ando pensando muito sobre essa serie tão amada e que fez parte da minha vida, e com certeza da de vocês também. Até que resolvi que precisava rever toda a série antes de ver esses novos quatro episódios que mostram um ano na vida das nossas garotas Gilmore. E sabe o que eu percebi depois dessa maratona? Que Gilmore Girls me ensinou muitas coisas que vou levar pra vida toda.

Lições sobre relacionamento, seja amoroso ou familiar. Sobre conhecer a si mesmo. Sobre a vida profissional… E tenho certeza que quem assistiu a serie também pensa isso, então no post de hoje quero compartilhar com vocês cinco grandes lições que essa serie nos ensinou.

VAMOS AMAR MAIS DE UMA PESSOA AO LONGO DA VIDA.

rory e logan

Quando rompemos nosso primeiro relacionamento sempre temos a mania de achar que nunca mais vamos amar ninguém na vida, mas as coisas não são bem assim, ainda bem. Vamos passar por vários relacionamentos diferentes ao longo da nossa vida, e vamos amar de novo. Podemos aprender isso com a Rory e com a Lorelai, que amar alguém não significa que será para sempre e que isso não tem problema algum, por que vamos, em algum momento, amar outra pessoa e viver outros momentos incríveis. Um fim é só mais uma etapa da vida.

PODEMOS MUDAR DE OPINIÃO SOBRE UMA PESSOA.

Rory e Paris

Uma das relações de amizade mais legais da série é da Rory com a Paris, mas todo mundo lembra que no início, quando estudavam em Chilton, as duas não se deram bem de cara. Na verdade, tiveram diversas intrigas e competiram bastante, mas no final das contas acabaram crescendo, indo para a mesma universidade, sendo colegas de quarto e com certeza aprendendo muito uma com a outra. O que essa relação mais mostra é que tudo bem a gente não gostar de alguém quando conheceu a pessoa, mas com o tempo mudar de opinião. Seja porque a gente cresceu, ou a pessoa, ou na maioria das vezes, porque ambas amadureceram e se tornaram versões melhores de si mesmas. Mudar de opinião é uma coisa boa e não precisamos ter vergonha de fazer isso.

MULHERES PODEM TUDO.

Seja vendo a Rory entrar nas Universidades que queria, a Paris dizendo sempre o que pensa, a Lane tendo força e atitude para ser ela mesma e correr atrás do seu sonho de ser baterista ou a Lorelai enfrentando as dificuldades em ser mãe solteira, Gilmore Girls com certeza ensinou que mulheres podem, com certeza, fazerem o que quiserem.

FICAR EM CASA VENDO FILMES PODE SER UM PROGRAMA ÉPICO.

Rory e lorelai vendo filme

Tem coisa melhor do que se jogar no sofá com um balde pipoca e assistir filme? Seja sozinha ou não, é um programa tão incrível e tão gostoso que eu acho que tinha que virar rotina na vida de todo mundo. Tirar um tempo para apreciar um filme, para falar sobre ele, e perceber que sua casa pode te proporcionar programas tão incríveis quanto os que você faz fora dela é realmente algo incrível. Aliás, você pode até fazer isso escolhendo um dos 463 filmes mencionados na série, o site Gilmore Girls Brasil tem uma lista.

NÃO SE CULPAR POR PRECISAR DE UM TEMPO.

Todos lembram quando a Rory precisou trancar a faculdade de Jornalismo, que sempre foi seu maior sonho, por um tempo. E sabe, a realidade é bem essa, mesmo quando estamos fazendo algo que gostamos muito, a pressão do dia a dia faz com que a gente precise de tempo, e não tem problema, não é um fracasso, quando retomar o projeto/sonho/curso, sempre será com mais força e conhecimento de si próprio, como a Rory nos mostrou quando voltou para Yale e concluiu o curso.

E bônus: É NORMAL NÃO ATINGIR TODOS OS OBJETIVOS QUE TEMOS, E ESTÁ TUDO BEM.

lorelai e rory 2016

Eu iria falar só de cinco lições, mas acabei colocando mais uma aqui para falar um pouco sobre a minissérie da Netflix, nela vamos encontrar a Rory já formada e buscando encontrar seu lugar como uma jornalista. E sabe o que a serie mais ensina aqui? Que não é fácil! Que todos aqueles objetivos que a gente tem, as vezes podem não ser atingidos, mas que isso não é fracasso, por que o tempo só mostra que dá para ser feliz e realizado com outros objetivos que você nem esperava que teria.

Eu tenho certeza que a serie ensinou muitas outras coisas, então se você tem alguma coisa para adicionar à lista, não deixa de comentar. Xoxo :*

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

23 de mar 2017

Hello guys, how are you doing?

Não, não tão no site errado não, ainda estamos aqui nessa coisa maravilhosa! E SIM, hoje falaremos um pouco sobre como treinar esse seu Inglêzinho! Vocês fazem curso de inglês? Aprenderam sozinhos? “Nossa Sue, mas dá pra aprender sozinho? SIM, MUITA COISA!

“Mas tá muito difícil!”

As pessoas tem o costume de achar que aprender inglês é só pagar um curso, mas tem muito mais envolvido. Mesmo quando você faz curso – o que vale muito a pena! – você ainda precisa cuidar do seu self learning, que é a prática de aprender sozinho. Por isso, antes de começar qualquer coisa, um aviso importante: NÃO DESISTA FÁCIL.

Se você ainda está num nível básico e quiser tentar, TENTE! Uma boa sugestão é pegar aquele livro que você já leu 500 vezes e ler ele em inglês. Você já vai saber 80% do que tá acontecendo ali, e só associar na sua cabeça as ideias, só que agora em outra língua.

Se você já está num nível intermediário ou avançado, ótimo! Ler vai ser uma coisa muito legal, mas só se você sentir que não deve depender de tradução!

“Como assim não é pra traduzir?”

Ao invés de ler traduzindo (o que obviamente vai levar mais tempo do que deveria), é sempre bom imaginar a cena que tá rolando, igualzinho com um livro em português! Saiba que vão surgir palavras que você nunca viu na vida, é normal! Ao invés de procurar traduzir essas palavras, tente entendê-las pelo contexto.

Por exemplo:

“I know you didn’t like me as much I liked you. I know you would rather been with him, and I dealt with that a long time ago. I’m over it.”
Anna and the French Kiss, Stephanie Perkins

Preste atenção na parte em negrito. Pode ser que você não faça ideia do que essa frase significa, pois trata-se de algo que você só aprende nos livros avançados. Porém perceba o contexto! A pessoa está comparando um personagem com o outro. Pensando nisso, não dá a impressão que esse “you would rather been with him” é a preferência de com quem a pessoa está dialogando?

Nisso você não precisou de tradução e nem de dicionário e nem de nada. A dedução vai ser uma importante arma, principalmente em estruturas gramaticais. E, se você preferir, você pode colocar um post-it pra pesquisar sobre aquela estrutura mais tarde e estudá-la! Viu que bonitinho e fácil? Não tem erro!

O mesmo se dá com palavras. Tente entendê-las, mesmo se não estiver certo do que está lendo. E aí marque a palavra pra depois pesquisá-la em um dicionário de definição.

Com qual livro devo começar?

Os livros mais tranquilos de se ler em uma língua estrangeira são aqueles que tem adolescentes como protagonistas. Esse tipo de livro é geralmente ambientado na escola ou na casa do protagonista, o que indica vocabulário tranquilo de lembrar e, caso necessário, deduzir.

Os diálogos também são, em sua grande maioria, informais. Portanto, as frases são estruturadas de maneiras simples.

E, por fim, eles usam muitas gírias! Isso pode ser útil – e muito! – pro seu desenvolvimento linguístico.

Uma ferramenta amor!

Depois que eu descobri o Kindle minha vida mudou. Eu lia muito em inglês, mas era muito dependente de post-it pra ir lembrando as palavras que aprendi.

O Kindle tem uma função que te dá a definição das palavras, chamado Dicas de Vocabulário, então a leitura fica mais dinâmica e certa.

Além disso, você tem um dicionário de definição ali na mão, só apertar a palavra que ela fica em negrito e você já pode ser feliz. :)


E, tratando-se de loja virtual, os livros em inglês são sempre mais baratos do que a versão traduzida. Tipo muito mais baratos! Tipo uns 20 reais mais baratos, dependendo do livro claro!

Mas se ainda preferir a versão física, as coisas ficam ao contrário. Ainda assim, vale a pena pagar um pouquinho mais caro na versão em inglês! Em livrarias grandes, como Saraiva Mega Store e Livraria Cultura, você pode achar vários títulos legais.

Nota da Carla:
Oi gente, invadi o post para fazer uma sugestão ótima envolvendo livros e inglês. Uma coisa que me ajudou muito foram os audiobooks em inglês, para melhorar o listening, comecei a ouvir os livros que já havia lido, acabei viciando e passei para séries inteiras (como Harry Potter, Divergente, Jogos Vorazes e Vampire Academy). Dessa forma, quando estou lendo algo em inglês, se não entendo a palavra ou expressão, leio ela em voz alta e pela sonoridade lembro seu significado. Beijo beijo.

Se  joga!

Migxs, o negócio é meter a cara e não ter medo não! Você pode até combinar com seus amigos e montar um clube do livro, onde cada um contribui com um título e depois vocês brincam de ensinar um ao outro tudo o que aprenderam.

E vai ter muito a aprender! Só não ter medo e seguir seu coraçãozinho, sempre.

Se você gostou desse post e quiser algumas indicações de o que ler em inglês, só deixar aqui nos comentários! :)

Um peixo no core,

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 1 de 41234
 
ir ao topo