02 de ago 2017

Você já sentiu que está no meio de um espiral de mudanças em que seus pensamentos se transformam rápido demais, mais rápido do que você consegue acompanhar?
Eu já li que a cada sete anos nossas células morrem e se renovam, isso não é totalmente verdade porque elas tem prazos de validade diferentes, mas é praticamente como se fossemos outras pessoas e essa é a sensação que eu tenho em relação aos meus pensamentos hoje. Acreditei em várias coisas, tantas ideias que carreguei como verdades absolutas, na época da adolescência, onde nos sentimentos invencíveis e donos da verdade de tempos em tempos, quando aprendemos e sentimentos cada coisa como se fosse única e imutável. Me pergunto se eu encontrasse a Carla de anos atrás, o que eu diria realmente para ela, provavelmente não seriamos amigas.

Aqui voltamos para aquela carta para o meu antigo eu, que nunca fiz, porém li muitas versões de amigas. Algumas com palavras de consolo, outras com avisos, todas me passaram uma certa ansiedade, será que essas pessoas não assistiram Efeito Borboleta? Onde qualquer coisinha que você mudar pode explodir metade do seu mundo futuro. Você não gostaria de ser quem você é hoje? Você arriscaria quem você é, o que e quem você tem hoje, por uma chance de remover um sofrimento passado?

Nós aprendemos mais com o erros que com o acertos, as dores nos fortalecem e preparam para outras situações da vida, eu não mudaria nada.

Essas fotos foram tiradas no ultimo fim de semana, em que me encontrei com azamigas blogueiras para um harami (palavra que aprendi essa semana e achei legal, que dizer contemplar “contemplar as flores”) no Parque do Carmo, teve até piquenique. Achei que não iria mais ver cerejeiras esse ano, quando as meninas me chamaram, fiquei super feliz. As fotos desse post foram tiradas pela Lucy do Coisas de Lucy.
Eu estava super chateada por causa da cor do meu cabelo, que acidentalmente ficou vermelho depois de uma aventura com anilina rosa+amarela (para saber mais corre lá no canal que tem vídeo sobre) e essas fotos me ajudaram bastante não só a aceitar a cor como me sentir bonita com ela.

Essa foto foi tirada pela Simone Montilares

Tem um detalhe, esse é o primeiro look que fotografo sem sutian e suporte nenhum, minha primeira impressão é que as pessoas nos transportes públicos ficam desconfortáveis com o fato de você estar sem sutiã (?), ainda que eu estivesse com protetor e meu mamilos não estivesse agredindo as pessoas. Tirando isso não foi desagradável, não fiquei com dor nas costas ou coisa do tipo e faria de novo. Marque minhas palavras, 2018 vai ser um ano em que muitos sutiãs serão deixados em casa.

Essa saia é de brechó (tem vídeo no final do post), estava louca atrás de uma saia vermelha, quando encontrei essa mal acreditei. E a melissa grunge do meu coração, que infelizmente quebrou o salto no meio e eu colei porque continuo gostando dela.
Essa bolsa foi comprada há algum tempo, porém estava parada aqui porque logo na primeira vez que usei ela quebrou a alça, até tentei trocar com a loja mas a burocracia era tanta que preferi substituir a parte que quebrou, mas pelas reclamações esse modelo tem tendencia a quebrar mesmo.

Body: Lojas Renner Saia: Brechó Bolsa Pés: Melissa Grunge Bolsa: Comprei na Dafiti, mas é de uma loja que revende lá (não comprem essa bolsa em específico, a alça dela quebra)

Vídeo novo no canal mostrando looks com as peças que comprei no brechó com a Twolia.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
Comentários publicados somente após a aprovação.
  • Marilia Sestari

    02 de ago de 2017

    É importante olhar pro passado e analisar os erros, assim a gente aprende e segue em frente ;]

    Importante: “mamilos agredindo as pessoas” hahahah eu nunca tinha pensado dessa forma e, realmente, acho que é essa sensação. POR QUÊ??? polêmico~

    As fotos estão lindas e o cabelo vermelho com as sakuras rosinhas ficou DE-MAIS!!!!
    Maravilhosa!

    Responder

    Carla Nascimento responde:

    agosto 7th, 2017

    @Marilia Sestari, sim, faz crescer. <3

    Então menina, eu não sei, realmente parece que tem um laser no lugar dos nossos mamilos que as pessoas não conseguem olhar, como se as machuca-se, hahaha.

    Obrigada miga, beeijo <3

 
ir ao topo