20 de dez 2017

Amo soundtracks, sempre descubro músicas incríveis enquanto assisto séries e filmes, ouçam essa baixinho enquanto olham o post, porque me fez refletir a vida. Apesar que ultimamente tudo faz.

Pausei o episódio de Greys Anatomy que estava assistindo para encontrar essa música, porque achei que me refletia, o nome dela é Everything At Once (Tudo de uma vez).

Esperei essa vontade de fazer tudo passar, um cara uma vez me disse que eu não podia fazer tudo ao mesmo tempo, que eu teria que focar em algo, morri de ódio, fiz textão aqui, não aceitei. A partir dai comecei a reparar como as pessoas dizem isso, que quem faz muita coisa ao mesmo tempo não faz nenhuma direito, ainda não sei avaliar o quão corretas essas afirmações estão.

Porque concordo que quem foca em uma coisa, estuda e se dedica apenas a ela por muito tempo, eventualmente se torna especialista na mesma, compreendo a motivação das pessoas para fazerem isso. Mas como suportam? Por favor, se você é uma dessas pessoas, me ilumine. Como você conseguiu escolher apenas uma coisa, do infinito leque de coisas, profissões, hobbies, etc.

Em que momento seu autocontrole trabalhou tão fortemente a ponto de que você gostasse apenas de uma coisa ou que gostasse de várias, porém não se dedicasse a delas, permanecesse como espectador.

Me pergunto se um dia uma só paixão vai me guiar, se vou esquecer das outras, se nunca mais vou me interessar por novas coisas. Porque faço muitas coisas e todo dia encontro algo novo para a coleção de coisas que ainda quero fazer, mas não tenho tempo. Por enquanto.

Gosto disso, ser inquieta, ter a coceirinha do aprender algo novo todos os dias, mas fico curiosa sobre como a vida de uma pessoa com foco em uma só coisa é.

Essas fotos foram tiradas pela Barbara Graves, no dia da confraternização de fim de ano que fizemos entre nosso grupo de blogueiras. Essa rua é uma graça, a kombi é apenas um complemento, hahaha. O vestido foi feito pela Dona Carmen, costureira amiga, e como o look já estava muito branco, fiz um olho colorido para balancear.

Oxford vai com tudo, mas ultimamente só consigo pensar que preciso de um marrom ou caramelo. <3

Look Ilustrado:

 

Extras:

Correndo pra não ser atropelada

Uaaaau

Rindo por causa do Uaaau

Vestido: Acervo Sapato: Via Uno Batom: Bruna Tavares

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
Comentários publicados somente após a aprovação.
  • Carol Santana

    20 de dez de 2017

    Oi, Carlita!
    Amo muito esse estilo de postagem que você faz. Acho que de tudo que eu sinto mais saudades entre as coisas que 2016 os looks do dia com textinhos sobre mim é um top 3. É quase um diário daqueles que a gente recortava as revistas e ia fazendo umas colagens, sabe? haha
    Sobre conseguir focar numa coisa, eu sempre tive muita dificuldade com isso porque eu sou muito indecisa e eu gosto de coisas demais também. Mas chegou um momento que eu não consegui fazer tudo, e eu tive que priorizar o que eu realmente amava muito, o que ia ser capaz de me transformar na pessoa que eu sonhava em ser. Eu ainda tenho vontade de voltar pras aulas de francês e de piano e convicções fortíssimas de que “ano que vem” eu volto pro ballet. Mas ao mesmo tempo eu tô muito feliz fazendo as coisas que eu tô fazendo agora.
    E tem um tipo de amor que a gente nunca deixa de sentir pelas coisas que já foram importantes, mesmo que elas não façam mais parte da nossa realidade. O problema, eu acho, é que a gente quer ser muito bom e se destacar em muitas coisas. Sabemos que a prática leva à perfeição. Um olhar mais detalhado pros nossos próprios blogs nos atenta pra isso – somos infinitamente melhores agora do que quando começamos. Porque é chato falar pro ser humano, assumir, que não somos lá muito bons em algo, sabe? Soa como fracasso.
    “Eu poderia ter sido uma bailarina, mas não continuei”, “eu poderia ter sido uma excelente pianista mas não continuei”, “eu poderia ser mais fluente em francês”. Mas eu não acho que seja um fracasso, eu acho que faz parte de encontrar sua voz interior. Continuar tentando e fazendo o que se ama, e eventualmente as coisas mais importantes vão começar a se destacar.
    O seu blog, pro exemplo, aposto que já pensou em largar um dia, mas continuou. Nem sempre é ima escolha consciente, tem coisas que chamam por nós.

    Beijo grande e com amor,
    Feliz Natal
    Carol

    http://www.horinhasdedescuido.com

    Responder

    Carla Nascimento responde:

    dezembro 26th, 2017

    @Carol Santana, um textão desses bicho. Obrigada pela reflexão, concordo super, ninguém quer sentir a dorzinha do fracasso por algo que amou mas abandonou. Odeio dizer que abandonei as coisas, dá uma vergonhazinha né? Será que vale a pena colocar na analise esse sentimento de derrota? Tentar enxergar apenas com nostalgia, que difícil. Boas festas! <3

    ps: amei saber suas antigas atividades extra curriculares, hahaha, muito phyna

  • clei

    20 de dez de 2017

    Ah, que meiga você, amei o look, amei o post e amei o blog, já começando a te seguir no insta também. Primeira vez no seu blog e já quero por no meu Blogroll haha. <3

    Responder

 
ir ao topo