06 de jun 2018

Nós medimos o crescimento pela altura, as vezes pela largura ou volume, contamos anos, medidas, contamos nos dedos, tempos musicais, contamos passos, quilômetros rodados, pontos, estações de metrô, metros² e então quando não basta, contamos histórias, cliques, minutos em vídeo, horas no cinema.

As coisas mais importantes não conseguimos contar, quantos suspiros de antecipação, quantas vezes o coração apertou, a barriga ou as mãos gelaram, quantas vezes fechamos os olhos e respiramos fundo. Não consigo medir o quanto cresci no último ano, a ponto de sentir a necessidade de contar constantemente o quanto mudei. Uma nova pessoa nasceu a qual estou sendo apresentada agora e eu mal reconheço a que ficou pra trás.

Foi tão surreal que nem consigo explicar suficientemente bem para quem ainda não passou por isso ficar preparado. As pessoas fazem cartas pra seus eu de 10 anos atrás, para quando eram adolescentes, eu quero pra Carla do ano passado e dizer que não vai ficar tudo bem ou mais fácil, mas pra aguentar firme.

Eu não sabia que a ansiedade e a desesperança iam me afastar de escrever, logo eu, que sempre escrevi atoa desde pequena, inventava histórias, começava livros. Sempre foi tão natural, que não pensei que pudesse sumir. Minhas prioridades assumiram o controle da minha vida e a preocupação me criou uma pessoa cautelosa, assustada, a vida me ensinou a não me mostrar pro mundo, a temer a sinceridade pra me proteger, a ser menos expansiva.

Ser adulto é solitário. Você não está sozinho, mas tudo sempre depende apenas de você. Em quem você confia, com quem você se envolve, o que tem que ser feito.
Quanto sobrou do que era antes?

Macacão: Costureira Camisa: Guarda roupa da tia Cinto: Mãe Bota: Urban Flowers Mochila: Oumai

As fotos do post foram tiradas pela Marilda Sousa (@sousasfotografia)

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

25 de abr 2018

Esse post não vai ter textão pela simples liberdade poética de não escrever hoje. Vocês sabem que sempre posto uma reflexão junto com os looks, mas é sempre importante que o formato não se torne uma obrigação.

Eu fiz um vídeo no canal resumindo 4 dos textos aqui do canal, justamente para quem não tem muita paciência de ler:

A historinha das fotos de hoje é que a Nara Marcondes me convidou novamente para fotografar e nasceram esses bebês maravilhosos numa manhã no Café Liberté na Liberdade. Levei um bom livro e nos divertimos bastante enquanto falávamos sem parar, hahaha.

Escolhi esse look por ser básico e neutro, combinando com uma vibe mais cidade que é o que a Nara costuma procurar quando esta fotografando por São Paulo, já que ela é de Minas e por lá costuma clicar na natureza. Estou apaixonada por jeans ultimamente.

Essa é a foto mais sensual que eu tenho e foi olhando pra um doce

Camiseta e calça jeans: C&A Bota: Urban Flowers Óculos: Chilli Beans Pulseira: Joias Boz

Para os interessados, a Joias Boz está com uma promoção de até 50% de desconto nos escapulários de prata masculinos e femininos. Fica a dica!

Look ilustrado:


Esse post não é um publi, não fui paga por ele, mas recebi algumas peças, vocês sabem que sempre sinalizo, então achei importante avisar.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

17 de abr 2018

É preciso um escudo, para não se ferir com as pedras que estão vindo, para não piorar as feridas que você mesmo criou enquanto vinha em desabalada carreira tomando decisões.

Surge a necessidade de se esconder. Bom, não de se esconder, mas de se mostrar para outras pessoas.

Surge a necessidade de evidenciar tudo que você pensa que não é nada demais. Porque o mundo anseia pelo incrível e qualquer um que seja menos que isso se faz descartável. É cruel, mas é tão real que sinto no meu coração acelerado, cobrando uma ação que me proteja das minhas escolhas.

Surge a necessidade de abaixar a cabeça e perceber que mesmo o que você considera desvalorizado e pouco atrativo pode te ajudar.

Atirar para todos os lados ou SE atirar para todos os lados. Acho que estou na segunda opção.

 

Sabe-se lá onde vou cair.

Esse texto, eu escrevi no meu diário e achei que expressa tanto o que eu tô sentindo que precisava estar aqui. Muito provável que quase ninguém entenda, até porque eu nem falei sobre o que era, mas quando eu contar vocês vão entender melhor. <3

Essas fotos foram tiradas no dia que filmei o vídeo de Look anos 90, está lá no canal (www.youtube.com/faltouacucar), os cliques são da Barbara do Like Old Times. Espero que tenham gostado.


Body: Lojas Renner Calça: C&A Tênis: Sugoi Shoes Pochete: Brechó

Look Ilustrado

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 3 de 2141234567... 214››
 
ir ao topo