26 de jan 2016

Para quem não é de São Paulo, e para os desligados, ontem foi aniversário da cidade. 462! É uma grande idosa. Eu queria muito que tivesse um filme estilo I love you, Nova York e I love you, Paris. A última vez que vi, tinha um projeto para um brasileiro, só que no Rio. Já que não tem, selecionei uns filmes que mostram como cenário a cidade paulista só pra ter o gostinho de ver essa cidade nas telas! Vamos lá:

Que horas ela volta?

Começo com o mais recente, Que horas ela volta? De Anna Muylaert, que lançou ano passado. Esse filme é incrível e mostra a história da empregada Val e da sua filha recém-chegada em São Paulo, Jéssica, que vem para cá para prestar o vestibular. Os patrões recebem a filha bem e até a levam para a USP, mais especificamente na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, pois era o curso que ela queria prestar. A cena é curta, mas quem conhece o local fica abobado (ok, talvez tenha sido só eu).

O Casamento de Romeu e Julieta

O Casamento de Romeu e Julieta, de 2005, é uma comédia brasileira que mostra a rivalidade entre duas famílias fanáticas pelo Palmeiras e pelo Corinthians. O trocadilho é claro. Ele, corinthiano; ela, palmeirense, se apaixonam e precisam conciliar as famílias e o amor pelo time. O filme inteiro mostra os estádio de São Paulo, então também acho um ótimo jeito de mostrar a cidade.

O ano em que meus país saíram de férias

 O ano em que meus pais saíram de férias, de 2006, mostra na perspectiva de um menino de 12 anos a perseguição política do país nos anos 70. Ele na verdade não sabe o porquê dos pais saírem de férias e o deixaram com seu avô. As cenas de São Paulo são bem sutis, com ele andando pelas ruas e jogando futebol. O filme suaviza intencionalmente a violência da época, já que a criança não participa ativamente de nenhuma das ações, é bem didático!

2 Coelhos

De 2012, 2 Coelhos, é um filme politizado de ação. Um cara sofre um acidente de carro e perde sua esposa e seu filho. Acontecem diversos problemas políticos e ele se muda para Miami, mas após um tempo, volta a fim de vingança contra um deputado estadual e um criminoso. As cenas de ação ocorrem no centro de São Paulo também e são emocionantíssimas. Realmente vale a pena.

Ensaio sobre a Cegueira

Embora Ensaio sobre a Cegueira, de 2008, não seja brasileiro, o diretor é. Fernando Meireles trouxe o elenco inteiro para usar São Paulo como cenário desse mundo que passa por uma epidêmica cegueira que ninguém sabe explicar. É lindo de ver Mark Ruffalo e Julianne Moore andando pela cidade, eles passaram pelo Viaduto do Chá, MASP e outros pontos turísticos. O filme é uma linda adaptação da obra de José Saramago e independente das cenas que mostram São Paulo, é uma ótima dica de filme.

Então é isso, pessoal. Vamos explorar essa cidade linda porque ela tem muito a oferecer. Afinal, carnaval tá chegando!

Beijos e até a próxima!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

12 de jan 2016

Olá, pessoal, é a Patê,

Voltei, voltei! E vamos começar 2016 renovando as energias, cheia de metas e determinações. Adoro essa época do ano, mas o motivo é: férias! Férias no cinema geralmente é sinônimo de animação, atualmente tá passando Alvin e os esquilos 3 e logo estreia Peanuts – O filme. Pra quem prefere ficar em casa, vou fazer uma lista de animações que se destacaram ano passado (que loucura que 2015 já é passado). Então é assim, se vocês não assistiram aos filmes que comentarei, fica a dica; se sim, sempre válido reassistir, não?

Divertida Mente

O primeiro não poderia ser diferente, Divertida Mente exemplifica bem aquela frase de “esse filme não é pra criança” (mesma coisa que Up, Wall-e, Mary e Max). Quer dizer, o filme é completo, né? Tem personagens caricatos – quem não gostou da Tristeza?-, tem uma história que prende e um ótimo ritmo, mas vamos combinar que poucas crianças entendem as fases da consciência da Riley, as ideias abstratas e a definição, mesmo que implícita, de depressão. O filme é um deleite pra nós, não-crianças!

As Memórias de Marnie

Embora esse filme não tenha ganhado visibilidade no cinema nacional, espero que vocês tenham conferido. As Memórias de Marnie é o mais recente filme do Studio Ghibli e retrata a história de uma menina, Anna, que acabou de se mudar e logo conhece Marnie. O filme é singelo como todas as animações japonesas desse estúdio e super, super recomendo a quem ainda não assistiu!

Minions

EU AMO MINIONS! Pronto, confessei! E mesmo amando, odiei o filme. Quer dizer, o marketing do filme foi incrível, torrei rios de dinheiro e enchi minha casa de amarelo, mas o filme em si, fala sério? A vilã, Scarlet Overkill, é mal construída, não tem passado e propósito. Os minions são ótimos coadjuvantes, mas não conseguem carregar um filme inteiro. De qualquer forma, dá pra rir bastante. Todos viram, né?

Hotel Transilvânia 2

Embora o primeiro filme não tenha feito muito sucesso, fizeram a continuação de Hotel Transilvânia. Nesse, a vampira e o humano se casaram e todos vivem no Hotel junto com o Drácula. Quando os dois têm o primeiro filho, Drácula fica eufórico querendo ensinar as “vampirices” pro neto, mas existe a possibilidade de ele ser um simples humano.  Assim como o primeiro, o filme é bem gostosinho de assistir num sábado à tarde pra passar o tempo!

O Pequeno Príncipe

Mesmo tendo o mesmo nome do livro do Saint-Exupéry, o filme não retrata a história fielmente do livro. A história gira em turno de uma garota que se mudou e fez amizade com seu vizinho, um senhor que começa a lhe contar a história do pequeno príncipe e seu asteroide com a rosa. As mensagens bonitas e famosas do livro estão contidas no filme, só a narração que muda o foco. Vale a pena para quem gosta da história!

E é isso, pessoal! Muitas animações estão por vir esse ano, aliás, quem não espera ansiosamente Procurando Dory? Enquanto isso, gente, tempos de Oscar, se preparem para os próximos posts!

Um beijo e até a próxima!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

24 de nov 2015

Olá, pessoal,

Desde de 2011, temos um novo feriado no calendário: 20 de novembro é dia da consciência negra. A data foi escolhida por ser o dia em que Zumbi dos Palmares foi assassinado, representando, assim, a resistência negra contra a escravidão. Selecionei alguns filmes acerca do tema, vem conferir!

12 anos de escravidão

Começo pelo filme mais recente, o ganhador do Oscar 12 anos de escravidão, de 2013. Baseado em uma história real, Solomon Northup é um ex-escravo que é sequestrado e vendido como um. Como o título já diz, ele passa 12 anos como tal até conseguir sua já anteriormente conquistada liberdade. O filme é forte, principalmente quando ele está sob às ordens do personagem de Michael Fassbender. Vale a pena ressaltar que nesse período, Solomon conhece Patsey, uma escrava interpretada pela Lupita Nyong’o (e que interpretação!) Na época, a apresentadora do Oscar, Ellen Degeneres brincou que era óbvio que o filme ganharia a estatueta de melhor filme, pois caso contrário iriam sugerir que a Academia era racista. Polêmicas à parte, o filme é um exemplo de atuação e de história.

Xica da Silva

Mais perto de nós, Xica da Silva, de 1976, retrata uma brasileira que deixa de ser escrava e se torna uma dama após seduzir um contratador. A partir daí, ela começou a ostentar com festas, banquetes e criar fama dentro da sociedade burguesa devido às suas tendências europeias. Depois do filme, em 1996, essa história virou uma novela com a Taís Araújo no papel principal, que criou uma polêmica por mostra-la seminua aos 17 anos.

Amistad

Amistad, de 1997, retrata o navio negreiro La Amistad quando os escravos conseguem se libertar e assumem o comando. Eles estão perto de Cuba e desejam retornar à África, mas como ninguém sabe navegar, eles confiam nos tripulantes. No entanto, eles os enganam e todos são capturados novamente. Um julgamento contra os africanos começa e as ideologias entre os dois extremos dos Estados Unidos entram em conflito, por um lado, a condenação; do outro, a redenção.

Django livre

 

De 2012, Django Livre, também retrata um escravo que conseguiu sua liberdade após ajudar o caçador de recompensas Schultz a capturar uns assassinos. Mesmo livre, Django continua ao lado dele ajudando na caça de homens procurados, mas também procura sua esposa que foi comprada por Calvin Candle. Eles localizam onde ele mora e se apresentam com personalidades falsas a fim de criar um plano para resgatar a esposa de Django. O resto vocês já sabem por se tratar de Tarantino: sangue, sangue, sangue.

Diamante de Sangue

Diamante de Sangue, de 2006, retrata a escravidão mesmo na década de 90. O contexto é a guerra civil na Serra Leoa, onde Solomon é levado a força para trabalhar numa mina de diamantes. Ele, por ventura, encontra um diamante enorme e faz de tudo para escondê-lo. Ele cria um pacto com Danny Archer, um ex-mercenário: em troca do diamante, Danny o ajudaria a encontrar sua família. O filme mostra a realidade das pessoas que ainda trabalham com mineração de uma forma bem sensível. O final é bem triste, mas fantástico! Assistam!

O feriado não englobou todas as cidades (e minha, por exemplo, não adotou e eu trabalhei), mas a ideia era promover o debate sobre a injustiça contra os negros e sobre como lidamos com isso hoje. Além da polêmica das cotas das universidades, dos preconceitos diários, vale lembrar que ainda existe escravidão em alguns lugares no mundo.

É isso, pessoal! Até a próxima!

Beijos!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 4 de 131 ...12345678... 13››
 
ir ao topo