10 de out 2016

img_2690
Sempre fui muito ansiosa, quando pequena mal conseguia dormir próximo a dias de excursão escolar, viagens, visitas de familiares, começo das aulas, etc. Foi por conta de toda essa ansiedade que roí minhas unhas por 18 anos e um dos motivos pelo qual vivo rodeada de papeis, sempre rabiscando, planejando, imaginando, fazendo contas, minha cabeça  nunca para.

Por incrível que pareça não é uma coisa engraçadinha, como achávamos tempos atrás, não era apenas ficar na expectativa por algo que está por vir. Começou a me impedir de fazer coisas e demorei para entender o que estava acontecendo, percebi que era transtorno de ansiedade.

Eu imagino milhões de situações que podem ou não acontecer e crio soluções mentais para elas por medo de não saber o que vai acontecer, penso no pior e sofro antecipadamente, mas dificilmente não estou preparada para algo. Durmo 6 horas ou menos por dia, por medo de perder as coisas que estão acontecendo no mundo (?) e em dias em que estou ansiosa demais, tensiono tanto os músculos da minha perna que elas acabam doloridas, tenho um problema de foco seríssimo (que nem vou começar a explicar pra não entrar no território de DDA), entre outras coisas.

Nunca fui a um psicologo, não tenho propriedade para recomendar nada mais do que estou fazendo por mim mesma, muita gente vai achar que sou maluca e estou fazendo drama, não culpo vocês, o drama é da minha natureza, mas pesquisei muito e ouvi relatos e psicólogos falando a respeito. Se você acha que pode ter isso, vá a um psicologo, ele pode te recomendar um remédio e terapia que realmente pode ajudar.

2016-10-08-08-55-15-1

Ufa! falei tudo isso para explicar que percebi recentemente que por medo de alguma atividade ou da decepção de não ter cumprido uma atividade, parava de preencher minhas agendas e planners para não encarar essa “falha” e isso me fazia dar um passo para trás.

Então assisti esse vídeo da Gabbie (ignore o título, é só o clickbait), uma youtuber/vinner gringa que falava sobre objetivos e como alcançá-los, que você tem que ter uma imagem do que você espera, do que você sonha e uma série de pequenos passos a tomar para chegar lá. Pela primeira vez entendi o que significava correr atrás dos seus sonhos, ela praticamente desenhou para mim, uma lampada se acendeu no meu cérebro.

Sai, comprei um monte de papel cartão e estou reorganizando tudo, pedi um novo planner pelo aliexpress e tentando seguir direitinho o que já tenho. Coloquei meus maiores sonhos bem na minha frente, literalmente, imprimi e pendurei na minha frente no desktop e finalmente me sinto nos trilhos. O engraçado é que nessa reorganização, encontrei coisas que guardei por anos e anos pensando “um dia vou usar isso para algo” e agora fazem sentido, acho que agora vai. Estou confiante, logo vou fazer um post mostrando como reorganizei minha vida com papel e assim que o planner chegar, mostro para vocês, quem sabe não rola uns freebies para quem também tem planner fichário.

Conclusão: Foco e dedicação, bora ♥

Acho que esse é meu primeiro desabafo em algum tempo, obrigada por lerem.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

04 de out 2016

Olá gente, hoje, dia 4 de Outubro, se comemora o Dia Mundial dos Animais, o Dia do cachorro e o Dia de São Francisco de Assis (Protetor dos animais, segundo os católicos). Então para não passar em branco, aceitei o convite da BitCão e vou apresentar meus filhos para vocês, Cherry, Sirius e Zequinha.

Cherry ♥

Já tive muitos cachorros nessa vida, pois o amor é muito, alguns que adotamos porque estavam nas ruas e com o tempo demos a parentes, outros que não estão mais entre nós, hoje em dia tenho 3, mas o Cherry é o mais velho, está comigo a 12 anos, vou começar pela história dele.

Para contar a história do Cherry, preciso contar a da Teka, uma Schnauzer que chegou aqui em casa com 4 meses e uma sequência de erros tirou de mim. Teka era muito hiperativa e animada, corria mais rápido do que qualquer cachorro que tive, um dia, meu pai se descuidou e enquanto saia pelo portão não viu que ela havia saído com ele. Ela correu para rua e enquanto ele a chamava, um carro apareceu e a atropelou, eu assisti tudo da garagem, ainda sinto meu coração se quebrando e desde então tenho trauma.

Meu pai quando pequeno era conhecido por andar sempre com uma cachorrinha, engraçado que nunca perguntei o nome dela, mas lembro da história, que minha avó odiava, pois na época, em Pernambuco, eles mal tinham o que comer. Talvez puxei esse lado dele, de querer ajudar os animais mesmo que eu mal possa.

Enfim, voltando. Penalizado com a situação, meu pai contou a supervisora dele no trabalho sobre a Teka e ela me deu o Cherry de presente. Fomos buscá-lo em Santos, de carona numa Kombi, hahaha, passamos o dia inteiro para ir e voltar, chegando lá conheci o pai do Cherry, um cachorrinho minúsculo. O Cherry, que é um yorkshire, tinha um mês, tão pequeno que parecia um hamster, portanto passei muito tempo alimentando-o com ração derretida. Enquanto ele crescia tive medo que ele fosse mini como o pai, pois mesmo naquela época em que não tínhamos internet, sabia o perigo que seria para ele, mas ele cresceu, ainda bem.
Me falaram também que um cachorrinho como ele custaria R$700,00 na época, eu não entendia porque os maiores, que pegamos da rua anteriormente, os vira-latas, não tem valor. Ainda não entendo.

O Cherry tem uma orelha para cima e outra para baixo, me recusei a por talas quando ele era pequeno

Nessa época o Milu, um pastor alemão, que foi meu primeiro cachorro, ainda estava entre nós, mas depois que ele se foi, meu pai trouxe para casa o Zequinha. Ninguém sabe exatamente de onde ele era, invadiu a obra que meu pai estava supervisionando na empresa em que trabalhava e se apegou a um homem, o Zequinha, e por isso foi batizado com o nome dele. Ainda era filhote, uns 6 meses, mas sempre foi muito inteligente e agitado, como podem ver, parece muito com um Border Collie, até no tamanho.

Zequinha ♥

A história do Sirius vocês acompanharam, porque eu já tinha o blog e contei aqui, ele também foi um presente e é o cachorrinho mais teimoso que já tive, hahaha, ele é misturado, shitzu com pequinez, raça indefinida, prognata e com rabinho de mola. ♥

Hoje em dia divido a responsabilidade dos 3 com a minha mãe. Eles passam o dia todo comigo, já que trabalho de casa e me ajudam a controlar meus níveis de estresse.

Sirius

Sirius ♥

Como a criação de crianças, cuidar de cachorros vai muito além de alimentar, limpar e manter saudável, eles precisam ser educados, cada um tem sua personalidade, geralmente variando de acordo com a raça, requer paciência e preparo. Não é um brinquedo pros seus filhos, é um animalzinho, um ser vivo que tem sentimentos, necessidades e merece respeito.

 Ainda há muitos animais à resgatar das ruas, eles não tem para onde ir, por vezes abandonados por suas famílias. Não compre animais, comprar só estimula o comercio e praticas desumanas que acontecem nesses pontos de venda. Se for comprar, conheça o lugar, tenha certeza de como tudo funciona, como os bichinhos são tratados e tenha consciência de que você pode mudar a vida de um pet, que já passou por maus bocados, adotando.

Espero que tenham gostado de conhecer meus doguinhos, me contem nos comentários sobre os bichinhos de vocês. ♥

Esse post foi patrocinado e as opiniões expressas no mesmo, como sempre, são sinceras.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

03 de out 2016

stiletto-18
Depois de muito enrolar, resolvi criar a pesquisa de público do blog, para conhecê-los melhor, saber o que melhorar, porque sempre podemos crescer de alguma forma e acho que com a ajuda de vocês vou me sentir melhor. Preencham por favor, é rapidinho. :D

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 5 de 391 ...123456789... 39››
 
ir ao topo