06 de abr 2017

Nome: Um Dia
Autor: David Nicholls
Editora: Intrínseca
ISBN: 9788580570458
Número de páginas: 416
Sinopse: Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas — vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois.

É meus queridos leitores, a vida é mesmo uma caixinha de surpresas. E é sobre isso que vim falar hoje aqui.

“No entanto, é Emma quem ele mais deseja ver. Por que não está com ele esta noite? Existem tantas coisas que gostaria de perguntar, como por que os dois nunca ficaram juntos, eles ficariam tão bem juntos, uma equipe, um casal, Dex e Em, Em e Dex, todo mundo diz isso.”

Todo mundo tá tomado por uma reflexão coletiva sobre “Os 13 Porquês” essa semana, devido ao lançamento da série na Netflix. A série aborda algo muito parecido com esse livro: as decisões que você toma podem mudar tudo no final.

E numa pegada meio “temporal” e meio “e se”, nos jogamos na história pra descobrir o mundo dessas duas pessoas que têm a vida em eterna colisão.

15 de Julho

Todos os anos, no mesmo dia, David Nicholls nos conta – numa narrativa meio maluca e desconexa em terceira pessoa – por onde andam Dex e Em. Em alguns anos estão juntos, em outros não. Em alguns anos eles não conseguem se ver longe um do outro, em outros nem se falam.

Esse dia, porém, não trata apenas dos dois. Ele trata da vida. Fica nítido pro leitor que o tempo passa, pessoas surgem e coisas mudam. As pessoas mudam. O livro mostra que tempo dá e que o tempo tira, mas acima de tudo, o tempo ensina.

Dex e Em, Em e Dex

Com o decorrer dos anos, você vai ver a evolução dos dois personagens (mais da Emma do que do Dexter, só pra constar) e como as mudanças externas vão os mudando internamente.

A história começa com os dois na faculdade, 1988, preocupados com o futuro e animados com tudo o que podem viver. Emma é uma garota cheia de sonhos, mas com poucas condições e Dexter, um garoto cheio de condições, mas com poucos sonhos.

Eles tem uma conexão incrível. E essa conexão se transforma em amor. Porém, como são jovens (eternamente) e não sabem lidar com essa nova emoção, eles decidem ser melhores amigos, convencendo-se de que o amor pode manifestar-se de várias maneiras. A questão que resta é: será que só isso basta?

Por que você deveria ler?

“O negócio era ser corajosa e ousada e realizar alguma coisa”, pensou consigo mesma. Não exatamente mudar o mundo, só um pouco à sua volta. (…) Mudar a vida das pessoas através da arte, talvez. Escrever coisas bonitas. Agradar aos amigos, continuar fiel aos próprios princípios, viver plenamente, bem e com paixão. Experimentar coisas novas. Amar e ser amada, se possível.”

É muito simples, porque vai ter dar um insight de como a vida é curta e merece ser vivida com todas as suas forças. De que não devemos deixar para amanhã o que podemos fazer hoje. De que não devemos deixar de falar as nossas verdades e sentimentos. E, principalmente, de que não devemos ter medo; afinal, a vida sempre encontra um jeito de colocar tudo no lugar, só pra bagunçar tudo depois.

O filme!

Esse livrinho lindo tem uma adaptação para o cinema com a MARAVILHOSA da Anne Hathaway no papel de Emma e Jim Sturgess no de Dexter. É uma daquelas aonde o filme é tão bom quanto o livro, talvez até um pouco melhor, por conta da narração mais linear.

Cheio de cenas emocionantes e um final absurdo de louco, você não se arrependerá de assistir e ser feliz; claro, depois de ter lido o livro! hahahaha

E é isso galera, deixem aqui nos comentários o que vocês acharam do livro, se gostariam de acrescentar alguma coisa e se vocês se apaixonaram tanto pela história e derramaram várias lágrimas igual euzinha.

:)
Um peixo no core,

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

23 de mar 2017

Hello guys, how are you doing?

Não, não tão no site errado não, ainda estamos aqui nessa coisa maravilhosa! E SIM, hoje falaremos um pouco sobre como treinar esse seu Inglêzinho! Vocês fazem curso de inglês? Aprenderam sozinhos? “Nossa Sue, mas dá pra aprender sozinho? SIM, MUITA COISA!

“Mas tá muito difícil!”

As pessoas tem o costume de achar que aprender inglês é só pagar um curso, mas tem muito mais envolvido. Mesmo quando você faz curso – o que vale muito a pena! – você ainda precisa cuidar do seu self learning, que é a prática de aprender sozinho. Por isso, antes de começar qualquer coisa, um aviso importante: NÃO DESISTA FÁCIL.

Se você ainda está num nível básico e quiser tentar, TENTE! Uma boa sugestão é pegar aquele livro que você já leu 500 vezes e ler ele em inglês. Você já vai saber 80% do que tá acontecendo ali, e só associar na sua cabeça as ideias, só que agora em outra língua.

Se você já está num nível intermediário ou avançado, ótimo! Ler vai ser uma coisa muito legal, mas só se você sentir que não deve depender de tradução!

“Como assim não é pra traduzir?”

Ao invés de ler traduzindo (o que obviamente vai levar mais tempo do que deveria), é sempre bom imaginar a cena que tá rolando, igualzinho com um livro em português! Saiba que vão surgir palavras que você nunca viu na vida, é normal! Ao invés de procurar traduzir essas palavras, tente entendê-las pelo contexto.

Por exemplo:

“I know you didn’t like me as much I liked you. I know you would rather been with him, and I dealt with that a long time ago. I’m over it.”
Anna and the French Kiss, Stephanie Perkins

Preste atenção na parte em negrito. Pode ser que você não faça ideia do que essa frase significa, pois trata-se de algo que você só aprende nos livros avançados. Porém perceba o contexto! A pessoa está comparando um personagem com o outro. Pensando nisso, não dá a impressão que esse “you would rather been with him” é a preferência de com quem a pessoa está dialogando?

Nisso você não precisou de tradução e nem de dicionário e nem de nada. A dedução vai ser uma importante arma, principalmente em estruturas gramaticais. E, se você preferir, você pode colocar um post-it pra pesquisar sobre aquela estrutura mais tarde e estudá-la! Viu que bonitinho e fácil? Não tem erro!

O mesmo se dá com palavras. Tente entendê-las, mesmo se não estiver certo do que está lendo. E aí marque a palavra pra depois pesquisá-la em um dicionário de definição.

Com qual livro devo começar?

Os livros mais tranquilos de se ler em uma língua estrangeira são aqueles que tem adolescentes como protagonistas. Esse tipo de livro é geralmente ambientado na escola ou na casa do protagonista, o que indica vocabulário tranquilo de lembrar e, caso necessário, deduzir.

Os diálogos também são, em sua grande maioria, informais. Portanto, as frases são estruturadas de maneiras simples.

E, por fim, eles usam muitas gírias! Isso pode ser útil – e muito! – pro seu desenvolvimento linguístico.

Uma ferramenta amor!

Depois que eu descobri o Kindle minha vida mudou. Eu lia muito em inglês, mas era muito dependente de post-it pra ir lembrando as palavras que aprendi.

O Kindle tem uma função que te dá a definição das palavras, chamado Dicas de Vocabulário, então a leitura fica mais dinâmica e certa.

Além disso, você tem um dicionário de definição ali na mão, só apertar a palavra que ela fica em negrito e você já pode ser feliz. :)


E, tratando-se de loja virtual, os livros em inglês são sempre mais baratos do que a versão traduzida. Tipo muito mais baratos! Tipo uns 20 reais mais baratos, dependendo do livro claro!

Mas se ainda preferir a versão física, as coisas ficam ao contrário. Ainda assim, vale a pena pagar um pouquinho mais caro na versão em inglês! Em livrarias grandes, como Saraiva Mega Store e Livraria Cultura, você pode achar vários títulos legais.

Nota da Carla:
Oi gente, invadi o post para fazer uma sugestão ótima envolvendo livros e inglês. Uma coisa que me ajudou muito foram os audiobooks em inglês, para melhorar o listening, comecei a ouvir os livros que já havia lido, acabei viciando e passei para séries inteiras (como Harry Potter, Divergente, Jogos Vorazes e Vampire Academy). Dessa forma, quando estou lendo algo em inglês, se não entendo a palavra ou expressão, leio ela em voz alta e pela sonoridade lembro seu significado. Beijo beijo.

Se  joga!

Migxs, o negócio é meter a cara e não ter medo não! Você pode até combinar com seus amigos e montar um clube do livro, onde cada um contribui com um título e depois vocês brincam de ensinar um ao outro tudo o que aprenderam.

E vai ter muito a aprender! Só não ter medo e seguir seu coraçãozinho, sempre.

Se você gostou desse post e quiser algumas indicações de o que ler em inglês, só deixar aqui nos comentários! :)

Um peixo no core,

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

16 de mar 2017

Nome: Fazendo Meu Filme Vol.1
Autoras: Paula Pimenta
Editora: Gutenberg Autentica
ISBN: 9788589239844
Número de páginas: 336
Sinopse: “Fazendo meu filme” nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades.

Alouu!

Antes de tudo, gostaria de dizer que euzinha estou muito animada (na verdade, feliz pra caramba) por poder fazer parte de uma equipe tão incrível quanto a do Faltou Açúcar e entrar em contato com vocês, e estarei aqui todas as quintas-feiras falando de um assunto tão amorzinho quanto esse blog: livros!

E agora, vamos à um livro que vai fazer vocês gritarem de tanta paixão: FAZENDO MEU FILME, da Paula Pimenta!

“Desliguei o computador, fui até a cozinha e voltei com uma lata de leite condensado. Liguei a minha televisão, coloquei o DVD do Diário da Princesa e deitei debaixo do edredom, para assistir e entender de uma vez por todas que a vida nunca ia ser perfeita como um filme.”

Como cheguei até ele?

Era uma vez, um livro com a capa rosa cheia de fofurices na capa. Sue, que vos escreve, olhou para esse livro com uma curiosidade tamanha. Enquanto analisava o livro, ela percebeu que todos os capítulos começavam com um trecho de um filme diferente. “Que coisa mais louca”, pensou, “quem escreveu essa obra?”. Paula Pimenta foi sua resposta. Sue comprou o livro e depois disso não conseguiu mais largá-lo.

Paula Pimenta, esse nome não é estranho, certo? Certíssimo! Uma escritora brasileira que tem vários livros com temática jovem e feliz. Fazendo o meu filme é um deles. Na verdade, são 4 deles, pois trata-se de uma coleção! Não é incrível ter algo produzido com tanto amor e carinho por alguém do nosso país?

Foi assim que eu decidi que esse livro era um must e agora tô aqui repassando a informação, porque AI GENTE TEM QUE LER.

Fani, gente como a gente

Estefânia (sim), mais conhecida como Fani, é uma estudante muito garota que é a louca dos filmes. Ela tem costume de classificar todos eles por estrelinhas, e todos os que ganham 5 estrelas vão pra coleção dela de DVDs (se Fani existisse na “Era Netflix”, Fani estaria surtando, certeza).

Fani tem seus melhores amigos: Leo (<3), gatinho inteligente incrível e sincero; Gabi, melhor amiga pra todas as horas sempre disposta a ajudar; e Natália, louca desvairada mas que a gente ama. Outros personagens importantes são: a Mãe da Fani, neurótica pelo melhor da filha; o Alberto, irmão mais velho que você aprende a amar; e a Priscila, moça fofa que depois ganha uma série pra si mesma da Paula Pimentinha.

Ah, e fato importante: você se lembra daquele professor gatinho pelo qual você costumava suspirar durante as aulas e ficar perdidinha na matéria? Ele meixmo, o professor de biologia de Fani. Ih, várias treta com isso aí amigas, mas aqui vai algumas dicas sobre o que estou dizendo: telefone, admiradora secreta e B.O. real oficial.

Vamos viajar, sim ou não?

Já comentei sobre a mãe neurótica, certo? Ela meio que obriga Fani a prestar uma prova pra poder fazer um intercâmbio na Inglaterra. Isso mesmo que você leu, Inglaterrinha do amor. Porém, fica o questionamento: Fani passará ou não na prova mais difícil de sua vida? Será que é isso o que ela deseja ou o que a mãe dela planeja pra ela? E, no fim, ela quer mesmo ficar UM ANO longe da sua família e amigos? Ainda mais quando se está mudando os olhos pra um certo amigo aí……. QUÊEE?

O amorzinho mais amorzinho de todos amorzinhos

“Esse Leo é meio maluco. (…) eu é que sempre ligo pra ele pra perguntar sobre trabalhos em grupo, mas se bem que nem precisava, já que ele senta praticamente do meu lado, e no fim de semana a gente sempre vai para os mesmos lugares, e todo dia eu recebo um e-mail dele com cada piada mais sem graça do que a outra, e ele é quase tão viciado em filmes quanto eu, aí sempre passa lá em casa sem avisar pra pedir um DVD emprestado da minha coleção (e acaba ficando para assistir lá mesmo, já que eu nunca empresto), mas telefonar, eu acho que ele nunca telefonou.”

Antes de terminar de falar sobre esse livro, não poderia ficar sem dizer sobre o que mais me corroeu e ao mesmo tempo me tirou sorrisinhos fofos durante o livro: O ROMANCE DE FANI E LÉO. Já se prepare! Nesse livro você vai dar uns pulos, porque sempre fica muito óbvio que o Leo gosta da Fani e ela nunca nota – já que tudo é narrado em primeira pessoa você percebe a burrice dessa menina de perto (mentira, te amo Fani).

Aí o Leo começa a namorar a Vanessa, a bitch da história, e você fica COMO ASSIM LEO, PQ? Mas aí rola umas loucura e uns rolê; e isso tem tudo a ver com uma notícia importante que a Fani recebe… Cê vai entender tudinho quando você ler, e por favor, deixe aqui nos comentários se você ficou tão agoniadx quanto eu, pq olha!!!!!!!!

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mas vale muito a pena. Esse é, na verdade, um dos romances que mais valem a pena de ser lidos. É tão inocente e puro, mas ao mesmo tempo tão incerto que tem aquele gostinho de “quero mais”.

E TEM MAIS!

O livro tem continuação, então prepare-se pra viver momentos muito intensos com a Fanizinha, ser muito feliz, dar muitas risadas (de engraçado e de nervouser) e ficarem pra sempre tocados por essa história incrível.

Obrigada, Paula Pimenta!

E OBRIGADA POR LER ESSA RESENHA, se vocês quiserem que eu escreva sobre as continuações, deixe nos comentários! É um prazer estar aqui com vocês,

beijinhos no core,
Sue. <3

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 1 de 1312345... 13››
 
ir ao topo