06 de out 2015

Olá, pessoal!

Hoje vim falar sobre moda e em como você, mulher, deve se vestir. Sabe aquele vestido curto? Então, jogue fora igual aquelas pessoas fazem em O Esquadrão da Moda (nem sei se ainda passa). MEU DEUS, NÃO! Só de escrever duas linhas disso já me revoltei. ‘bora vestir o que quisermos!

Brincadeiras à parte, hoje o post é sobre filmes que abordam o mundo e sobre aquelas pessoas que vivem acerca da moda.

Cinderela em Paris

Embora a Andrey Hepburn tenha virado o ícone da moda que é hoje graças ao Bonequinha de Luxo, escolhi o Cinderela em Paris, de 1957, porque é explicitamente sobre o tema. Fred Astaire é um fotógrafo de moda à procura de um novo símbolo para uma revista. Durante um ensaio fotográfico, ele vê o rosto da personagem de Audrey Hepburn e logo a pede para ser sua modelo. Ela não aceita muito bem a ideia por ser uma simples balconista, mas após alguma insistência, ela concorda em ir à Paris para fotografar. O filme é uma delícia para assistir, gente. Audrey Hepburn como sempre esbanjando fineza e o Fred Astaire tá fantástico também!

Sex and the City

Creio que depois de seis temporadas de Sex and the City, qualquer comentário sobre a história é desnecessário. O filme é de 2008 e se passa após a série, ele continua no ponto de vista da escritora de moda Carrie Bradshaw que, junto com suas amigas tão bem conhecidas, Samantha, Charlotte e Miranda, ainda tem muitas aventuras para contar envolvendo homens, todas sempre vestidas com as melhores roupas. Eu acompanhei pouco a série, mas sempre me divertia muito. O filme é bonito visualmente e tem uma mensagem super legal sobre amizades.

Brüno

Vamos às polêmicas! Vocês conhecem o Sacha Baron Cohen? Ele ficou famoso como Borat! Em 2009, ele incorporou (para dizer o mínimo) um apresentador sobre moda, Brüno. Ele almeja ser famoso e, para isso, viaja ao redor do mundo, claro, sempre fazendo suas críticas sociais com uma grande pitada de humor. Tem pessoas que não gostam do humor escrachado do Sacha, eu adoro!

Os Delírios de Consumo de Becky Bloom

Há em todos nós um pouco de Becky Bloom, acreditem! Os Delírios de Consumo de Becky Bloom é de 2009 e é baseado no primeiro livro da série da Sophie Kinsella, que aliás, estava no Brasil recentemente. Becky é uma jornalista que almeja trabalhar em uma revista de moda e é obcecada por compras, mas seu vício chega no limite diversas vezes. Ela mente para um cara, interpretado pelo britânico Hugh Dancy, para conseguir comprar uma encharpe! Eu confesso que fico com muita raiva das mentiras e extrapolações que a Becky faz para comprar alguma coisa, mas é divertido de assistir. Só tomem cuidado para não se inspirarem nela, gente!

Yves Saint Laurent

Um filme mais recente, de 2014, Yes Saint Laurent retrata a biografia do estilista de mesmo nome. O filme se passa em 1957, quando Yves se junta com seu namorado Pierre Bergè e criam a grife. Ele em si tinha muitos problemas internos, mas mesmo assim conseguiu revolucionar o mundo da moda. Ano passado estavam comentando bastante sobre esse filme e a atuação do francês Pierre Niney no papel de Yves, vale a pena conferir!

Eu não gosto de repetir filmes nos meus posts aqui no blog, mas não poderia deixar de comentar sobre Coco antes de Chanel, de 2008, que tem Audrey Tatou no papel da estilista. Para quem quer saber um pouco mais, confere nesse post sobre mulheres aqui. Também não poderia deixar de fora O Diabo Veste Prada, de 2006, onde a personagem da Anne Hathaway começa a trabalhar em uma revista de moda. Tenho certeza que vocês conhecem esse filme, mas caso queiram ver o post que falei dele, o link é este.

É isso, pessoal!

Os profissionais do meio são respeitadíssimos assim como em qualquer outra profissão. É escolha nossa aderir ou não as tendências da moda. Não esqueçam que o mais importante é se sentir confortável com a roupa que está usando, sem se importar com julgamentos alheios.

Um beijo e até a próxima!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

13 de set 2015

Oi gente, vim contar pra vocês sobre a nova parceira do blog, a Editora Draco. É uma editora brasileira e só publica livros e hq’s de literatura fantástica nacional.

Vou mostrar os títulos da editora que mais me chamaram atenção até agora, pra animar vocês!

 Nome: Um toque da morte
 Autor: Luiza Salazar
 ISBN: 978-85-8243-060-6
 Páginas: 224

 Sinopse: Pode me chamar de Kat. Eu daria tudo para ser apenas uma jovem universitária, preocupar-me com os assuntos discutidos nos trens, nos corredores das escolas, nas ruas: qual roupa vestir na festa, qual o futuro da política do país, quem vai ganhar o jogo esta noite. É, você entendeu.

Mas na minha cabeça só há espaço para uma preocupação: quem será a minha próxima vítima.

Eu sou uma Ceifadora. Isso significa que posso matar com um simples toque das mãos, um dom que desejava todos os dias não possuir. Mas quando aqueles dois estranhos apareceram na minha vida e fizeram tudo virar de pernas pro ar, comecei a entender que existem pessoas que fariam de tudo para controlar esse meu poder indesejável. Até mesmo me matar. É até irônico, né?

Um Toque de Morte é um romance fantástico de Luiza Salazar, uma aventura pelas sombras que se escondem nos becos da cidade.

Não se deixar envolver, não se aproximar demais. Essa é a maldição dos Ceifadores, não poder sentir o mundo com a própria pele.

 

 Nome: Steampunk Ladies
Roteiro: Zé Wellington
Arte: Di Amorim e Wilton Santos
 ISBN: 978-85-8243-149-8 eISBN: 978-85-8243-150-4
 Páginas: 72

 Sinopse: Em um mundo dominado pela violência de foras da lei com próteses mecânicas, nenhum homem era páreo para eles. Até que duas mulheres movidas a vingança e a vapor resolvem desafiar esses bandidos metade homens, metade máquinas.

Como saquear um locomotiva blindada considerada indestrutível? O que um dos maiores inventores do país tem a ver com isso? Tudo isso é parte do plano diabólico para o maior roubo de trem da história, orquestrado por Lady Delillah! Mas em seu caminho estão Sue e Rabiosa, mulheres que têm em comum destinos trágicos pela mão da criminosa. Para elas, mais difícil do que evitar este assalto é provar que duas damas podem ser as protagonistas de sua própria história no ambiente hostil do velho oeste.

Steampunk Ladies: Vingança a Vapor é uma aventura em quadrinhos cheia de invenções e visual que homenageiam o gênero steampunk, com roteiro de Zé Wellington, desenhos de Di Amorim e Wilton Santos, cores de Ellis Carlos e letras e grafismos de Deyvison Manes. Ao decidir não cumprir seu papel esperado pela sociedade, essas garotas se tornarão lendas do faroeste.

 

 Nome: Nós estamos aqui
 Organização: Jim Anotsu e Carol Christo
 ISBN: 978-85-8243-053-8
 Páginas: 112

 Sinopse: Ser jovem não é fácil. O presente exige a nossa atenção mesmo que a cabeça insista em temer o tal do futuro. Hormônios em fúria ou começando a se acalmar sob um mar de insegurança. É a época onde boa parte das grandes aventuras da vida acontece. Tristes ou alegres, solitárias ou salpicadas de gente, essas histórias precisam ser contadas.

Nós Estamos Aqui – histórias da juventude é a coletânea da Editora Draco sobre as angústias e as delícias da adolescência, cheia de som e fúria, sentimentos e fantasia. Leia nove relatos sobre máquinas curiosíssimas, latas de tinta caóticas, amores platônicos e mixtapes, noites de sábado inesquecíveis, irmãos perdidos, amores nascidos em redes sociais ou em cabanas outonais. São histórias que se entrelaçam, se misturam e escapam da invisibilidade com uma mensagem simples: nós estamos aqui.

Os jovens organizadores Jim Anotsu e Carol Christo dão a palavra a um time de escritores novinhos em folha, formado por Gabriela S. Nascimento, Lucas Rocha, Leonardo Siviotti, Valentina Silva Ferreira, Mary C. Müller, André Caniato e Roberta Grassi. Não importa a sua idade, lembre-se da dor de crescer.

 

 Nome: Terra Morta: Fuga
 Autor: Tiago Toy
 ISBN: 978-85-62942-32-7
 Páginas: 248

 Sinopse: Em Terra Morta: Fuga, o leitor acompanhará uma saga de sobrevivência ao terrível mal que assolou o interior de São Paulo e agora se dirige à capital. Tiago é um rapaz introspectivo que sempre sonhou em viver na megalópole de São Paulo e buscar novos desafios. Só não imaginava que sua chance chegaria da pior maneira possível.

Jaboticabal, sua cidade natal, é o cenário de um terrível apocalipse zumbi, uma tragédia que parece saída de um videogame ou filme de terror. De repente, o jovem acostumado a treinos de parkour e muito trabalho precisa lutar para sobreviver. Nenhum local é seguro, ninguém mais é confiável, água e comida não são mais garantidas no dia a dia. Mesmo que a mente custe a acreditar, não há tempo para duvidar da realidade. A única opção é fugir. A cada pessoa que Tiago encontra, uma surpresa. Aliado ou inimigo? Nunca uma certeza.

Tiago e seus companheiros deverão enfrentar o passado e seus medos, e em meio a um mar de zumbis canibais, descobrirão que o maior inimigo ainda são os humanos. Descubra a origem da infecção enquanto corre sem parar, uma aventura dramática que é sucesso na internet e agora se torna uma série de livros. Pegue apenas o necessário e corra sem olhar para trás.

Gostaram? Já estou ansiosa para ver os próximos lançamentos.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

23 de ago 2015
 Nome: Eu odeio te amar
 Autor: Liliane Prata
 Editora: Gutenberg
 ISBN: 9788582352977
 Páginas: 240

 

 

Estava muito animada pra mostrar esse livro aqui no blog, desde que recebi da editora. Ele estreou agora em Agosto e veio cheio de amor – e ódio.

Preciso apresentar pra vocês minha amiga Débora. Na verdade, Débora é a personagem do livro, mas poderia bem ser mesmo amiga, me sinto incrivelmente próxima dela, cada vez que algo acontecia no livro, tinha vontade de enfiar meus braços pelas páginas e abraçá-la.

Débora acorda em seu dia de noiva, o dia de seu casamento, se sentindo péssima. Como isso é possível? Eu te respondo. Na noite anterior ela pegou o noivo a traindo, no escritório da empresa em que trabalha, com a irmã do sócio.

Ao invés de fazer um escândalo e interromper a cena (o que eu teria feito), ela sai de fininho para amargar sozinha a dor de ter sido traída. Agora, com todas suas certezas abaladas ela precisa tomar uma decisão.

Ainda no começo do livro ela decidiu continuar com o casamento e se vingar depois, é ai que a parte dramática, engraçada e caótica começa. A cruzada para encontrar um amante, sendo recém casada.

Nesse meio tempo, ela está começando em um novo emprego. Débora é recém formada em jornalismo e apesar de se decepcionar por não ter o trabalho nos sonhos, aceita trabalhar na revista ‘Joy’ para ganhar experiência (Quem nunca, não é mesmo?).

O livro tem uma interação bem legal com o digital, em vista que os personagem são super ligados nas redes sociais. Amei o fato de que as mensagens aparecem em balões característicos das redes, sejam elas no whats, facebook, email ou tinder (alias, rola uma imersão super divertida no Tinder).

A escrita é super descontraída, é como se estivéssemos lendo o diário de uma amiga, com seus pensamentos na integra. Além das divisões de capítulos normais, há esses títulos mega engraçados sempre que muda o dia ou o horário. A diagramação é bem legal, margem, fonte, espaçamento e cor da página bem agradáveis, tornaram a leitura leve e rápida.

Quanto mais o tempo passa, mais surtada Débora fica. Com um pé no chão e o outro na lua, ela muda de ideia mil vezes, sempre que a história está esfriando ela inventa algo novo para nos deixar angustiados, imaginando o que vai acontecer.

Isso foi o mais engraçado para mim, em um segundo tem certeza absoluta de algo, jura pra si mesma e quando percebemos, ela já fez algo ou desistiu.

Trecho do livro:
Como eu vou fazer, ainda não sei. Mas vou dar um jeito, ah se vou! Faço sexo neste fim de semana ou não me chamo Débora.

***

Estou pensando em mudar de nome, sinceramente. (…)

A capa ficou um charme e já conta uma história por sí só. Fiquei tentando decifrar por ela qual seria o final do livro, realmente não consegui prever o plot até que ele chegasse, agora chega, sem spoilers, LEIAM!

E as surpresas continuaram me pegando mesmo depois que terminei o livro. Quando fui pesquisar sobre a autora, descobri os outros livros dela e que na verdade a Débora era personagem da série ‘O diário de Débora’ – só que agora adulta. Quase não acreditei, pois a forma como o livro foi escrito, não deixou a desejar no aspecto detalhes, portanto, se você como eu não leu os outros livros, pode se jogar nesse tranquilamente. Caso queira a experiência completa procure pelos anteriores.

Outra surpresa foi o quão fofa a autora é, sério, vi alguns vídeos dela e super simpática, vale a pena acompanhar, então:

Blog | Canal no youtube

Agora me contem, já foram traídas? O que fariam caso acontecesse na véspera do seu casamento?

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 4 de 131 ...12345678... 13››
 
ir ao topo