30 de dez 2017

Realmente espero que vocês não tenham entendido literalmente o nu do título, por favor né gente, vocês sabem que eu gosto de umas reflexões.
Mas se quiser começar o ano peladão, todo apoio!

O mais engraçado para mim é que eu gostaria de escrever apenas: DEIXEM AS BAGAGENS NEGATIVAS PARA TRÁS! E ir embora, porque depois de tanto pensar parece simples, mas vou falar mais a respeito.

Provavelmente, ano passado mesmo, eu estava reclamando de como as pessoas usam o ano novo como desculpa para traçar novas metas, não fazer nada a respeito e reclamar que elas não se cumpriram. Não discordo da Carla do ano passado, pois a falta de ação realmente não leva ninguém a nada, as coisas raramente caem em nossos colos, porém, metas são importantes, mesmo as otimistas demais. Quando focamos em um objetivo já pensando em seu sucesso, há possibilidades de que seu empenho, mesmo frente a adversidades, seja maior. Segundo o estudo que eu acabei de fazer aqui na minha vida.

Se você começa a fazer algo já achando que nunca vai conseguir, acaba nem tentando tanto quanto tentaria se estivesse pensando: Vou treinar até ficar foda.

Outro pensando a ser abandonado ou ao menos repensado é: Esse é o meu jeito, eu só não gosto/não consigo. O que já faz um flashback ao meu texto “Não com essa atitude”. No momento em que você não quer abrir o pensamento para algo, procura qualquer desculpa para não precisar. Tanto se perde quando você não está disposto a conhecer novas coisas, quando as suas certezas estão tão decididas que distorcem a realidade a ponto de que você pense que só o que você ama/conhece, é bom. Abra seus olhos, ouvidos e mente para o que o mundo ainda tem a te oferecer.

É importante que você esteja preparado para as situações, que você pense de forma realista e tenha consciência das consequências dos seus atos, mas que também saiba que as vezes é bom tentar chegar ao seu destino pegando uma estrada incerta. Que viver as emoções desse caminho que você pegou sem saber aonde iria, também é válido. E que o que não sair perfeito no final, não é um fracasso, é só a vida. E ela nunca vai ser perfeita como a sua idealização, porque a perfeição não existe.

Descarte as neuras do passado porque quando se olha para o plano geral, ninguém quer saber se sua unha do dedão do pé é encravada. As pessoas são se lembram mais daquela besteira que você falou em 2009, ou talvez, se foi algo muito horrível, você ainda pode pedir desculpas. Remoer situações e guardar rancor só te envenenam, resolva!

Não se abale com comentários negativos feitos no calor do momento por pessoas próximas ou não. Há grandes chances daquela pessoa só estar falando aquilo por não ter mais nada para falar e se esse for o caso, ela pode ficar com o conselho de Pitágoras: Se o que tens a dizer não é mais belo que o silêncio então cala-te.

O mesmo pode ser dito a opiniões não solicitadas feitas por pessoas que acham que te conhecem. Elas valem tanto quanto você pagou por elas: Nada.

– 2018, pode entrar!


Quanto ao look, simplesmente amei usa-lo. O cropped foi feito pela Dona Carmen (costureira amiga), a saia custou R$5,00 em um brechó e os sapatos são veganos da Urban Flowers, um amor de loja. O óculos é da Chilli Beans, fazia muito tempo que eu não tinha um óculos real oficial, espero que os fakes não tenham derretido minhas retinas.

Look ilustrado:

/roda

Fotos por Simone Montilares

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

20 de dez 2017

Amo soundtracks, sempre descubro músicas incríveis enquanto assisto séries e filmes, ouçam essa baixinho enquanto olham o post, porque me fez refletir a vida. Apesar que ultimamente tudo faz.

Pausei o episódio de Greys Anatomy que estava assistindo para encontrar essa música, porque achei que me refletia, o nome dela é Everything At Once (Tudo de uma vez).

Esperei essa vontade de fazer tudo passar, um cara uma vez me disse que eu não podia fazer tudo ao mesmo tempo, que eu teria que focar em algo, morri de ódio, fiz textão aqui, não aceitei. A partir dai comecei a reparar como as pessoas dizem isso, que quem faz muita coisa ao mesmo tempo não faz nenhuma direito, ainda não sei avaliar o quão corretas essas afirmações estão.

Porque concordo que quem foca em uma coisa, estuda e se dedica apenas a ela por muito tempo, eventualmente se torna especialista na mesma, compreendo a motivação das pessoas para fazerem isso. Mas como suportam? Por favor, se você é uma dessas pessoas, me ilumine. Como você conseguiu escolher apenas uma coisa, do infinito leque de coisas, profissões, hobbies, etc.

Em que momento seu autocontrole trabalhou tão fortemente a ponto de que você gostasse apenas de uma coisa ou que gostasse de várias, porém não se dedicasse a delas, permanecesse como espectador.

Me pergunto se um dia uma só paixão vai me guiar, se vou esquecer das outras, se nunca mais vou me interessar por novas coisas. Porque faço muitas coisas e todo dia encontro algo novo para a coleção de coisas que ainda quero fazer, mas não tenho tempo. Por enquanto.

Gosto disso, ser inquieta, ter a coceirinha do aprender algo novo todos os dias, mas fico curiosa sobre como a vida de uma pessoa com foco em uma só coisa é.

Essas fotos foram tiradas pela Barbara Graves, no dia da confraternização de fim de ano que fizemos entre nosso grupo de blogueiras. Essa rua é uma graça, a kombi é apenas um complemento, hahaha. O vestido foi feito pela Dona Carmen, costureira amiga, e como o look já estava muito branco, fiz um olho colorido para balancear.

Oxford vai com tudo, mas ultimamente só consigo pensar que preciso de um marrom ou caramelo. <3

Look Ilustrado:

 

Extras:

Correndo pra não ser atropelada

Uaaaau

Rindo por causa do Uaaau

Vestido: Acervo Sapato: Via Uno Batom: Bruna Tavares

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

12 de dez 2017

Houve um tempo em que eu me engajava em discussões na internet, debatia fervorosamente sobre assuntos que pareciam relevantes o bastante. Essa época me ensinou muita coisa, sobre os temas debatidos, as pessoas, na internet e fora dela e sobre mim.

Hoje em dia eu não suporto entrar na rede social em que isso se passava, porque sempre que encontro um debate desses quero sair correndo, minha paciência, assim como a de pessoas que me ensinaram muito lá atrás, acabou. É uma pena, mas enfim, entrei nesse assunto porque uma das coisas pela qual eu levantava minha bandeira e voz, era quando pessoas falavam sobre talento. A ideia de que talento artístico já vem com a pessoa quando ela nasce é extremamente ofensiva, remove qualquer mérito por esforço e aprendizado do indivíduo.

Eu amo contos de fadas, histórias de super heróis, mas infelizmente eles não são reais. Sei que para pessoas religiosas se considera uma benção uma predileção divina para determinada coisa, consigo entender muitos lados, mas culpar o talento ou a falta dele é perder oportunidades na vida.

Tentar algo uma, duas vezes, falhar e nunca mais tentar novamente, assumindo que você não teve o privilégio de nascer com esse dom é arrumar uma desculpa para não se dedicar a algo, pura e simplesmente. Portanto se você escolher se lamentar por algo, repetidamente, verifique se não depende unica e exclusivamente de você.

Esse conselho não é só para vocês, porque sei que apesar de estar deixando 2017 muito menos reclamona do que comecei, ainda caio no erro. Em um episódio da segunda temporada de Rick&Morty ocorre o seguinte diálogo:

Morty: Rick você é realmente um músico?

Rick: Quem não é um músico Morty?

Morty: Eu

Rick: É, Não com essa atitude.

O “Não com essa atitude” resume tantas situações da vida que aderi, estou usando com vários amigos, experimentem!

Kimono: Brechó Short: C&A Blusa: Loja Renner Oxford: Via Uno

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 4 de 161 ...12345678... 16››
 
ir ao topo