04 de out 2014

ifistay

Assisti o ‘Se eu ficar (If i stay)’ antes de ler o livro, talvez isso tenha influenciado na minha opinião, mas essa foi uma das poucas vezes, que eu gostei tanto do filme quanto do livro. Vou mostrar o trailer, a sinopse do livro e a minha opinião, para ver se vocês se interessam.

Livro: Se eu ficar (If i stay)

Autor: Gayle Forman

Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581635415
Número de páginas: 224

Sinopse: Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir aos esforços dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera… e o seu amor luta para ficar ao seu lado. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.

Trailer:

Se você ainda não leu o livro ou viu o filme pode ficar tranquilo, não vou revelar mais do que o próprio trailer do filme revela, afinal o grande conflito da história é: Ela vai ficar ou não?
Li pelo Kindle a versão digital e apesar de não poder fazer considerações sobre o formato físico, uma coisa eu posso afirmar:
Esse não é o tipo de livro que você se perde e precisa voltar páginas, para entender o que está acontecendo. Você fica tão absorto enquanto Mia relata pequenos momentos de sua vida, que nos liga a sua família, de forma que ela passa a ser um pouco nossa (Se eu pudesse adotaria seus pais e irmão).
Para quem gosta de instrumentos músicais, no livro Mia descreve diversas vezes como se sente ao tocar e ouvir, cita obras diversas e termos técnicos com o que nem todo mundo está familiarizado. Como podem ver no trailer o instrumento músical que ela toca é o violoncelo, meu favorito. <3

No filme a relação dela com o namorado é mais conturbada que no livro, imagino que foi uma forma de criar mais conflitos para a história, fiquei feliz em não lê-los no livro. Há também uma amenização do acidente, a parte mais chocante da história, as cenas do filme são mais suaves.

Você teria motivos o bastante para querer ficar?
O romance do filme não tem o mimimi cansativo que outros filmes teriam, o foco não é esse.
Ambos, filme e livro, são muito emocionantes, chorei demais com as situações. É fácil se colocar no lugar de Mia, pensar na sua vida virando de pernas para o ar e se imaginar perdendo tudo de uma hora para outra. Isso sempre nos faz pensar nas reclamações bobas do dia a dia e que deveriamos dar mais valor a cada momento com as pessoas de quem gostamos.

Muito surpresa, descobri ao final um capítulo para o próximo livro da série, pois é, eu nem sabia que os livros eram uma série, o nome do segundo livro é “Para onde ela foi” e já está em pré-venda.

Caso queiram comprar o livro, está com desconto no submarino.
E ai, gostou? Já leu/assistiu ‘Se eu ficar’?

Esse post não foi patrocinado

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

25 de jul 2014

Sinto várias lacunas cinematográficas na minha vida e tentando preenche-las descobri vários filmes legais, que nunca tinha sequer ouvido falar. Vou falar um pouco sobre eles conforme for assistindo, hoje vão ser 5 :)

Goonies (The Goonies – 1985)
Meus amigos me recomendaram esse filme não acreditando que eu nunca tinha assistido. Aparentemente ele passava o tempo todo na sessão da tarde e eu sempre perdi. E como eu ri, nossa!
Algumas coisas são bem galhofas por ser um filme antigo, mas é tão cômico que não dá pra resistir.

Sinopse: Com os prédios de seu bairro estando prestes a ser demolidos, o que forçará a mudança de todos os residentes do local, um grupo de garotos resolve organizar uma cerimônia de despedida do local. Quando descobrem um legítimo mapa do tesouro, capaz de torná-los ricos e evitar a destruição de suas casas, Os Goonies resolvem partir em uma grande aventura

Gatinhas e Gatões (The Sixteen Candles – 1984)
A história do casal em si não me prendeu tanto, mas sim as coisas que aconteciam em volta. Realmente sinto falta desse humor antigo, coisas assim me fazem querer ter nascido em outra época.

Sinopse: Samantha Baker (Molly Ringwald), uma adolescente que está completando 16 anos, sonha em namorar com um colega do colégio, que infelizmente namora uma linda jovem. Além disso, em virtude do casamento de sua irmã mais velha seu aniversário é totalmente esquecido, e como se não bastasse, um garoto começa a assediá-la de forma inconveniente.

Clube dos Cinco (The Breakfast Club – 1985)
Gostei muito desse filme, ele junta numa mesma sala os estereótipos clássicos de escola: O rebelde, uma garota popular, um nerd, um atleta e uma “esquisita”. Observar e entender como eles lidam com suas diferenças e conflitos é muito legal <3

Sinopse: Em virtude de terem cometido pequenos delitos, cinco adolescentes são confinados no colégio em um sábado, com a tarefa de escrever uma redação de mil palavras sobre o que pensam de si mesmos. Apesar de serem pessoas completamente diferentes, enquanto o dia transcorre eles passam a aceitar uns aos outros, fazem várias confissões e tornam-se amigos.



Curtindo a vida adoidado (Ferris Builler’s day off – 1986)
Pois é, eu nunca tinha assistido esse filme. Algumas coisas são tão impossíveis que você fica “Caramba, não acredito”. Muitos acham esse filme muito bem feito e uma grande referência pela forma como foi filmado

Sinopse: No último semestre do curso do colégio, Ferris Bueller (Matthew Broderick) sente um incontrolável desejo de matar a aula e planeja um grande programa na cidade com sua namorada (Mia Sara), seu melhor amigo (Alan Ruck) e uma Ferrari. Só que para poder realizar seu desejo ele precisa escapar do diretor do colégio (Jeffrey Jones) e de sua irmã (Jennifer Grey).

Dirty Dancing (Dirty Dancing – 1987)
Adoro filmes de dança, alguns dos mais antigos ainda não assisti. Minha vontade é sair dançando loucamente pelo quarto hahaha. Dirty Dance é um clássico, mesmo quem não assistiu conhece a cena de dança final e sabe que “The time of my life” era a trilha sonora no filme.

Em 1963, Frances Houseman (Jennifer Grey), ou “Baby”, como é chamada pela família, uma jovem de 17 anos, viajou com seus pais, Marjorie (Kelly Bishop) e Jake Houseman (Jerry Orbach) e sua irmã Lisa (Jane Brucker) para um resort em Catskills. Ao contrário de Lisa, que pensa em roupas, Frances é idealista e quer estar no próximo verão no Corpo da Paz estudando a economia dos países do Terceiro Mundo. Assim, ela espera que este seja o último verão como uma adolescente despreocupada, mas Baby não se dá muito bem com sua irmã mais velha e está entediada em tentar distrair os hóspedes mais velhos (foi envolvida nesta situação por seu pai). Até que numa noite Baby ouve algo que parece ser um som de festa no alojamento dos funcionários (que os hospedes não podem ter acesso). Ela consegue entrar na festa graças a um empregado e descobre que ali o pessoal realmente se diverte com danças, que Max Kellerman (Jack Weston), o dono do hotel, não permite. Baby chega a dançar com Johnny Castle (Patrick Swayze), um professor de dança, e logo fica apaixonada por ele. Quando Penny Johnson (Cynthia Rhodes), a parceira de dança de Johnny, fica grávida por ter se envolvido com Robbie Gould (Max Cantor), um dos garçons, Baby se oferece para aprender a dançar e substituir Penny, mas o pai de Baby, quando descobre, não gosta disto, pois considera que Johnny é de outra classe social e Baby é jovem demais para entender seus sentimentos.

Já assistiu ou assistiria algum dos filmes?

Sinopses: Adorocinema.com

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

19 de jul 2014

Fiz esse post correndo, me desculpem o deslexo, mas hoje teve youpix, mal deu tempo respirar.

Desenhei e pintei com aquarela os personagens dos meus filmes infantis favoritos, espero que gostem <3

Procurando Nemo e Lilo & Stitch
Valente, A noiva cadaver e Frozen
Coraline e Anastasia.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 27 de 29«1 ...23242526272829››
 
ir ao topo