17 de mar 2017

Oi gente, eu sou a Maria Carolina, mas se vocês quiserem, Carol ou até mesmo Maria Carol. Sou a nova colaboradora do blog e vou falar sobre música. E meu primeiro post, vou falar sobre o ‘Divide‘, novo álbum do Ed Sheeran.

Depois de dois anos de hiato musical e das redes sociais, Ed Sheeran voltou com tudo! Quem pensou que ele poderia estar descansando e aproveitando a vida, pensou errado. Ed utilizou (e muito) bem o tempo para compor músicas novas para o seu terceiro álbum de estúdio, o ‘Divide’ (÷), lançado no dia 3 de março de 2017.

O sucessor do ‘Plus’ (+) e ‘Multiply’ (x), está disponível em CD (edição padrão) com 12 músicas CD (edição deluxe) com 4 faixas bônus, download digital e também vinil. “Shape of You” e “Castle on the Hill“, os dois primeiros singles do álbum, foram lançados simultaneamente no dia 6 de janeiro. Ah, e os clipes das duas músicas já estão disponíveis para você curtir, respectivamente, aqui e aqui.

E o sucesso de ‘Divide’ já pode ser representado em números. Considerado um dos melhores álbuns de 2017 (ou melhor), estreou em 1° lugar na Billboard. E em menos de 15 dias, já vendeu mais de 4 milhões de cópias no mundo inteiro. Fora que Ed Sheeran já é considerado o rei do Spotify, com mais de 56,73 milhões de streams em um ÚNICO DIA. Você não leu errado, em apenas um dia. Todas as faixas do álbum (edição deluxe) foram direto para o topo do chart Spotify Global 50, enquanto Sheeran é o artista mais executado na plataforma com mais de 45,5 milhões de ouvintes mensais.

É possível esperar ainda mais sucesso? Claro que é! Os números ainda vão crescer e não duvido que possa aparecer mais uma indicação ao Grammy, e quem sabe, o ruivinho leve uma estatueta para casa.

Se você não conhece lançamento de Ed Sheeran, pode ouvir o álbum na playlist abaixo:

Agradecimentos ao site Ed Sheeran Brasil por todas as informações citadas no post.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

16 de mar 2017

Nome: Fazendo Meu Filme Vol.1
Autoras: Paula Pimenta
Editora: Gutenberg Autentica
ISBN: 9788589239844
Número de páginas: 336
Sinopse: “Fazendo meu filme” nos apresenta o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em um outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades.

Alouu!

Antes de tudo, gostaria de dizer que euzinha estou muito animada (na verdade, feliz pra caramba) por poder fazer parte de uma equipe tão incrível quanto a do Faltou Açúcar e entrar em contato com vocês, e estarei aqui todas as quintas-feiras falando de um assunto tão amorzinho quanto esse blog: livros!

E agora, vamos à um livro que vai fazer vocês gritarem de tanta paixão: FAZENDO MEU FILME, da Paula Pimenta!

“Desliguei o computador, fui até a cozinha e voltei com uma lata de leite condensado. Liguei a minha televisão, coloquei o DVD do Diário da Princesa e deitei debaixo do edredom, para assistir e entender de uma vez por todas que a vida nunca ia ser perfeita como um filme.”

Como cheguei até ele?

Era uma vez, um livro com a capa rosa cheia de fofurices na capa. Sue, que vos escreve, olhou para esse livro com uma curiosidade tamanha. Enquanto analisava o livro, ela percebeu que todos os capítulos começavam com um trecho de um filme diferente. “Que coisa mais louca”, pensou, “quem escreveu essa obra?”. Paula Pimenta foi sua resposta. Sue comprou o livro e depois disso não conseguiu mais largá-lo.

Paula Pimenta, esse nome não é estranho, certo? Certíssimo! Uma escritora brasileira que tem vários livros com temática jovem e feliz. Fazendo o meu filme é um deles. Na verdade, são 4 deles, pois trata-se de uma coleção! Não é incrível ter algo produzido com tanto amor e carinho por alguém do nosso país?

Foi assim que eu decidi que esse livro era um must e agora tô aqui repassando a informação, porque AI GENTE TEM QUE LER.

Fani, gente como a gente

Estefânia (sim), mais conhecida como Fani, é uma estudante muito garota que é a louca dos filmes. Ela tem costume de classificar todos eles por estrelinhas, e todos os que ganham 5 estrelas vão pra coleção dela de DVDs (se Fani existisse na “Era Netflix”, Fani estaria surtando, certeza).

Fani tem seus melhores amigos: Leo (<3), gatinho inteligente incrível e sincero; Gabi, melhor amiga pra todas as horas sempre disposta a ajudar; e Natália, louca desvairada mas que a gente ama. Outros personagens importantes são: a Mãe da Fani, neurótica pelo melhor da filha; o Alberto, irmão mais velho que você aprende a amar; e a Priscila, moça fofa que depois ganha uma série pra si mesma da Paula Pimentinha.

Ah, e fato importante: você se lembra daquele professor gatinho pelo qual você costumava suspirar durante as aulas e ficar perdidinha na matéria? Ele meixmo, o professor de biologia de Fani. Ih, várias treta com isso aí amigas, mas aqui vai algumas dicas sobre o que estou dizendo: telefone, admiradora secreta e B.O. real oficial.

Vamos viajar, sim ou não?

Já comentei sobre a mãe neurótica, certo? Ela meio que obriga Fani a prestar uma prova pra poder fazer um intercâmbio na Inglaterra. Isso mesmo que você leu, Inglaterrinha do amor. Porém, fica o questionamento: Fani passará ou não na prova mais difícil de sua vida? Será que é isso o que ela deseja ou o que a mãe dela planeja pra ela? E, no fim, ela quer mesmo ficar UM ANO longe da sua família e amigos? Ainda mais quando se está mudando os olhos pra um certo amigo aí……. QUÊEE?

O amorzinho mais amorzinho de todos amorzinhos

“Esse Leo é meio maluco. (…) eu é que sempre ligo pra ele pra perguntar sobre trabalhos em grupo, mas se bem que nem precisava, já que ele senta praticamente do meu lado, e no fim de semana a gente sempre vai para os mesmos lugares, e todo dia eu recebo um e-mail dele com cada piada mais sem graça do que a outra, e ele é quase tão viciado em filmes quanto eu, aí sempre passa lá em casa sem avisar pra pedir um DVD emprestado da minha coleção (e acaba ficando para assistir lá mesmo, já que eu nunca empresto), mas telefonar, eu acho que ele nunca telefonou.”

Antes de terminar de falar sobre esse livro, não poderia ficar sem dizer sobre o que mais me corroeu e ao mesmo tempo me tirou sorrisinhos fofos durante o livro: O ROMANCE DE FANI E LÉO. Já se prepare! Nesse livro você vai dar uns pulos, porque sempre fica muito óbvio que o Leo gosta da Fani e ela nunca nota – já que tudo é narrado em primeira pessoa você percebe a burrice dessa menina de perto (mentira, te amo Fani).

Aí o Leo começa a namorar a Vanessa, a bitch da história, e você fica COMO ASSIM LEO, PQ? Mas aí rola umas loucura e uns rolê; e isso tem tudo a ver com uma notícia importante que a Fani recebe… Cê vai entender tudinho quando você ler, e por favor, deixe aqui nos comentários se você ficou tão agoniadx quanto eu, pq olha!!!!!!!!

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Mas vale muito a pena. Esse é, na verdade, um dos romances que mais valem a pena de ser lidos. É tão inocente e puro, mas ao mesmo tempo tão incerto que tem aquele gostinho de “quero mais”.

E TEM MAIS!

O livro tem continuação, então prepare-se pra viver momentos muito intensos com a Fanizinha, ser muito feliz, dar muitas risadas (de engraçado e de nervouser) e ficarem pra sempre tocados por essa história incrível.

Obrigada, Paula Pimenta!

E OBRIGADA POR LER ESSA RESENHA, se vocês quiserem que eu escreva sobre as continuações, deixe nos comentários! É um prazer estar aqui com vocês,

beijinhos no core,
Sue. <3

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

14 de mar 2017

Hey pessoas, aqui é a Bia, nova colaboradora do blog para a categoria TV e Cinema, e para o meu primeiro post eu resolvi trazer para vocês uma pequena listinha de documentários que podem ajudar a entender o movimento feminista é a importância dele na nossa sociedade. Escolhi falar um pouco sobre essa temática por duas razões principais:

1ª: Dia oito foi o dia das mulheres e considero que é uma época bastante importante para a gente pensar o quanto ser mulher significa ser um ser de luta. Luta por espaço, por voz, por direitos…
2ª: Até hoje o feminismo é um assunto que incomoda muita gente, principalmente pela grande quantidade de “desinformação” que circula na internet, então considero de extrema importância a gente buscar e mostrar materiais que possam desconstruir isso. E acredito que esses documentários podem ajudar.

Agora chega de razões do porque desse post e vamos a lista, ela não é muito grande pois não é tão fácil encontrar documentários sobre mulheres ou temas da nossa vivencia. Aquela coisinha chamada representatividade já tá em falta nos filmes/séries, imagina nos documentários.

THE HUNTING GROUND

Um dos documentários que aborda, na minha opinião, uma das maiores lutas do movimento feminista e um dos maiores problemas sociais que a gente tem no mundo, a cultura do estupro. O foco do documentário é mostrar, através do relato de alguns vitimas, os inúmeros casos de estupro nas universidades americanas. Mesmo que a nossa realidade seja um pouco diferente, eu acredito que a grande questão ao assistir esse documentário é que ele mostra como a cultura do estupro é algo que está internalizado na nossa sociedade. Como é comum culpabilizar a vitima e esconder o que aconteceu. Além disso, ele também aborda uma outra questão bastante importante ao discutir essa temática, que nem sempre o agressor será alguém que a gente não conhece, pode ser alguém da família, alguém que estuda na sua sala, enfim, alguém que é da sua convivência social.

Uma curiosidade é que a cantora Lady Gaga foi quem produziu a musica tema e a musica, inclusive, foi indicada ao Oscar. Ela abraçou o projeto pois foi estuprada enquanto estava na universidade, então a apresentação da musica para a cerimonia também é bastante emocionante, recomendo vocês assistirem depois do documentário.

Ah! O documentário está disponível na Netflix.

CLANDESTINAS

O aborto ainda é considero crime no Brasil, mas isso não impede que ele seja realizado. E esse documentário vai relatar exatamente isso, historia de mulheres que, por diferentes motivos, já realizaram um aborto. É um documentário incrível e emocionante que com os seus vinte e poucos minutos de duração consegue quebrar muitos preconceitos.

Ele está disponível no youtube gratuitamente, então vou deixar o vídeo aqui para vocês.

SHE’S BEAUTIFUL WHEN SHE’S ANGRY

E claro, não poderia deixar de fora dessa lista um documentário que falasse um pouco sobre a historia do movimento. Esse é um documentário que eu já adoro desde o seu titulo, She’s Beautiful When She’s Angry (ela é linda quando está brava), que é super provocador. Nele vamos conhecer um pouco da luta das mulheres contra o feminicídio, estupro, aborto nos anos de 1966 a 1971. Mas, pra mim, as duas grande questões dele é que:
1. Mostrar grandes mulheres que lutaram para que hoje pudêssemos estar aqui falando de questões tão importantes da vida das mulheres e 2. Dá um choque ao mostrar como algumas questões ainda são tão atuais.

O documentário é realmente muito bom, pois também mostra que uma luta sempre está atrelada a outra quando faz o recorte para questões das mulheres negras e das mulheres lésbicas.

Ah! E esse também está disponível na netflix.

Então é isso, espero que vocês tenham gostado e não deixem de me contar nos comentários qual ficou mais interessado em ver ou se já viu algum. xoxo :*

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 2 de 206123456... 206››
 
ir ao topo