28 de jan 2014

Por parte da minha adolescência eu fui otimista, juro, esperava sempre coisas boas. Acreditava nas pessoas esperando o melhor delas. Uma sonhadora, porém não percebia como estava sendo ingênua.
Eu quebrei a cara, quebrei de novo e de novo. Quando imaginava as coisas que estavam por vir, eu tinha medo do quanto ia me machucar se não saísse pelo menos parecido com a forma que pensei.
Precisei de um trauma pra entender que as coisas nunca saem como a gente imagina.
Não vou contar o que aconteceu, mas foi tão oposto ao que eu esperava, que praticamente não teria sido capaz de imaginar.
Na época eu estava lendo ‘As crônicas de Nárnia’ e acabei caindo na parte do brejeiro (criaturas que se assemelham a espantalhos e são muito pessimistas), que previa destinos terríveis até para a menor das situações, pois segundo seu pensamento nada pior além do pior poderia acontecer.
Isso acendeu uma lâmpada na minha cabeça e até hoje para mim faz muito sentido.
Não fiquem chocados, eu explico o por quê.
A partir de um ponto da vida várias coisas começaram a dar errado pra mim e isso foi me deixando depressiva, então cada vez que eu esperava que algo bom fosse acontecer ou imaginava uma situação e na vida real não acontecia, eu ficava para baixo.
Nesse ponto você pode estar pensando, ‘Mas que frescura’ e alguns de vocês nunca entenderão mesmo. Praticar o pessimismo talvez tenha salvado minha vida.
Alternando momentos de alegria histérica e tristeza, eu consegui aos poucos encontrar meu equilíbrio.
Aprender a esperar pelo pior me preparou para as decepções e me ensinou ao mesmo tempo a dar valor as coisas boas.
Hoje em dia eu espero coisas boas para mim, mas asseguro de deixar a Carla pessimista já planejando o que fazer se tudo der errado.
Ps: Sei que algumas coisas que descrevi são sinais de bipolaridade, mas nunca fui ao psicólogo comprovar.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

26 de jan 2014
24 de jan 2014
Louis Lander Deacon, fotografo britânico, 20 anos, tem chamado atenção de muita gente por aí.
 
 
Utilizando apenas sua Canon Mark II e Photoshop, Louis nos impressiona. As fotos abaixo fazem parte da série Dreamer, o autor diz que a inspiração para tirá-las veio de um sonho no qual ele era capaz de levitar.
Já fez trabalhos para Warner Brothers, Echosmith, Interscope, entre outros. A foto acima inclusive, foi usada como capa do EP Continued Silence do Imagine Dragons.
Visitem o site e o Flickr dele, garanto que não vão se arrepender, as fotos são incríveis. Quem sabe não surge inspiração para vocês também.
Site | Flickr

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 201 de 214«1 ...197198199200201202203204205... 214››
 
ir ao topo