27 de jun 2014

Já faz algum tempo que eu li o Valente, tanto tempo que minha penteadeira nem é mais branca, porém não podia deixar de fazer uma resenha sobre ele.

Sinopse: Valente conta a história de um tímido jovem à procura do amor de sua vida. Mas esta não é a típica história de amor que se vê nos filmes, seriados e novelas. Mais próxima da realidade, ela mostra como os diferentes parceiros que encontramos pelo caminho e todas as experiências que passamos ao lado deles influenciam em quem somos e em quem vamos nos tornar. Sucessos e fracassos, alegrias e decepções, Valente é sobre as garotas que encontramos em nossas vidas antes de encontrarmos A garota de nossas vidas.

Atribuí: 3

Apesar de parecer infantil, principalmente pelos personagens serem representados por animais (♥), tem uma pegada mais adolescente, conta a história de Valente com muito bom humor e ironia, passando por situações como o primeiro amor, a primeira friendzone, sua relação com os amigos e as mudanças do fim da escola/começo da faculdade.

Tirando a parte lúdica dos bichos, é bem real. Comecei a imaginar as pessoas em minha vida como bichos, hahaha, ainda estou decidindo qual eu seria.

A ilustrações são maravilhosas, me apaixonei completamente pelo traço e já estou ansiosa pelo próximo volume

Leia algumas das tirinhas:

 

A série foi criada pelo Brasileiro Vitor Cafaggi e possui três livros até então, disponíveis no site da Panini.
Blog do Vitor Cafaggi | Valente na Panini

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

24 de jun 2014
23 de jun 2014

Quando soube dessa exposição fiquei de imediato louca para ir. Vou mostrar um pouco como foi e o que vi!

Yayoi Kusama, uma artista japonesa (hoje com 85 anos), diagnosticada desde jovem com esquizofrenia, passou a se expressar através da arte, mostrando como ela via o mundo em suas alucinações, enchendo tudo de bolinhas. Além de tender ao suicídio, Yayoi passou a ter TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo), que agravou sua obsessão por bolinhas e pontos. Diz que “se não fosse sua arte, já teria se matado há muito tempo”.

Já vou avisando, são muitas fotos, não me mate.

Você só pode permanecer nessa sala por 20 segundos, ou seja, desespero para tirar uma foto decente rápido.

 Uma dica: Tente ir em um dia de semana, acredito que esteja mais vazio. Hoje (domingo) pegamos uma fila razoavelmente grande além da super lotação das salas.

Caso você queira visitar a exposição, ainda da tempo. Ela está no Instituto Tomie Ohtake em São Paulo (Av. Brigadeiro Faria Lima, 201 – O prédio rosa), fica aberta de Terça à Domingo das 11h00 as 20h00 até o dia 27 de Julho. A entrada é franca.
Vale a pena, recomendo.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 207 de 234«1 ...203204205206207208209210211... 234››
 
ir ao topo