22 de mar 2017

Por um tempo fugi no clean, me enxergava nas cores e não entendia as cores claras, sóbrias, até as julgava como uma certa ausência de personalidade em ambientes. Até que recentemente minha cabeça deu uma sacodida e tudo mudou. A partir dai, não conseguia mais tolerar as cores fortes no meu quarto, acabei tirando tudo.
Vou mostrar para vocês minhas inspirações da vez no Pinterest e deixar no final do post o vídeo para que vejam como ficou. <3.

Preto e branco

Reprodução: Pinterest

Reprodução: Pinterest

Sempre achei muito clique ambientes em preto e branco, sejam quartos, salas, cozinhas. Sempre quis fazer algo do tipo. Só de pintar as molduras de quadros e espelhos de preto faz uma super diferença.

Mantas – Pelo e crochê

Reprodução: Pinterest

Reprodução: Pinterest

Acho essas mantas um charme, dá para colocar na cama, no sofá e não há decoração melhor do que a que vocês pode se esquentar com ela. <3

Rose gold e rosa claro

Reprodução: Pinterest

Reprodução: Pinterest

Como já havia pintado tudo de dourado aqui no quarto, acabei não deixando as coisas rose gold, mas amo tanto a tom que estou dando um jeito de usar o rose em tecido.

Caixotes como criado mudo

Reprodução: Pinterest

Reprodução: Pinterest

Aproveitei os caixotes que já tinha para fazer um criado mudo. Por conta deles quase fiz um cama de pallets, hahaha, as fotos são muito inspiradoras. <3


Meu álbum com muitos ambientes cleans legais: aqui.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

21 de mar 2017

Iron Fist (no Brasil, Punho de Ferro), estreou na sexta-feita (dia 17) na Netflix e eu já maratonei a serie para contar pra vocês tudo que achei sobre ela. Mentira, eu sou viciada em Marvel e iria assistir de qualquer forma mesmo, só to usando isso como desculpa.

Na série vamos conhecer Daniel Rand, o herdeiro da fortuna das Indústrias Rayne, que após um acidente de avião no Himalaia, que matou seus pais, Wendell e Heather Rand, foi dado como morto por 15 anos. Mas Danny foi salvo e viveu todo esse tempo na cidade mística de K’un-Lun, uma das Sete Capitais do Céu. Lá, Danny aprendeu a canalizar o seu chi e se tornou o Punho de Ferro.  A série começa com a sua volta a Nova York para recuperar a empresa do seu pai, a dificuldade em provar quem ele realmente é, e a missão de derrotar o inimigo declarado do Punho de Ferro, o Tentáculo.

Para quem não conhece nada do universo Marvel, e eu não estou me referindo as HQs (não vou comparar série e HQ), mas sim as séries e filmes, pode perder bastante referencias, principalmente a Demolidor e Jessica Jones, e essa foi uma das coisas mais legais de Punho de Ferro, a quantidade de referencias que a série fez aos outros “heróis”, que junto com ele, formaram os Defensores, pois só me deixou ainda mais ansiosa para ver todos juntos.

collen punho de ferro

Punho de Ferro não foi a melhor série da Marvel, ela com certeza tem alguns pontos positivos, como por exemplo a personagem Colleen Wing, que com certeza foi o melhor acerto da série com relação aos personagens. É uma personagem feminina forte, uma lutadora incrível e uma personagem muito bem construída quando o assunto é rumo, proposito e carga emocional. Com relação as outras atuações considero todas bastante medianas, inclusive a do Finn Jones, que interpretou o Punho de Ferro.

Com relação ao lado mistico, principalmente os poderes, vamos ver poucas coisas, mas esse é o proposito da série, não ser uma série sobre a origem. O que vamos ver é uma rápida explicação do que é o poder do punho de ferro, algumas poucas cenas do Danny descobrindo algo novo no seu poder e alguns flashbacks (mais no final da série) que mostram K’un-Lun. No geral eu considero que isso foi um ponto positivo, pois a série já teve um pouco de dificuldade de se desenrolar, se tivesse tentando abranger, também, muitas questões de origem do personagem ou dos seus poderes, isso teria sido bem pior.

punho de ferro lutando

As cenas de lutas seguiram um pouco abaixo das outras séries da Marvel também. E quando tivemos uma boa cena, acabou sendo um pouco que “mais do mesmo” do que já vi, principalmente, em Demolidor.

Depois de tudo isso você deve estar se perguntando se vale a pena ver a série, e sim, com todos os seus defeitos com certeza vale a pena maratonar a série principalmente por duas razões: Se você planeja assistir Os Defensores e se você vem acompanhando as outras séries da Netflix em parceria com a Marvel e ficou curioso para ver um pouco mais sobre o Tentáculo nas telas. Agora se você não curtiu muito as outras que a Marvel já lançou, talvez essa também não vá te agradar, pois entre elas, essa não é a melhor.

E ai, vai assistir ou já assistiu? Me conta lá nos comentários. xoxo :*

Crédito: O site Adoro Cinema foi usado para ajudar na composição da sinopse. 

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

17 de mar 2017

Oi gente, eu sou a Maria Carolina, mas se vocês quiserem, Carol ou até mesmo Maria Carol. Sou a nova colaboradora do blog e vou falar sobre música. E meu primeiro post, vou falar sobre o ‘Divide‘, novo álbum do Ed Sheeran.

Depois de dois anos de hiato musical e das redes sociais, Ed Sheeran voltou com tudo! Quem pensou que ele poderia estar descansando e aproveitando a vida, pensou errado. Ed utilizou (e muito) bem o tempo para compor músicas novas para o seu terceiro álbum de estúdio, o ‘Divide’ (÷), lançado no dia 3 de março de 2017.

O sucessor do ‘Plus’ (+) e ‘Multiply’ (x), está disponível em CD (edição padrão) com 12 músicas CD (edição deluxe) com 4 faixas bônus, download digital e também vinil. “Shape of You” e “Castle on the Hill“, os dois primeiros singles do álbum, foram lançados simultaneamente no dia 6 de janeiro. Ah, e os clipes das duas músicas já estão disponíveis para você curtir, respectivamente, aqui e aqui.

E o sucesso de ‘Divide’ já pode ser representado em números. Considerado um dos melhores álbuns de 2017 (ou melhor), estreou em 1° lugar na Billboard. E em menos de 15 dias, já vendeu mais de 4 milhões de cópias no mundo inteiro. Fora que Ed Sheeran já é considerado o rei do Spotify, com mais de 56,73 milhões de streams em um ÚNICO DIA. Você não leu errado, em apenas um dia. Todas as faixas do álbum (edição deluxe) foram direto para o topo do chart Spotify Global 50, enquanto Sheeran é o artista mais executado na plataforma com mais de 45,5 milhões de ouvintes mensais.

É possível esperar ainda mais sucesso? Claro que é! Os números ainda vão crescer e não duvido que possa aparecer mais uma indicação ao Grammy, e quem sabe, o ruivinho leve uma estatueta para casa.

Se você não conhece lançamento de Ed Sheeran, pode ouvir o álbum na playlist abaixo:

Agradecimentos ao site Ed Sheeran Brasil por todas as informações citadas no post.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 8 de 212«1 ...456789101112... 212››
 
ir ao topo