12 de dez 2017

Houve um tempo em que eu me engajava em discussões na internet, debatia fervorosamente sobre assuntos que pareciam relevantes o bastante. Essa época me ensinou muita coisa, sobre os temas debatidos, as pessoas, na internet e fora dela e sobre mim.

Hoje em dia eu não suporto entrar na rede social em que isso se passava, porque sempre que encontro um debate desses quero sair correndo, minha paciência, assim como a de pessoas que me ensinaram muito lá atrás, acabou. É uma pena, mas enfim, entrei nesse assunto porque uma das coisas pela qual eu levantava minha bandeira e voz, era quando pessoas falavam sobre talento. A ideia de que talento artístico já vem com a pessoa quando ela nasce é extremamente ofensiva, remove qualquer mérito por esforço e aprendizado do indivíduo.

Eu amo contos de fadas, histórias de super heróis, mas infelizmente eles não são reais. Sei que para pessoas religiosas se considera uma benção uma predileção divina para determinada coisa, consigo entender muitos lados, mas culpar o talento ou a falta dele é perder oportunidades na vida.

Tentar algo uma, duas vezes, falhar e nunca mais tentar novamente, assumindo que você não teve o privilégio de nascer com esse dom é arrumar uma desculpa para não se dedicar a algo, pura e simplesmente. Portanto se você escolher se lamentar por algo, repetidamente, verifique se não depende unica e exclusivamente de você.

Esse conselho não é só para vocês, porque sei que apesar de estar deixando 2017 muito menos reclamona do que comecei, ainda caio no erro. Em um episódio da segunda temporada de Rick&Morty ocorre o seguinte diálogo:

Morty: Rick você é realmente um músico?

Rick: Quem não é um músico Morty?

Morty: Eu

Rick: É, Não com essa atitude.

O “Não com essa atitude” resume tantas situações da vida que aderi, estou usando com vários amigos, experimentem!

Kimono: Brechó Short: C&A Blusa: Loja Renner Oxford: Via Uno

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
ir ao topo