14 de abr 2015

terror1
Háá, até que enfim mais um post de filmes de terror para assustar a merda de você (Como em Scare the crap out of you – zueira, vocês entenderam). Quem acompanha o blog do começo sabe que sou a doida dos filmes de terror, mas passei um tempo sem assisti-los, sei lá porque. Os posts de filme as terças são da Patê, mas como ela mesmo contou, está no Japão conhecendo lugares incríveis, portanto, lá vamos nós!

The Atticus Institute

Dos mesmos produtores de Invocação do Mal, o filme nos dá aquele gostinho de antigo. O filme é retratado como um documentário sobre o instituto Atticus que investiga indivíduos que apresentam habilidades paranormais.

At the devil’s door

Eu gostaria de falar um pouco sobre esse filme, mas muito provavelmente acabaria bombardeando vocês com spoilers, então vejam o trailer. O filme me passou a impressão de episódio de série, sabem? poderia ter durado mais, hahaha.

The possession of Michael King

Ok, esse filme eu tentei ver a noite antes de dormir e não rolou, aconteceu de ele ser meio bizarro/pesado e deu uma assustadinha. O filme começa como um documentário que Michael está produzindo, desafiando anjos, demônios, criaturas sobrenaturais, etc, a respondê-lo, assistam o trailer!

As above so below

O que mais achei legal nesse filme foi o fato de explorar as catacumbas subterrâneas de Paris, o que apesar de ser super sinistro e super histórico e não muito retratado entre as tantas coisas incríveis da cidade luz.

Deliver us from evil

Ok, esse filme me deixou tensa, tem várias situações daquelas “Pronto, certeza que vou me assustar agora” e dai você se assusta, mesmo já estando preparado. Criaram todo o esteriótipo do mocinho para nós torcermos e nos pormos no lugar, combinando que ele é um investigador, portanto, suspense, enfim, legal de se ver.

Espero que tenham gostado, que tomem muitos sustos e é isso, beeijo.

ps: A tradução “literal” foi zoeira ok? me deixem.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

21 de out 2014

Olá!

Meu nome é Patricia, mas todo mundo me chama de Patê! Sou amiga da Carla desde a segunda série, e ela me pediu para escrever sobre uma das minhas muitas paixões: cinema. Não vou me estender com descrições porque terei muito tempo para explicitar meus gostos e desgostos ao longo das postagens por aqui. Hoje vim fazer um convite a todos, um convite à 38ª mostra internacional de cinema.

poster38

A mostra consiste em uma época que inúmeros cinemas espalhados por São Paulo exibem variados filmes. Esse ano começou dia 16 de outubro e vai até dia 29 do mesmo mês. Ela nos apresenta novos diretores, novos filmes e filmes de difícil acesso (mesmo nessa era torrent).

Dentre as diversas apresentações especiais deste ano, destaco a retrospectiva em homenagem ao Pedro Almodóvar, diretor espanhol do filme Tudo sobre minha mãe, ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro. Inclusive, para quem não o assistiu ainda, pode conferir na mostra em diversos cinemas como o Reserva Cultura e o Cinemark Santa Cruz (você pode ver aqui)

Há muitos filmes estrangeiros inéditos que vocês não vão encontrar nos cinemas comerciais, vale a pena dar uma conferida. A mostra exibirá alguns filmes que estão representando seus respectivos países no Oscar, confira a lista aqui.

Claro, para quem quer assistir algo mais descontraído, ainda é possível aproveitar a mostra na cidade. São mais de 300 filmes à disposição. A mostra vai exigir Pássaro branco na nevasca, o novo longa da Shailene Woodley, a queridinha de A Culpa é das estrelas e Divergente. Assista ao trailer aqui, caso ainda não conheça o filme.

Também tem uma animação que parece lindíssima chamada Tia Hilda. O desenho é francês com traços simples que mostram um tema atual: preservação das plantas. Ainda dá tempo pra conferir (os horários estão aqui)

Portanto, não há desculpas para perder a mostra. As opções são diversas, a localidade diversificada, assim como os horários. Até mesmo a falta de grana não é desculpa, já que o CINUSP, cinema da USP, é gratuito para todo mundo e exibirá alguns filmes. Além disso, também terá filmes gratuitos no vão do MASP.

Espero que vocês gostem da dica e, se forem conferir a algum filme da mostra, comentem aqui para mim! Vou aparecer por aqui quinzenalmente às terças, então até daqui duas semanas!

Um beijo!


 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

04 de out 2014

ifistay

Assisti o ‘Se eu ficar (If i stay)’ antes de ler o livro, talvez isso tenha influenciado na minha opinião, mas essa foi uma das poucas vezes, que eu gostei tanto do filme quanto do livro. Vou mostrar o trailer, a sinopse do livro e a minha opinião, para ver se vocês se interessam.

Livro: Se eu ficar (If i stay)

Autor: Gayle Forman

Editora: Novo Conceito
ISBN: 9788581635415
Número de páginas: 224

Sinopse: Depois do acidente, ela ainda consegue ouvir a música. Ela vê o seu corpo sendo tirado dos destroços do carro de seus pais – mas não sente nada. Tudo o que ela pode fazer é assistir aos esforços dos médicos para salvar sua vida, enquanto seus amigos e parentes aguardam na sala de espera… e o seu amor luta para ficar ao seu lado. Pelas próximas 24 horas, Mia precisa compreender o que aconteceu antes do acidente – e também o que aconteceu depois. Ela sabe que precisa fazer a escolha mais difícil de todas.

Trailer:

Se você ainda não leu o livro ou viu o filme pode ficar tranquilo, não vou revelar mais do que o próprio trailer do filme revela, afinal o grande conflito da história é: Ela vai ficar ou não?
Li pelo Kindle a versão digital e apesar de não poder fazer considerações sobre o formato físico, uma coisa eu posso afirmar:
Esse não é o tipo de livro que você se perde e precisa voltar páginas, para entender o que está acontecendo. Você fica tão absorto enquanto Mia relata pequenos momentos de sua vida, que nos liga a sua família, de forma que ela passa a ser um pouco nossa (Se eu pudesse adotaria seus pais e irmão).
Para quem gosta de instrumentos músicais, no livro Mia descreve diversas vezes como se sente ao tocar e ouvir, cita obras diversas e termos técnicos com o que nem todo mundo está familiarizado. Como podem ver no trailer o instrumento músical que ela toca é o violoncelo, meu favorito. <3

No filme a relação dela com o namorado é mais conturbada que no livro, imagino que foi uma forma de criar mais conflitos para a história, fiquei feliz em não lê-los no livro. Há também uma amenização do acidente, a parte mais chocante da história, as cenas do filme são mais suaves.

Você teria motivos o bastante para querer ficar?
O romance do filme não tem o mimimi cansativo que outros filmes teriam, o foco não é esse.
Ambos, filme e livro, são muito emocionantes, chorei demais com as situações. É fácil se colocar no lugar de Mia, pensar na sua vida virando de pernas para o ar e se imaginar perdendo tudo de uma hora para outra. Isso sempre nos faz pensar nas reclamações bobas do dia a dia e que deveriamos dar mais valor a cada momento com as pessoas de quem gostamos.

Muito surpresa, descobri ao final um capítulo para o próximo livro da série, pois é, eu nem sabia que os livros eram uma série, o nome do segundo livro é “Para onde ela foi” e já está em pré-venda.

Caso queiram comprar o livro, está com desconto no submarino.
E ai, gostou? Já leu/assistiu ‘Se eu ficar’?

Esse post não foi patrocinado

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
ir ao topo