11 de set 2015

anuncio cópia

Vocês já devem ter reparado que a cada vez que meu quarto aparece aqui no blog, os móveis estão de um jeito diferente. Isso porque adoro encontrar novas possibilidades dentro dele e simplesmente não consigo não mudar as coisas para testar.
Quando resolvi redecorar o quarto, sabia que não seria fácil (principalmente pelo ponto de vista financeiro, hahaha), mas dei um jeito, comprei uns móveis, reformei outros e consegui. Tem até alguns posts aqui no blog sobre (clique).
E agora que sinto que realmente está do jeito que deveria, estou começando a enjoar, quero trocar tudo de novo, como faz?
Como a grana está curta novamente, não é possível e nem viável no momento, resolvi pelo menos começar a anotar as ideias para quando puder.

Inclusive comecei a pesquisar quartos retro, o que ajudou a pensar nos móveis coloridos, já que inicialmente eu só tinha pensado em fazer uma parede cheia de pôsteres de filmes, o que já não combina com meu quarto vintage “da vóvó”. Imagina que sonho, ter os pôsteres dos seus filmes favoritos na parede, depois vou fazer um post sobre.

Portanto, lá vai a wishlist do meu futuro quarto retrô, se é que um dia ele existirá, hahaha. Serve também como dica de decoração, para quem gosta de cores vibrantes.

wishlist decoração

Estante vermelha: Essa estante vermelha, e uma irmã dela amarela, me chamaram atenção desde a época que comprei a minha branca, no mesmo site. Na época não peguei por caber poucos livros.

Poltrona Verde: A poltrona provavelmente não teria lugar no meu quarto atual, mas achei tão linda, que impossível não colocar.

Abajur roxo: Amei esse abajur roxo, eu colocaria em cima de um criado mudo preto, já visualizei.

Caixa organizadora verde: Sempre útil.

Cadeira de rodinhas azul: Amei o tom de azul dessa cadeira, minha atual é vermelha, já tenho a alguns anos e enjoei.

Mesa amarela: Nunca tive nada amarelo no quarto, mas ultimamente a cor tem atraído bastante.

Capa de almofada geométrica | Capa pixels | Capa Roxa | Capa amarela : Amo almofadas e acho super válido lotar a cama com elas.

Rack azul : Esse rack serviria de complemento para a estante que é relativamente pequena, fora que tenho vários brinquedinhos e objetos para colocar.

Pufão roxo: Eu sempre quis um pufe desses, na adolescência eu fazia curso em um lugar que havia vários. Deve ser a melhor coisa se esparramar em um desse para ler ou trabalhar.

Penteadeira: Pretendo pintar minha penteadeira nesse tom de verde – Não vou entrar em discussão quanto ao nome da cor, cada um diz um, tem gente que é azul.

Edredon vermelho: O edredon ou lençol de cama sem estampa, só com uma cor vibrante ou preto, me agrada bastante.

Crédito a foto da Parede com posteres: aqui: Achei essa única foto de alguém que fez exatamente o que quero fazer, hahaha, já me sinto mais motivada.

Papel de parede listrado: A parede perpendicular a dos poster, pretendo cobrir com um papel de parede listrado, amarelo ou creme.

Lembrando que esses móveis são ilustrativos. Algum semelhante ou mesmo um que já tenho reformado, pode combinar com o que estou planejando. Também não sei se todas as coisas serão coloridas, guarda roupas e qualquer outro móvel pretendo deixar em preto e branco, pra aliviar essa chuva de cores.

O site Homify tem várias outras dicas de decoração e profissionais de todo o mundo a disposição, além de imagens para se inspirar, dá vontade de redecorar a casa inteira, passa lá depois. :D

Esse post foi patrocinado, as opiniões contidas nele são sinceras e as experiências reais.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

24 de jun 2015

Olá, pessoal!

Tava em dúvida sobre a temática dessa semana e como no começo desse mês foi a Parada Gay, parei pra pensar sobre filmes que tratam sobre homossexualidade e é muito triste que, além de não ter muitos, a maioria não tem final feliz. Além disso, é muito comum a gente conhecer esses filmes pelos motivos errados, sem perceber que eles são, sobretudo, uma história de amor. Selecionei os mais conhecidos, os que mais gosto, o mais fofinho na esperança de que vocês apreciem esse tipo de “gênero” para, quem sabe, no futuro, existir mais filmes felizes.

O Segredo de Brokeback Mountain

O primeiro não poderia deixar de ser O Segredo de Brokeback Mountain, de 2006, por ter sido bem polêmico na época. A história acho que todo mundo conhece, os personagens de Heath Ledger e Jake Gyllenhaal trabalham juntos durante um verão cuidando de ovelhas em Brokeback Mountain. Eles se envolvem, mas depois do término do trabalho, cada um segue sua vida: um torna-se cowboy e o outro se casa. Depois de um tempo, eles se reencontram e se envolvem mais, mesmo com cada sendo pai de família. Não preciso dizer que há consequências e que o final não é feliz, né? O filme é lindíssimo e recomendo a todos, além de ser bem aclamado pela crítica e as atuações estarem ótimas!

Direito de Amar

Direito de amar é um filme pouco conhecido de 2009 com Colin Firth, mas que todos deveriam conhecer. Ele interpreta um professor que perdeu seu companheiro de longa data e que está depressivo. Infeliz e com insônias, ele decide se suicidar, mas com cautela: ele planeja cada passo, o que leva tempo. Durante esse intervalo, entre umas aulas e outras, ele passa por novas experiências, como a de conhecer um aluno novo. Colin Firth sempre arrasa nas atuações, mas de quebra também tem Julianne Moore, Nicholas Hoult e Matthew Goode (que sou apaixonada). Conheçam esse filme, sério!

Azul é a cor mais quente

Ano passado, esse filme teve bastante repercussão. Azul é a cor mais quente é um filme francês de 2013 que conta a história de Adèle que se apaixona aos 15 anos por Emma e seus cabelos azuis (só falei isso por causa do título do filme). O filme passa pela evolução do amor das duas, os conflitos com a família e principalmente com a moral conservadora que ainda infelizmente existe. O filme é bem pesado em vários sentidos, as cenas de sexo são bem explícitas em três horas, tem muita gente que assistiu pelos motivos errados, a ideia é assistir para descontruir o amor lésbico (não é só fetiche de homem, pessoal).

Kill your darlings

KYD_4_3_12_JMiglio_2007

O nome em português é Versos de um crime, que não é ruim, mas adoro o nome original. Esse filme também acho que seja bem conhecido por causa do Daniel Radcliffe. Ele interpreta o autor Allen Ginsberg ainda em seu tempo de faculdade. Lá, ele conhece o nada convencional Lucien Carr e juntos eles vão descontruir os paradigmas que eles estavam acostumados no quesito cultura e mundo. Adoro filmes que tem referências literárias e esse tem vários, super recomento. Além de ter a oportunidade de provar pra sociedade que o Daniel não é só Harry Potter.

Hoje eu quero voltar sozinho

Deixei por último esse filme LINDÍSSIMO que além de ser nacional, não é triste como todos esses outros que citei. Para quem não conhece, esse longa é baseado no curta chamado Eu não quero voltar sozinho, que tem a mesma história, mas com o final diferente. O filme a trajetória de Leonardo, adolescente deficiente visual gay que tem muitos obstáculos para enfrentar. Ele procura, sobretudo, a sua própria dependência e se descobrir como pessoa. Para isso, ele recebe a ajuda da sua amiga, Giovanna, e do novo aluno da sala, Gabriel, por quem ele tem uma quedinha. Não quero contar mais e sei que minha sinopse não faz jus ao filme. Esse filme foi super elogiado lá fora e o ator que interpreta o Leonardo não é cego de verdade, mas atua perfeitamente. Sério. Assistam, simplesmente. Minha alta recomendação da semana!

É isso, pessoal! Dicas de temas são sempre bem-vindas.

Até daqui duas semanas!

Beijos!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

16 de abr 2014
Quando terminei meu curso de desenho na Quanta, planejava começar técnicas de pintura, mas infelizmente não pude (motivos financeiros que não vêm ao caso). Decidi começar a praticar por mim mesma e por isso vou mostrar algumas dicas para vocês que querem começar a treinar aquarela em casa. Lembrando que sou totalmente leiga, vou apenas contar por onde comecei.
O papel não pode ser muito fino, ele precisa de uma gramatura maior, acima de 200g/m² geralmente. Há 3 tipos de papel:
  • Cold Press – Esse é o que costumamos ver mais, ele apresenta rugosidades, deixando aquelas marquinhas características quando se escaneia o desenho.
  • Hot Press – Esse papel é mais liso, melhor para quem está começando e para detalhes.
  • Rough – Muito mais texturizado que o Cold Press e também apresenta rugosidades.
Eu comprei os dois primeiros tipos (mais comuns) para testar e também o moleskine para aquarela.
Quanto aos pinceis, há uma variedade nos formatos: chato, língua de gato, redondo, triangular chanfrado e leque.
Eu comprei um chato e dois redondos, porém já tinha alguns outros tipos em casa, afinal minha mãe também pinta quadros e tecidos. Me surpreendi ao perceber que os pinceis de tela, apesar de ter os cabos muito maiores, são muito parecidos.
A tinta para aquarela pode vir em pastilhas ou líquida e os preços são bem elevados, porém rendem bastante dependendo do seu ritmo de trabalho. Por enquanto só tenho a líquida, meu estojo em pastilha deve chegar essa semana.
Uma coisa importante antes de começar, prenda o papel com fita crepe, além de dar mais firmeza na hora de pintar, o papel não ficará ondulado ou encolherá.
É sempre bom ter um paninho velho por perto e também papel toalha, algo para misturar a tinta (godê), além de, obviamente, um copo com água..
Esses foram os primeiros desenhos que pintei, misturei bastante as cores, afinal tinha poucas.
Pouco tempo depois, comprei lápis de cor aquarelável para testar, gostei muito do resultado.
Essa foi com os lápis aquareláveis:
Fiz pouca coisa até agora, mas me apaixonei pela aquarela e pretendo fazer muito mais no futuro. Já estou investindo para isso :)
Editado: A tinta para aquarela também pode vir em bisnagas

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

 
ir ao topo