10 de ago 2020
Duas vezes a @calmadoroteia

Menina, que coisa louca!

Voltei agora para o blog e quase que não consigo fazer esse post, o WordPress atualizou e fiquei perdidinha no novo esquema de blocos, surra de tecnologia na cara, enfim, oi.

Quem diria que essa sequência de tombos, mais conhecida como 2020, nos traria aqui, essas são minhas bandeirinhas. Se você me acompanha no Instagram já as conhece, abri o @faltouacucaratelier para vender minhas artes.

Comecei a pintar Ecobags com pets e logo passei pra flâmulas, pois amo ideias criativas de decoração.

Escolhi pets porque é uma das formas de amor mais puros e duradouros, nós amamos ver nossos cães, gatos, coelhos, hamsters e afins representados e tenho amado pintá-los.

Ver as mudanças de expressão em cada pet, as personalidades e o carinho que cada dono tem com eles, me faz muito feliz. Assim como quando sei que é um presente para alguém, porque também é algo que eu amaria ganhar.

Assim como na foto anterior, uma bandeirinha presente e outra pra sí <3

Houveram outras coisas que me aventurei a fazer nesse período de isolamento social, que acabaram virando produtos do atelier também e vou mostrar nos próximos posts, assim como, pretendo também dar umas dicas de filmes e séries, que ninguém é só trabalho, hahaha.

Encerro com a foto da Paciência, nossa cachorra, que alias, não foi própriamente apresentada aqui, mas tem no insta e vídeo no canal, hein.

LINK DO INSTAGRAM PARA COMPRAR
FLÂMULA OU ECOBAG PINTADA A MÃO PERSONALIZADA
Só clicar: @faltouacucaratelier

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

24 de abr 2019

Passei alguns meses pesquisando lojas de mochilas e bolsas sustentáveis em que pudesse encontrar alguma que se encaixasse nas minhas necessidades. Acabei me apaixonando por algumas lojas, seus princípios e esforços e tive bastante dificuldade em escolher uma.

Atendendo a pedidos de uma seguidora, resolvi fazer esse post, onde posso falar um pouco mais sobre as especificidades de cada uma, que independente de qual mochila comprei no final, são bem legais e merecem o holofote.

Algumas das características das lojas irão bater, porque ainda é um mercado pequeno, o sustentável, que esta crescendo rápido, ainda bem, minha esperança na verdade era que devido a demanda, ao interesse do público,  mais marcas aderissem ao slow fashion, começassem a se atentar a quem produz suas peças, de onde vem e de que forma é extraída a matéria prima usada, enfim, nós podemos colaborar pesquisando e reclamando. Vamos lá!

Maria Tangerina

Um amor desde o nome a dona (Priscila Cortez). Peças super delicadas, com formatos único, reconheço fácil na rua quando alguém está usando. Recentemente lançaram a coleção leve com estampas de folhas, tudo muito lindo e bem acabado.

Ótima comunicação nas redes, sempre falando sobre a marca e sustentabilidade. Quem produz as peças é o Cardume de mães, as artesãs são citadas por nome (Hoje formado por: Rosinha Matos, Herculania Reis, Eliane Marques e Francisca Laura), isso é destacado sempre, além dessa conexão, mantem relação com outras marcas da mesma esfera, o que acaba fortalecendo a corrente e o movimento Slow Fashion.

Produtos: Bolsas, Mochilas, Pochetes, Bolsa Bau, Necessaires, Ecobag

Alguns dos materiais utilizados: Suede sintetico, camurça, lona de algodão 100% reciclado, tecido acquablock.

  • Não utilizam nada de origem animal

Onde encontrar:

Feira Jardim Secreto  (Geralmente na praça Dom Orione, pesquise antes)

Casa Jardim Secreto
Rua Conselheiro Carrão, 374, Bixiga

Galpão Jardim Secreto
R. Maj. Sertório, 209 – Vila Buarque

Site | Instagram

Telurica

Conheci a marca ao vivo em uma das feiras Jardim Secreto e as cores e tecidos diferentes chamaram minha atenção.

A telurica utiliza tecidos reciclados de garrafa PET e upcycling de peças de brechó, dando uma vida longa maior a peças já descartadas, aposta em cores vibrantes e visual rustico. Quem produz é o Cardume de mãe (citado acima).

Produtos: Mochilas, bolsas e pochetes.

  • Não utilizam nada de origem animal.

Onde encontrar:

Também participam da Feira Jardim Secreto na praça Dom Orione.

Site | Instagram

Pano Plano

Cores e estampas lindas, posso atestar a qualidade pois tenho uma mochila deles agora, tecido hidro repelente, ecológico, produção artesanal local. Quem faz: Seu Gersinho, Renata e Esmeralda.

Produtos: Mochilas, necessaires, bolsas térmicas.

  • Não utilizam material de origem animal.

Site | Instagram

Modelaria

Cores vibrantes, visual básico, esportivo, mesmo nas estampas (listras ou texturas no tecido). Tem uma presença forte nas redes sociais.

Quem faz: As capas de chuva são produzidas pela Basquê Atelie. Sobre as mochilas, nessa semana de #fashionrevolution a marca prometeu divulgar mais informações essa semana no instagram, então atualizarei esse post conforme fizerem.

Material: 100% Algodão, forro de nylon.

Produtos: Mochilas (grandes e pequenas), pochetes, bolsas, capas de chuva.

  • Não utilizam material de origem animal.

Onde encontrar:

Ateliê próprio:

Rua General Jardim, nº 645, sala 91 – Vila Buarque – São Paulo/SP

Loja Endossa Augusta
Rua Augusta, 1372
São Paulo / SP

FEIRAS E EVENTOS
Informações nas redes sociais.

Site | Instagram

Atelie Nha Maria

Peças lindas e produzidas pelo exercito de uma mulher só que é a Sâmara Cardoso (Ela mesma desenha, corta, costura, etc). Algumas peças são únicas, várias de cores mais sóbrias, básicas, ideais para trabalho e outras com estampadas e bem divertidas.

Materiais: Jeans, Sarja, Oxford, Suede, Couro sintético.

Produtos: Bolsas, mochilas, carteiras e porta-óculos.

Onde encontrar:

Site | Instagram

Por enquanto é só, espero fazer mais posts assim por aqui logo. Leu até aqui? Deixa um comentário :)

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

06 de jun 2018

Nós medimos o crescimento pela altura, as vezes pela largura ou volume, contamos anos, medidas, contamos nos dedos, tempos musicais, contamos passos, quilômetros rodados, pontos, estações de metrô, metros² e então quando não basta, contamos histórias, cliques, minutos em vídeo, horas no cinema.

As coisas mais importantes não conseguimos contar, quantos suspiros de antecipação, quantas vezes o coração apertou, a barriga ou as mãos gelaram, quantas vezes fechamos os olhos e respiramos fundo. Não consigo medir o quanto cresci no último ano, a ponto de sentir a necessidade de contar constantemente o quanto mudei. Uma nova pessoa nasceu a qual estou sendo apresentada agora e eu mal reconheço a que ficou pra trás.

Foi tão surreal que nem consigo explicar suficientemente bem para quem ainda não passou por isso ficar preparado. As pessoas fazem cartas pra seus eu de 10 anos atrás, para quando eram adolescentes, eu quero pra Carla do ano passado e dizer que não vai ficar tudo bem ou mais fácil, mas pra aguentar firme.

Eu não sabia que a ansiedade e a desesperança iam me afastar de escrever, logo eu, que sempre escrevi atoa desde pequena, inventava histórias, começava livros. Sempre foi tão natural, que não pensei que pudesse sumir. Minhas prioridades assumiram o controle da minha vida e a preocupação me criou uma pessoa cautelosa, assustada, a vida me ensinou a não me mostrar pro mundo, a temer a sinceridade pra me proteger, a ser menos expansiva.

Ser adulto é solitário. Você não está sozinho, mas tudo sempre depende apenas de você. Em quem você confia, com quem você se envolve, o que tem que ser feito.
Quanto sobrou do que era antes?

Macacão: Costureira Camisa: Guarda roupa da tia Cinto: Mãe Bota: Urban Flowers Mochila: Oumai

As fotos do post foram tiradas pela Marilda Sousa (@sousasfotografia)

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 1 de 212
 
ir ao topo