19 de set 2015

TERRO
E lá vamos nós para mais um post sugerindo filmes de terror. Achei que esses valem a pena ser indicados, alguns por serem bons e outros por conta da repercussão.

The Gallows – A forca

Foi desse filme que surgiu a brincadeira Charlie Charlie. Pra ser sincera, não me assustou, acho válido assistir com os amigos e dar umas risadas.

Unfriended – Amizade desfeita

Esse filme me surpreendeu, li críticas sobre a história, mas pra mim, a forma como foi construído o próprio filme, a interação digital das cenas, valeu a pena assistir.

It Follows – Corrente do mal

Levei uns sustinhos legais nesse filme, hahaha, achei bem diferente, acho que vale a pena assistir.

8213 Gacy House

Outro filme para rir. Pessoas investigando atividades paranormais, já se tornou clichê, mas pra quem gosta do estilo é válido. Recomendo assistir com os amigos, novamente.


Espero que se assustem bastante ou pelo menos se divirtam, hahaha. Agora, não olhe para trás!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

01 de set 2015

Olá, pessoal!

Foi muito difícil achar um tema para o post de hoje. Por isso, peço desesperadamente por temas (comentem lá embaixo)! Isso me fez refletir em como é difícil ser escritor e depender unicamente da inspiração. Imaginem a pressão?! Pois é! Selecionei, então, alguns filmes que retratam mais ou menos a vida de um escritor. Obviamente, não é tão recheada de mortes assim (spoilers, ops), mas já dá para ter uma ideia.

O Iluminado

Começo com o mais extremo, O Iluminado, 1980, de Stanley Kubrick, é baseado no livro de Stephen King e mostra a história de Jack, um escritor que é contratado para tomar conta de um hotel. Ele vai com a sua família para o hotel e aproveita o exilo para escrever um grande romance, seu sonho. A única forma que consigo explicar o filme é que “coisas estranhas acontecem” (quem não assistiu, assista). Dentre as inúmeras bizarrices, Jack se sente muito pressionado com o livro que está escrevendo e acaba, no final, só escrevendo a famosa frase “all work and no play makes Jack a dull boy” (só trabalho e sem diversão faz Jack um bobão – tradução livre).

Janela Secreta

Johnny Depp já interpretou vários escritores, mas dou destaque a Mort Rainey de A Janela Secreta, de 2004. Ele é um escritor que após se separar da esposa devido a uma traição, se exila a fim de tranquilidade. No entanto, obviamente, ele não consegue essa paz porque um cara, John Shooter, o acusa de plágio. A atuação do Johnny tá fantástica (sou muito fã) e tem um plot twist bem bacana nesse filme. Assistam!

Simplesmente Amor

Eu sei que já mencionei esse filme no post de natal (para quem não viu, clique aqui), mas como tem inúmeras mini histórias, vou repeti-lo aqui. Simplesmente Amor, de 2003, retrata a história de diversas pessoas semanas antes do natal. A que eu quero dar destaque hoje é a do Colin Firth, que interpreta Jaime que, após pegar sua esposa com seu irmão, tira umas férias no sul da França para escrever. Ele se apaixona pela empregada do lugar, Aurélia, que é portuguesa, mesmo sem conseguir conversar com ela, já que ambos não sabiam a língua materna do outro. A cena final dele é lindíssima, pessoal, um britânico arriscando um português é lindo demais.

Adaptação

Eu sei, eu sei. Não dá para levar a sério um filme do Nicolas Cage, mas calma! Adaptação, 2002, é um ótimo filme! Nele, ele é um roteirista que precisa adaptar para o cinema o romance escrito pela personagem da Meryl Streep. Ele tem que lidar com muitas dificuldades, não só na adaptação, mas também com seu irmão gêmeo que o atormenta. As personalidades dos dois irmãos são bem diferentes e Cage consegue distinguir os dois muito bem. Vale a pena.

Ruby Sparks

Para fechar, um filme indie bem gracinha. Ruby Sparks, de 2012, retrata a história de Calvin, que tem dificuldades para escrever seu último livro. Devido a problemas em encontrar uma garota na vida real, ele cria uma fictícia. O problema é que ela deixa de ser somente imaginária. Ah, preciso avisar que o final desse filme é meio perturbador. Quem ficou curioso, corre para assistir e comente suas impressões comigo!

É isso, pessoal! Espero que esse post inspire alguém (há!)

Até a próxima!

Beijos!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

17 de fev 2015

Olá, gente! Sentiram minha falta? Eu disse que ia demorar para aparecer porque queria ter tempo para assistir aos filmes que estão indicados ao Oscar. Aqui estou! Queria fazer vários posts relacionados ao Oscar, mas me limitei a só esse. Também queria comentar sobre as atuações, animações, efeitos, mas enfim, não dá para abarcar o mundo, né? Fiz um esforço esse ano para assistir a todos que estão na disputa para melhor filme, ano passado não consegui, mas felizmente esse ano foi! Vou comentar o que achei de cada um, as expectativas e minhas apostas. Segura que o post é longo!

BoyHood

Vou começar com o favoritíssimo Boyhood – Da Infância à Juventude, de Richard Linklater. Para quem ainda não ouviu falar desse filme, ele começou a ser filmado há doze anos, quando o menino tinha 6, passando então todo o seu crescimento e escolhas até chegar aos 18. Não há datação no filme, mas ninguém que viveu na década de 90 tem problemas em identificar a época, seja com músicas, lançamentos de livros e acontecimentos históricos; o filme percorre os doze anos de um garoto normal como nós. Linklater faz um roteiro muito bonito, com aquelas frases impactantes sobre o mundo (para quem não conhece o trabalho dele, recomendo a trilogia Antes do Por-do-Sol) e esse filme não é diferente. Eu, particularmente, achei o filme cansativo, são 166 minutos, mas reconheço todo o esforço e ousadia que todos os envolvidos no trabalho tiveram, desde as crianças que se comprometeram com algo muito novas até a falta de previsibilidade do diretor sobre o resultado do filme.  Além de melhor filme, o filme tá indicado a mais cinco categorias.

Birdman

Outro acirrado na disputa para levar a estatueta é Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) de Alejandro González Iñarritu, que tem nove indicações. O filme conta a história de um ator famoso por interpretar um super herói nos cinemas que dirige uma peça da Broadway para tentar recuperar sua fama. Os bastidores da peça e os pensamentos esquizofrênicos do protagonista são mostrados de forma crua com uma trilha sonora eletrizante. O filme apresenta atores que entregam tudo nas atuações, Michael Keaton, Emma Stone, Naomi Watts, Edward Norton, um melhor que o outro, e o final? Assistam e tirem suas próprias conclusões.

The Theory of Everything

A Teoria de Tudo, de James Marsh, está sendo super bem comentado pela incrível atuação do Eddie Redmayne como o físico Stephen Hawking. E é basicamente isso que eu tenho para comentar. O filme foca na vida pessoal do Stephen com sua esposa interpretada pela Felicity Jones, que também atua brilhantemente. Por causa disso, sinto que o filme peca, pois torna a história muito romanceada e muitas vezes distorcida do que realmente aconteceu. Eddie Redmayne concorre a melhor ator e é o favorito para a categoria. Felicity Jones também está concorrendo a melhor atriz, mas deve perder para a Patricia Arquette de Boyhood.

The Imitation Game

O Jogo da Imitação, de Morten Tyldum, é o meu queridinho dessa lista por motivos pessoais, adoro a Keira e o Benedict e eles estão incrivelmente fodas no filme. O filme também é uma biografia, agora do matemático Alan Turing, que durante a IIGM ajudou o governo britânico a decifrar as mensagens da Alemanha nazista. Diferentemente de A Teoria de Tudo, este não foca somente na vida pessoal do protagonista e apresenta a importância do seu trabalho. Para vocês terem ideia, o fato de Alan ser gay não é o assunto principal do filme (teria tudo para ser, já que na época era proibido na Inglaterra). O filme tem oito indicações.

The Grand Budapest Hotel

Outro filme queridinho por mim é O Grande Hotel Budapeste, do Wes Anderson. Para quem conhece o trabalho do diretor (indico Moonrise Kingdom), sabe o quão característico é este filme. As cores, a posição das câmeras, os atores. A história se passa entre as grandes guerras em um grande hotel (há) e mostra o lobby boy, aqueles que carregam as malas, se tornando amigo do gerente. O filme tem uma narrativa linda e várias histórias bem bacanas. Ele tá com nove indicações ao total e torço muito para que ganhe nos técnicos.

Whiplash

Whiplash – Em Busca da perfeição, de Damien Chazelle, foi uma surpresa para mim! O filme retrata a história entre um baterista de jazz e seu professor extremamente perfeccionista. A relação deles é intensa, com muitos sacrifícios e diálogos nervosos. Não preciso nem falar que a trilha sonora é animal, né? A atuação do professor feita pelo J.K. Simmons é a favorita para levar a estatueta de melhor ator coadjuvante e, assim que vocês assistirem, irão concordar. Ao total, o filme tem cinco indicações.

American Sniper

Sniper Americano, de Clint Eastwood, é a minha decepção desse ano. O filme também é uma biografia e conta a história de um sniper que lutou na guerra pós-torres gêmeas e foi considerado um “mito”. A história em si não apresenta nada de novo dentro os filmes desse gênero, além de ser incrivelmente patriótico (ao contrário de Birdman, que critica o próprio mercado cinematográfico). Mesmo assim, o filme conseguiu mais 5 indicações ao Oscar, incluindo melhor ator para Bradley Cooper que, embora faça um ótimo papel, não acredito que mereça estar nos indicados esse ano.

Selma

Selma, de Ava DuVernay, foi o último filme que vi e por preguiça, confesso. Preciso de muito esforço para assistir a filmes políticos. Esse filme mostra as passeatas que Martin Luther King Jr. fez em Selma reivindicando o voto às pessoas negras. Para quem conhece a história americana, percebe que exageraram na retratação do presidente da época Lyndon Johnson, que apoiou Luther King nessa luta. Além dessa indicação, o filme é favorito para melhor canção original, Glory, cantado por John Legend.

Ufa! O post ficou enorme, mas foi um caso especial! É isso aí, gente. Comente as apostas de vocês, muitos desses filmes ainda estão em cartaz nos cinemais, então ainda dá tempo para conferir. O Oscar é nesse domingo, dia 22, e a TNT vai transmitir ao vivo (acho que 23h). O apresentador desse ano é o Neil Patrick Harris, o eterno Barney de How I met your mother.

Até daqui a duas semanas com nossa programação normal!

Beijos!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 3 de 3123
 
ir ao topo