27 de abr 2014

Esse post faz parte da postagem coletiva de Abril do rotaroots. O tema foi sugerido por Larissa Ventura.
A ideia era escolher cinco personagens que marcaram minha vida e/ou que eu gostaria de ser. Eu acabei escolhendo personagens com quais já me identificava, minhas queridinhas dos livros, tv e cinema.

Eu acabei escolhendo personagens com quem já me identificava, minhas queridinhas dos livros, tv e cinema.

Tonks: Ela é Metamorfomaga, ou seja, tem a habilidade de mudar de aparência. Quem nunca quis mudar completamente o cabelo ou até mesmo fingir que era outra pessoa. Tonks apareceu menos do que eu gostaria nos livros de Harry Potter e ainda menos nos filmes, porém, foi um dos personagens por quem eu mais chorei no fim. Sua incapacidade de ficar quieta, humor e determinação são um charme. Além do fato de ter se apaixonado por Lupin, não dar a mínima por ele ser um lobisomem e aceitar passar por todas as dificuldades ao lado dele. Todas essas coisas me fazem querer ser a Tonks. (Inclusive quando jogava rpg usava ela de char).

Suzannah Simon: Logo nas primeiras páginas do livro “Mediadora – A Terra das Sombras” amei a Suze. Para quem não conhece, a Suze pode ver fantasmas (também pode se comunicar com eles e tocá-los) e tenta ajudá-los a seguir para a próxima fase. Sei que a história parece clichê hoje em dia, mas o que mais chama atenção é a personalidade rebelde dela. Respostas espertinhas, ameaças de cair na porrada com quem a irrite e a habilidade de fazer os amigos menos populares e mais esquisitinhos.

Katniss: Em uma realidade totalmente injusta, Katniss tira forças não sei de onde para sustentar a família depois da morte do pai. Com a mãe catatônica, ela passa a criar praticamente sozinha a irmã e depois ainda toma seu lugar no Hunger Games. Eu gostaria de ser uma sobrevivente como ela, saber caçar e como me virar em uma floresta e acima de tudo não perder a fé ou desistir.

Tris: Mesmo quando tudo está uma merda, Tris repete para ela mesma que vai conseguir. Esse é um exemplo que eu deveria seguir. Me identifiquei muito com ela e fiquei me perguntando se fui só eu ou se toda a humanidade é divergente. Ela nega seu autruismo ainda que o tenha, pensa logicamente em situações impossíveis e não ignora a maior parte dos impulsos que tem. Claro que ela é muito mais corajosa do que jamais fui, porém, algumas atitudes e a forma de pensar da mesma, faz com que eu me identifique. Gostaria de ser como a Tris e de poder escolher a audácia.

Veronica Mars: Depois de ter sua melhor amiga Lilly assassinada, ver o pai virar chacota na cidade, ser abandonada pela mãe e perder todos os amigos, Veronica arruma um meio de dar a volta por cima. Seguindo os passos do pai (que agora é detetive) ela passa a investigar o assassinato de Lilly e se envolve em diversas tramas na cidade de Neptune, ajudando algumas pessoas, ganhando um dinheiro extra e etc. A Veronica é fantástica, corajosa, inteligente, engraçada, sarcástica e incrivelmente carismática. Se eu não fosse ela, gostaria de no mínimo ser sua amiga.

Isso me lembra como na adolescência, minhas amigas e eu comparávamos nossas personalidades com a de nossas personagens favoritas, até mesmo usando seus nomes como apelidos (Né não, Rosinha?). Na época eu não encontrava uma personagem que se parecesse tanto comigo como elas encontravam, no entanto, essas acima mostram pedaços de mim. Espero que tenham gostado.

ATENÇÃO, gente, faltam 3 dias para o fim do sorteio, corre que ainda dá tempo. Clique aqui

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

08 de jan 2014

Finalmente li Jogos Vorazes. Provavelmente foi uma coisa boa eu ter demorado, a moda “passou” e eu tive mais chance de tirar minhas próprias conclusões sobre a série, sem um monte de gente opinando.

Adiei ao máximo ver o filme, assim que saiu eu disse que iria ler os livros antes. Baixei os pdfs, mas nunca cheguei a sair das primeiras páginas, por fim, vencida pelo cansaço resolvi assistir.
A princípio não estava muito animada, mas quando me dei conta, estava me retorcendo de ansiedade no sofá, com o coração acelerado. Busquei loucamente o segundo na internet e assisti em seguida. Não foi o suficiente e depois de 4 dias eu já tinha devorado os 3 livros.
Posso dizer que dentre tantos livros favoritos lidos, nunca me identifiquei tanto com uma personagem quanto com a Katniss e que provavelmente, mesmo nas decisões ruins, teria sido exatamente o que eu teria pensado ou feito.
A revolução e a injustiça com o povo nos faz lembrar da realidade que vivemos, mesmo que na vida real as coisas não sejam tão severas. Alguns amigos reclamaram bastante do livro três, a unica impressão que eu tive a respeito dele é que parecia mais longo que os outros, mas o grau de ansiedade em que me encontrava quando li pode ter influenciado, já quero reler.
Se você como eu está enrolando para ler ou em dúvida, super recomendo.ps: Prometo que o próximo livro que eu ler faço uma resenha.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Postado por:
Carla Nascimento

4 comentaram

 
ir ao topo