20 de out 2017

Essas fotos estavam guardadas aqui faz um tempo porque eu estava procrastinando para escrever esse post, por isso meu cabelo ainda está na cor antiga.

Nunca consegui usar biquinis da forma que eu acreditava que eles tem que ser usados. Como seria essa forma? Com conforto. Talvez por causa dos filmes e revistas, sempre imaginei que estar pra praia ou piscina deveria ser uma experiencia relaxante, que não envolvesse preocupações com o corpo ou desconforto se tratando da vestimenta.

Mas ai é que está, todos os biquínis que já tive ou me apertavam, marcavam meu corpo (o que me fazia pensar como meu corpo estava errado praquela peça) ou ficavam caindo (sério, já expus mais de mim do que pretendia quando as ondas batiam) ou me causavam algum tipo de abrasão. Não importando o modelo.

Os biquínis repetem e pioram o erro que as calcinhas apertadas e em formatos bizarros já causam, deformam nossos corpos e mesmo quando não os estamos usando faz com que nos sintamos desconfortáveis, porque a sociedade diz que deveríamos estar usando.

Recentemente resolvi que chega de sofrer, eu precisava de um maiô, comecei a pesquisar em lojas online, mas acabei encontrando em um brechó.

As fotos desse posts foram tiradas no quintal de casa pela minha mãe, estou tentando ensinar ela a usar a câmera e fiquei bem feliz com o resultado desse photoshoot, hahaha.

Nesse meio tempo fiquei fissurada por looks compostos por maiôs e bodys. Montei uma pasta no Pinterest com as tendencias para o verão 2018. Ainda não é um post de moda praia, mas confiram as referências para looks.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

04 de out 2017

Tem dias em que tudo começa errado. O dia começa com chuva, o que assusta as pessoas a não saírem de casa ou promete horas de congestionamento e também atrapalham os planos de quem precisa andar bastante a pé. Como pessoas muito espertas que somos, Simone e eu, saímos de casa sem guarda chuva e sem olhar a previsão do tempo.

Ainda assim fomos, peguei muita chuva (porque antes de encontrá-la, fui mais cedo para fazer minha quarta tatuagem), comemos, fotografamos e fizemos um tour por brechós e valeu a pena o esforço de “nadar contra a corrente” .

Talvez se eu não contasse tudo isso antes, vocês nem notariam que meu cabelo está extra volumoso porque todo o ativador de cachos saiu na chuva e ele secou novamente sem ele.

Depois de toda a chuva o sol saiu. Apesar do app do tempo dizer que ia chover o dia inteiro.

Quem me acompanha no instagram (@faltouacucar) vai lembrar que esse cropped era uma camiseta “masculina”, eu cortei ela para usar mais livremente. Comprei ela no brechó samburá por R$10,00, acredito que novinha. A parka eu resgatei do guarda roupa da minha mãe, estava lá parada há alguns meses, é uma das peças meio esquisitas que ela comprou por empolgação numa loja da china quando foi visitar minha tia e nunca usou. Acabei amando o resultado.

Se você for aumentar os rasgos da sua calça já rasgada, tenha em mente que ela nunca vai parar de rasgar, hahaha, estou tendo que tomar muito cuidado agora e os buracos só ficam maiores.

O curativo da tatuagem acabou fazendo parte das fotos, mas é a vida. Tenho quase certeza que uma das moças num brechó achou que eu tinha alguma doença porque depois que falei da tatuagem ela ficou aliviada, hahaha.

Cropped: Brechó Calça: Renner Parka: Ali express Bolsa: Estilo menina Tênis: Quiz Calçados

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

24 de set 2017

A peça chave desse look é o quimono floral transparente. Lembro da minha mãe tê-lo usado no casamento da minha tia, ou seja, 21 anos atrás.

Por isso eu amo a forma que a moda flui e volta. A década de 90 é minha influencia favorita para roupas, apesar de muitos dizerem que as roupas eram bregas. Inclusive esse é o ponto que estou atualmente com roupas, não estou nem ai se determinada peça não favorece o meu corpo, idade, cabelo, tom de pele. Ninguém deveria determinar o que é ou não bom pra mim, os únicos critérios realmente relevantes são: Quero e posso ter (tenho dinheiro pra pagar).

Se a roupa lhe cabe e pertence, você se sente confortável com ela (fisicamente), é simplesmente estúpido que você não possa usá-la por conta do julgamento de terceiros. Sinto falta desse empoderamento quando estou conversando com outras mulheres e assistindo ela se limitarem e rebaixarem porque a sociedade fez com que elas acreditassem que não podem fazer exatamente o que querem. Isso precisa acabar!

O tipo de corpo certo pra roupa que você quer vestir é o seu!

essa cara de Sandy com os olhos fechados era pra tentar editar o sol, esse dia estava MUITO QUENTE

Essas fotos foram tiradas pela Barbara do Like Old Times, no dia em que voltamos ao Bazar Samburá pra garimpar roupas legais. O vlog do dia está no canal dela (clique aqui).

Escolhi uma mini saia evasê preta e uma blusa de alças, tudo bem básico para que o destaque do look fosse o quimono. Bolsa e sapatilha rosê para ornar.

Essa foto foi no Luz da Villa – QUERO UM BALANÇO, SOCORRO

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 1 de 1712345... 17››
 
ir ao topo