15 de jan 2015

Oie, gente! Hoje vim contar como aproveitei meu intercâmbio em Malta para conhecer outros países europeus, indo durante os finais de semana, para não perder aulas.

Aaaah Barcelona <3

Como já contei antes, um dos motivos de ter escolhido estudar em Malta foi para tentar dar um pulinho na Itália durante a minha estadia por lá, pois há muitos anos eu sonhava em ver um jogo da Internazionale di Milano no Giuseppe Meazza (sim, gosto de futebol, e sim, sou torcedora da Inter).

Bem, acontece que eu já estava em Malta há um mês e ninguém parecia interessado em me acompanhar em uma viagem até a Itália, não para Milão pelo menos…E eu não estava com muita coragem de viajar sozinha para lá. Por Malta ser uma ilha, a única forma de visitar os outros países europeus é através de avião, ou você pode ir até a Sicília na Itália de navio (cerca de €120,00 ida e volta na alta temporada e €70,00 na baixa temporada).

Sem companhia para ir até a Itália e sem coragem para ir sozinha, aceitei o convite de um amigo brasileiro que conheci em Malta, para ir até Barcelona. As passagens para a Espanha são geralmente beeeem baratas nas companhias low cost (baixo custo). Aqui no Brasil não temos esse tipo de companhia de avião, mas na Europa existem algumas, duas bem conhecidas são a Ryanair e a EasyJet. A EasyJet infelizmente parou de operar em Malta no meio do ano passado, então me restava a Ryanair. E encontrei neles passagens de ida e volta para Barcelona por lindos 47 Euros. Sim, por cerca de 150 dilmas eu fui e voltei pra Espanha de avião.

Plaza Espanya

COMPANHIAS LOW COST
Algumas pessoas não gostam de companhias low cost por alguns motivos:

  • Aviões sem muito conforto (como eu sou baixa e magra, o espaço entre as poltronas dificilmente me incomoda)
  • Você só pode levar uma mala de mão sem pagar taxas extras – Se quiser despachar uma mala provavelmente pagará uma taxa que talvez fizesse ter valido a pena ir por uma companhia normal.
  • Aeroportos longe do centro – geralmente elas operam em aeroportos mais afastados do centro da cidade, o que pode dar uma dor de cabeça danada pra você caso não se atente a isso e calcule preço de táxi, ônibus, metrô, etc…

Valeu a pena ir viajar com eles mesmo com esses contras? Sim, muito! Na aterrissagem, a Raynair toca uma espécie de musiquinha comemorativa, tipo aquelas músicas que tocam quando você passa de fase no videogame, sabe? Achava muito divertido, até porque quando o avião aterrissa a sensação pra mim é de “sobrevivi meudeuus!”, então era como passar de fase mesmo.

A incrível Sagrada Família por dentro

VIAJANDO PELA EUROPA
Eu nunca tive a miníma vontade de conhecer a Espanha. Zero mesmo. Por dois motivos: 1 – Não sabia a lindeza que esse país é, 2 – Sempre soube que eles A-D-O-R-A-M barrar mulheres brasileiras na imigração. Sério, índices altíssimos. Mas como eu entrei na Europa pela Holanda, e lá eles carimbaram meu passaporte como turista, eu poderia viajar pela União Européia por 3 meses. Teoricamente eles não te fazem passar novamente pela imigração durante esse período…E de fato, na Espanha desembarcamos e não havia ninguém para olhar passaportes ou algo assim, por ser um voo que vinha de outro país europeu eles não conferem nada.

HOSPEDAGEM
Optamos por nos hospedar em um hostel, que encontramos no HostelWorld, pagando cerca de 12 euros a diária. Muito barato, né? Foi a primeira experiência que tive num hostel e atendeu bem às expectativas. Como ficávamos o dia tooodo andando e de noite em barzinhos/pubs, só usávamos o hostel pra dormir (pouquíssimas horas), banho e café da manhã e para isso ele é suficiente e a relação custo x benefício é perfeita. Mas pesquisamos bastante antes de escolher um. Barcelona tem muitos hostels, e por isso é bom analisar bem as avaliações que outros viajantes fizeram sobre o estabelecimento, principalmente com relação a limpeza do lugar e localização dele (se é de fácil acesso aos pontos turísticos, metrô, etc.).

Como te llamas? haha Lojinha que ficava em frente ao hostel

Para esse post não ficar gigante, no próximo conto o que visitar em Barcelona em tão pouco tempo, como eu fiz! E o custo dos demais gastos por lá. Se você tiver alguma dúvida/curiosidade sobre hostel, passagens, etc., é só perguntar nos comentários que eu respondo!

See you!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

19 de dez 2014

Oie gente!
Hoje vou falar sobre o que importa: dinheiro. Quanto custa fazer um intercâmbio?
Bem, vou dar uma resposta beeeem clichê, que eu cansei de ler em blogs por aí: depende. Depende do que? Depende do seu estilo de vida, se você pretende cozinhar, se vai morar em casa de família ou acomodação compartilhada, etc., etc., etc…. Todos esses fatores fazem uma diferença danada no orçamento e também variam de acordo com o país escolhido.

Por exemplo, nos pacotes que eu orcei para fazer um intercâmbio em Montreal, Canadá, a opção mais em conta era ficar em casa de família com meia pensão (café da manhã e jantar inclusos). Entretanto, no meu pacote para Malta, ficar numa acomodação compartilhada self-catering (comida por sua conta), era a opção mais em conta, mesmo calculando o valor que eu gastaria com alimentação.

A cozinha/sala do apartamento compartilhado. Como dá pra ver, ele é equipado e dá pra você preparar suas próprias refeições

A cozinha/sala do apartamento compartilhado. Como você pode ver, ele é equipado e dá pra você preparar suas próprias refeições

Ok, Juliana, mas e os valores? Sim, eu sei que essa é a parte que realmente importa, o que todo mundo quer é ter uma noção de quanto realmente irá gastar para fazer um intercâmbio. Então anota aí:

8 Semanas de Curso de inglês + Acomodação em apartamento com quarto duplo + transfer de ida e volta pro aeroporto = R$ 4.800,00

Passagens de avião = R$ 3.300,00 (Paguei bem caro nas passagens porque deixei pra comprar em cima da hora, mas dá pra encontrar passagem por cerca de R$ 2.700, se você ficar de olho nas promoções)

Seguro saúde/viagem para 8 semanas (obrigatório) = R$429,00

Euros para gastar com alimentação, passeios e afins = € 1.000,00 (com a cotação do Euro, na época paguei em reais R$ 3.560,00)

FACADA TOTAL = R$ 12.089,00

Como já citei num post anterior, esse pacote foi o mais barato que achei e foi todo fechado online com a agência Descubra o Mundo Intercâmbiosque é uma agência online. Eu gostei bastante do atendimento deles, não tenho do que reclamar. Muita gente tem entrado em contato comigo pedindo referências deles, por terem medo já que é uma agência online, mas vai na fé! Eu fui e não me arrependi, e eles têm pacotes de intercâmbio para o mundo todo e os preços são realmente bons! Se você entrar em contato com eles, conta que ficou sabendo da agência por mim, vou chorar pra ver se eles me dão um desconto num próximo intercâmbio. Quem não chora não mama, né? haha (O post não é patrocinado não, viu? Mas tenho indicado tanta gente, que acho que mereço um desconto, né?)

St. Julians ou em bom maltês, San Gilian =P

St. Julians ou em bom maltês, San Gilian =P

Ah! Talvez você esteja se perguntando se os € 1.000,00 foram suficientes para ficar os dois meses. Sim e não. Oi? Bem, se eu tivesse ficado só em Malta, teriam sido suficientes, mas como eu viajei para Espanha e Itália durante o intercâmbio, fora as quinhentas lembrancinhas que comprei para familiares e amigos, eu precisei pegar mais 400 euros quando já estava lá.

Mas alerto novamente, tudo depende de você. Do seu estilo de vida. Conheci pessoas em Malta que gastavam quase 300 euros numa semana só. Como? Comendo todos os dias em restaurantes, indo sempre pra balada, bebendo muito, etc…

Encontre a Juliana na foto oeeee! Pessoal querido da escola durante o intervalo.

Encontre a Juliana na foto oeeee! Pessoal querido da escola durante o intervalo.

E aí? Achou que era mais caro ficar 2 meses na Europa estudando inglês? Bom, honestamente, eu achava que era mais caro! Acredito que se eu soubesse o investimento antes, teria começado a economizar mais cedo… Se quiserem saber mais sobre gastos, comentem aí que eu respondo, ou até faço um post mais detalhado sobre gastos específicos.

See you!

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

05 de dez 2014

Hello! No post de hoje vou listar alguns lugares que visitei durante o período em que estive em Malta. Infelizmente, dois meses não foram suficientes para eu visitar tudo que eu queria, ficaram faltando alguns lugares na minha lista, mas ainda assim visitei lugares maravilhosos e que, se você tiver a oportunidade de ir pra Malta, go! Junte suas moedinhas aí e anote:

MDINA – A cidade silenciosa
Morri de amores por essa minúscula cidade com arquitetura medieval, andar por suas vielas faz você se sentir dentro de um filme! As portas coloridas, as imagens e cerâmicas de santos ao lado de quase todas as portinhas, as janelas, tudo tudo tudo <3 Você se pergunta como um celular pode estar funcionando naquele lugar tão…antigo! Sendo assim tão linda e encantadora, Mdina já foi cenário de alguns filmes e séries, como Game of Thrones.

O Portão de Mdina.

O Portão de Mdina.

As vielas de Mdina são apenas fascinantes. Na foto, com minhas flatmates.

As vielas de Mdina são apenas fascinantes. Na foto, com minhas flatmates.

O que eu mais gostava na Cidade Silenciosa eram os seus pequenos detalhes.

O que eu mais gostava na Cidade Silenciosa eram os seus pequenos detalhes.

BUGIBBA
Ouvi boatos de que Bugibba tem o pôr do sol mais lindo de Malta. Infelizmente no dia em que fui lá, o céu não estava tão limpo e o sunset não foi o mais maravilhoso que vi na ilhota, mas ainda assim, eu amei aquele lugar. Além disso, Bugibba é conhecida por ser o lugar mais em conta para se comprar souvenirs em Malta!
IMG_6158

COMINO ISLAND
A menor das três ilhas maltesas foi set do segundo filme A Lagoa Azul. Ela não é uma ilha habitada, mas está sempre lotada de turistas e é um verdadeiro paraíso! Para ir até lá, você tem que pegar um barco em Malta, que custa 10 euros o trajeto de ida e volta. Lá você encontra alguns trailers vendendo lanches, cerca de 2 ou 3. O preço de um “kit” sanduíche + batata + Coca sai por 7 ou 8 euros.

A ilha de Comino é a menor das três ilhas maltesas, e não possuí habitantes.

A ilha de Comino é a menor das três ilhas maltesas, e não possuí habitantes.

IMG_6035

A parte dos guarda-sóis à beira-mar costumam ser lotaaados, então muitos turistas, como eu se acomodam nos morros da ilha.

A parte dos guarda-sóis à beira-mar costuma ser lotaaada, então muitos turistas, como eu se acomodam nos morros da ilha.

GOZO ISLAND
A terceira ilha maltesa é maravilhosa e cheia de história. Na verdade, se você gosta de História, você vai ficar louco em Malta! Mas voltando a Gozo, é uma ilha cheia de igrejas lindas, e nela está o lugar mais lacrador de Malta: a Blue Window ou Azurre Window, como alguns chamam. Na primeira vez que estive em Gozo fiz um passeio naqueles ônibus de turismo de 2 andares (bem tiazona mesmo) e não me arrependi. Mas infelizmente, eu naquele dia não consegui descer e ver a Blue Window, vi só de longe e prometi que antes de voltar para o Brasil eu retornaria naquele lugar. Bem, voltei lá no meu último dia em Malta, e não sei se por causa do saudosismo que eu já sentia e a sensação de “eu consegui!” que tomavam conta de mim, mas aquele lugar é abençoado. Eu não queria sair dali, fiquei até o sol se pôr e saí de lá refazendo a promessa de um dia voltar (e voltarei!).

Blue Window, o lugar mais incrível que visitei em Malta.

Blue Window, o lugar mais incrível que visitei em Malta.

Vista de cima da Blue Window.

Vista de cima da Blue Window.

Mas Gozo não é só mar, e a ilha também é habitada e linda, cheia dos típicos balcões de madeira malteses.

Mas Gozo não é só mar, e a ilha também é habitada e linda, cheia dos típicos balcões de madeira malteses.

Leia mais

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 1 de 212
 
ir ao topo