22 de nov 2017

Desde o ano passado comecei a me interessar por plantinhas no quarto, comprei então alguns vasinhos porque acho meio triste assistir os buquês de flores morrendo. Mas ai é que está, tive que assistir meus vasinhos de flores morrerem também.

Parti então para plantas que conseguiria cuidar melhor, mini cactus, pelo menos foi o que pensei, só um sobreviveu e até hoje não sei o que fiz de errado. Ainda que não tenha desistido dos cactus, comecei a prestar mais atenção nas plantas verdes, folhagens e ramos  que dão tanta vida a ambientes.

Quando fui a casa da Bárbara (Like old times), que também tem várias plantinhas espalhadas pelo quarto e apartamento, comentei com ela, que essa era uma das marcas de virar adulto, começar a gostar das folhas assim como as flores. Minha mãe sempre amou folhas, pelo menos desde que a conheço, hahaha, e só agora comecei a reparar nas várias que temos em casa.

Portando comecei a pesquisar inspirações e conceitos de se ter plantas dentro de casa, ainda estou no processo de entender qual planta é melhor e qual ambiente é o mais adequado para cada planta. Com as pesquisas de inspirações encontrei sites incríveis, ainda estou lendo os posts, mas pelo que vi até agora, são realmente bons, como o: Histórias de casa. O antes e depois abaixo vem de uma matéria deles, vale a pena acompanhar os compartilhamentos da comunidade botânica (?) para aprender mais.

Fui apresentada ao termo Urban Jungle (Selva urbana ou Jardim Urbano) e estou completamente apaixonada pelo contraste do verde com os ambientes. Plantas trazem relaxamento e frescor, deixam tudo muito mais confortável e aconchegante. Já comecei a planejar as mudanças no quarto para realocar plantas de outros cantos da casa para cá, fiquem de olho no meu instagram (@faltouacucar) para ver como está ficando, enquanto isso, ficamos com as inspirações.


Espero que tenham gostado e se quiserem acompanhar mais do que ando vendo, sigam a página no pinterest.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

06 de nov 2017

~ Senta que lá vem textão ~

Por um momento me peguei entediada com meus sentimentos. Sentimentos são a matéria prima da minha vida, uso para tudo, comparo situações que me aconteceram com as de amigos em conversas, puxo pela memória outros momentos que me trazem a vontade de escrever, levo-os em consideração a cada decisão e de repente, cansei deles.

É engraçado como algo que você tem a tanto tempo, que te acompanha diariamente e que por muitas vezes te fez orgulhoso, passa a condição de tédio.

Os sentimentos só se repetem, estou me sentindo da mesma forma a muito tempo e se nada muda a gente cansa de sentir. Mas a culpa não é deles, dos sentimentos, a culpa é minha que deixei saturar, porque nas tentativas de me fazer sentir de outra forma, senti a coisa que mais dá medo de sentir: A insegurança, e voltei correndo pra zona de conforto.

Tem algumas palavras que nos enganam, elas se parecem um pouco, mas conforme vamos vivendo percebemos o salto de uma para outra. Eu trocaria a insegurança por uma mera incerteza, aquela que beira a decisão. A estabilidade não pode virar estagnação, continue a nadar. Se você permanece passivo, esperando que algo balance seu mundo, mas tem medo do terremoto e se esconde embaixo da mesa quando ele vem, os sentimentos permanecem se arrastando durante o dia e naquele tempo que leva, do momento em que você se deita até conseguir pegar no sono, te atormentam.

Feliz, ansiosa, triste, bem triste, feliz, ansiosa, pra onde foi a intensidade?  Vou deixar aqui um pedido a mim mesma para buscar novas sensações e experiências, a vida tem possibilidades demais para se vivenciar. Considerem-se incluídos.

Esse foi o look para o Sábado de aniversário da minha amiga Jaqueline Ávila, engraçado que sem planejar ele acabou servindo pra tarde e noite. Da creperia a balada. Uma das marcas registradas dessas peças é a referencia aos anos 90, minha década favorita se tratando de estilo, tudo é peça chave e serve pra qualquer muitas ocasiões diferentes.

Esse foto parece que conta uma história: Dei sinal pro ônibus e ele passou direto

Vestido: Brechó Mãesp Jaqueta: C&A Oxford: Via Uno Meia: Marisa Batom: Carol – Pausa para feminices

Desde que comprei a jaqueta jeans, não consigo parar de usá-la, meu feed do Instagram que o diga, como sempre fiz minha pesquisa no pinterest com ideias de looks, tem um álbum lá pra quem quiser (clique) e um vídeo com alguns looks usando jaqueta jeans no canal.

As fotos foram tiradas pela Dani Nogueira, arrasou sim ou claro? Se quiser um ensaio, chama ela:e-mail: daninogueiraph@gmail.com | Instagram

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

18 de set 2017

Amo lettering, pesquiso bastante sobre como montar, caligrafias diferentes, qual combinaria mais comigo, porém não pratiquei o bastante para saber fazer ainda, hahaha.

Acompanho algumas pessoas que fazem e fico de cara com tanta coisa linda. Espero que gostem das indicações, que vocês conheçam essas artistas, se já não conhecem e quem sabe não se inspiram e encontram um novo hobbie.

Marina Viabone – Meu primeiro rabisco

Além de ser a pessoa mais criativa do mundo e humilhar a todos com suas artes geniais no instagram. Marina ainda tem um canal no youtube onde dá dicas incríveis sobre como começar, o que usar, como fazer, etc. Ela também vende workshops, vou mostrar alguns trabalhos dela para verem que não estou exagerando.

Instagram | Canal | Site

Juliana Adorno

Conheci a Juliana pelas ilustrações, mas ultimamente ela tem postado vários trabalhos dela com lettering, inclusive em chalkboards (lousas). Pisa menos Juliana.
Instagram

Se essas duas artistas maravilhosas não te inspiraram o bastante para pegar o material e começar a tentar fazer umas caligrafias lindas por ai, aqui vão mais algumas inspirações e tutorias que encontrei pelo pinterest:

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 1 de 3123
 
ir ao topo