29 de jul 2015

Essa é um postagem coletiva do Rotaroots e o tema é: 5 vezes em que a vida me fez rockeira. Bom, pelo menos a intenção era citar 5 vezes em que a vida me fez rockeira, escrevi mais que isso, pois emo, gótica, rockeira, vampira e rainha das trevas.

Tudo começou quando eu tinha 13 anos, mas não sei datas e idades das outras coisas, então só leiam e imaginem:

  • Pintar a boca de preto com lápis de olho e uma estrela na cara de guache e tentar puxar uma franja colada na testa do meu cabelo cacheado empapado de creme.

  • Evanescence representando toda a minha vida de tristezas e sofrimentos na época do bulling e traição “dazamiga” na escola.
  • Primeira vez que passei lápis de olho depois de chorar e ouvir a Pitty dizer que houve uma pane do sistema (meu primeiro cd da vida).

  • Cantar ‘Um minuto para o fim do mundo’ indo pra excursão na escola. Berrar Nx Zero e Fresno pensando em como era emo e incompreendida. Ouvir Legião, Nirvana, Green Day, Simple Plan, etc, até quase cortar os pulsos. Não saber e cantar mesmo assim ‘I write sins not tragedies’ e ‘This Ain’t A Scene, It’s An Arms Race’ fazendo só ruidos.
  • Colar posters na parede, comprar revistas para recortar e representar minha rebeldia, pois meus pais não aprovavam as colagens fantásticas. Nessa época também ouvi muito Avril, pois maravilhosa, mas depois de Girlfriend ficou muito ‘princesa do punk’ pra mim.
  • Baixei toda a soundtrack de Supernatural (Classic Rock) e comecei a ouvir mais Metal sinfônico (Within Temptation, We are the following, etc), me senti em outra época. ♥

Já na faculdade e trabalhando, quando o ódio pululava meu coração, passei para coisas mais pesadas como Slipknot e System of a down. Aaah, essas dorgas. ♥

3

Dai para minha surpresa um dia percebi que eu não precisava “fazer a rockeira” para ouvir e gostar de rock, que eu podia gostar de outras músicas e admitir que gostava delas sem “trair o movimento”.

5

Fotos de 2012: Rockera suave vida loka / Emo com o olhar perdido de incompreensão

Mas parte da minha alma ainda é negra (o resto é um arco-íris). ♥

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

05 de jun 2015

rupals2

Sobrevivemos ao dubsmash, foi super divertido e descobrimos que algumas pessoas não sabem a hora de parar, hahaha. Mas nem de longe o aplicativo chega ao glamour do lipsync do programa RuPaul’s Drag Race (tem no netflix, vão ver), onde você precisa dublar intensamente pela sua vida.

Assista o vídeo para entender:

 
E confesso que fiquei extremamente tentada em juntar azamiga e dublar de verdade a parada, mas a falta de tempo me fez ser mais prática e escolher de uma vez as músicas mais fabulosas pra contar pra vocês.

Womanizer

 

 
Aprendi a bater cabelo com a Britney meus amores, quando esse clip saiu eu pirei e com certeza daria uma bela performance.

Survivor

 

 
Quando essa música começa a tocar eu fico possuída pelo ritmo do ragatanga, o descontrole se apossa do meu corpo e começo a dançar feito louca.

I will survive

 

 
Qualquer performática que se preze precisa saber como dublar I Will Survive. <3

Blank Space

 

 
Essa música simplesmente merece uma interpretação gente, não me julguem, hahaha!

Where have you been

 

 
Essa aqui eu praticamente já fiz o lipsync já que dancei Just Dance na frente de um monte de gente.

Só de pegar os vídeos para colocar aqui, quase destrui minha casa dançando, espero que tenham gostado!

Esse post faz parte da postagem coletiva do Rotaroots, conheçam o grupo clicando aqui

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

29 de maio 2015

Atriz

rota2
Minha vontade de ser atriz começou muito cedo, desde os 4 anos eu fico interpretando coisas por ai, que não fazem o menor sentido, como falei no vídeo “merdas da infância”. A parada ficou séria com Chiquititas, pois realmente comecei a acreditar que eu poderia mesmo ser um atriz. Nunca fiz curso, por morar no fim do mundo e não sairmos da cidade quando eu era pequena, depois com trabalho e faculdade, que não deu tempo mesmo. Ainda pretendo fazer o curso, nem que seja por hobbie.

Cantora

rota3
SANDY, O QUE VOCÊ FEZ COMIGO? Poisé, começou com a Sandy, eu lembro de mim com 5-6 anos, em cima da saveiro do meu pai, cantando Sandy&Jr pros pedreiros que estavam terminando de construir nossa casa, tipo, coitados. Desde então venho infernizando a todos pois não consigo parar de cantar: No chuveiro, na faculdade, no trabalho, as 2 da manhã de sábado no karaokê online, no snap e por ai vai.

Também já procurei por aula de canto, de novo e de novo, até mesmo coral, mas nunca participei, ainda está nos planos para o futuro.

Se um dia eu conseguir atuar num musical, vou morrer antes de entrar no palco, certeza.

Dançarina/A Ciara

rota4
Teve uma época da minha vida que eu cai no black music e pirei que queria dançar pela vida. Eu assisti tantas vezes os clipes da Ciara, que se não decorei a coreografia deles é realmente porque sou muito ruim, hahahahaha. Ainda assim, eu queria ser a Ciara, pra dançar daquele jeito e ser maravilhosa, sempre falo.

Não queria entrar no assunto Shakira aqui, mas gostaria de acrescentar que The hips don’t lie e os meus estão dizendo que: DOI PRA CARAMBA IMITAR SUAS DANÇAS MOÇA! (mas que eu tentei eu tentei e muito).

Escritora

rota1
Eu parei de escrever, por enquanto, apesar de ter muitas ideias. Há alguns anos eu começava pelo menos dois livros por semana, hahahaha. O máximo que escrevi foi 48 página de um caderno, mas o perdi a muito tempo, assim como uns 15 arquivos que comecei em um antigo pc que precisou ser formatado. Um dia eu espero conseguir lançar um livro de verdade, se não for de aventura/suspense/romance, como os outros, será mais comédia. Mal posso esperar!
Lembro que comecei a escrever loucamente depois que conheci a Meg Cabot, pois me identificava muito com o modo como a mesma escrevia (O diário da princesa, A mediadora <3 <3 <3).

Ilustradora

IMG_3170
Eu sempre gostei de desenhar e quando pequena pensava em ensinar isso (Até comecei, na escola com algumas amigas), mas por causa dos adultos, eu não tinha noção de que isso realmente poderia ser levado a sério. Tipo, ilustrador? Essa profissão existe mesmo?

No fim essa postagem foi mais ‘O que eu nunca deixei de querer ser’.

Esse super post faz parte do Rotaroots, que prega a blogueiragem de raiz. Para conhecer o grupo e mais postagens a respeito, clique aqui.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 1 de 512345
 
ir ao topo