02 de ago 2017

Você já sentiu que está no meio de um espiral de mudanças em que seus pensamentos se transformam rápido demais, mais rápido do que você consegue acompanhar?
Eu já li que a cada sete anos nossas células morrem e se renovam, isso não é totalmente verdade porque elas tem prazos de validade diferentes, mas é praticamente como se fossemos outras pessoas e essa é a sensação que eu tenho em relação aos meus pensamentos hoje. Acreditei em várias coisas, tantas ideias que carreguei como verdades absolutas, na época da adolescência, onde nos sentimentos invencíveis e donos da verdade de tempos em tempos, quando aprendemos e sentimentos cada coisa como se fosse única e imutável. Me pergunto se eu encontrasse a Carla de anos atrás, o que eu diria realmente para ela, provavelmente não seriamos amigas.

Aqui voltamos para aquela carta para o meu antigo eu, que nunca fiz, porém li muitas versões de amigas. Algumas com palavras de consolo, outras com avisos, todas me passaram uma certa ansiedade, será que essas pessoas não assistiram Efeito Borboleta? Onde qualquer coisinha que você mudar pode explodir metade do seu mundo futuro. Você não gostaria de ser quem você é hoje? Você arriscaria quem você é, o que e quem você tem hoje, por uma chance de remover um sofrimento passado?

Leia mais

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

07 de jul 2017

No meio do ano passado ganhei uma pulseira com olhos gregos (nazars, joguem no google caso não saibam) da Camila, quando a visitei em Ubatuba. Nós não nos conhecíamos pessoalmente e do nada eu estava na casa dela, hahaha. Eu senti uma vibe boa lá, que naquela época não fazia muito sentido pra mim, porque eu estava em um pico de ansiedade na vida e tudo parecia uma corrida contra o tempo em que se eu não fizesse determinadas coisas, tudo daria errado.

Fui embora querendo ficar, mas já usando minha pulseira, desde que a coloquei, as coisas meio que pararam de dar errado para mim. Sequencias de coisas frequentemente davam errado, se quebravam aos meus pés e eu reclama de inferno astral, depois dela coisas ruins só aconteciam quando eu esquecia de usar (ela caia do meu braço sem que eu percebesse) e passava o dia sem.

Agora em Junho, um ano depois praticamente, perdi a pulseira e tive que encarar o mundo sem a proteção que acreditava que ela oferecia.  Fiquei bem agoniada e depois de uns dias percebi que tudo bem. Essas fotos foram tiradas no dia do meu aniversário, um dia que tentei não criar expectativas positivas em cima e falhei miseravelmente, conseguindo atrair inclusive muitas negativas. E pela primeira vez em muito tempo, deu tudo certo, mesmo o que deu errado, deu certo. Vai ficar tudo bem!

Mesmo sem amuletos, relíquias, santo protetor, as coisas podem dar certo, porque nós temos o poder de mudar nossos passos conforme andamos. Virar as situações a nosso favor. Se algo não deu certo dessa vez, na próxima talvez dê, todas as coisas que você está vivendo agora te levam em direção a um futuro, cada desvio é importante e embora não saibamos o que vai acontecer, seja lá o que for, a gente resolve quando chegar. Respire!

Cropped e bolsa: Lojas Renner Saia: Forever 21 Bota: Cravo e canela

Gostaria de encerrar com essa foto que foi um momento em que pausei para ter um surto de felicidade, mas a Patê capturou.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

04 de ago 2015

IMG_6862

Finalmente consegui ir ao Parque do Carmo. O festival já acabou, mas as flores ainda estão lá, mesmo na semana, ainda enche de gente, hahaha, pude fotografar as sakuras e o look do dia. Esse e o look mais contraditório da vida. Pensei seriamente em nomeado de pirigótica suave séria.

sem edição

sem edição

sem edição

IMG_6657

sem edição

Sabe aquela roupa que você compra com quase certeza de que nunca vai usar? Eu comprei essa blusa branca e falei pra minha mãe deixar no guarda roupa dela, para em um dia em que estivesse desesperada por não ter nenhuma blusa, pegá-la. E esqueci da existência.

Dai hoje, enquanto estava correndo pelo quarto, com as mãos na cabeça, sem achar nenhuma blusa (provavelmente porque estava com as mãos na cabeça e não procurando direito ‘?’), ela veio me entregar.

Como esse tempo está muito maluco pra mim, estou me vestindo como gosto, sem me importar com ele. Porque de uma forma ou de outra, vou carregar a blusa de frio e precisar dela depois, vou sentir frio e calor nas pernas e nos braços. Tanto faz.


Vesti o blazer, com o qual sai de casa, para mostrar como o look inteiro deveria ficar, mas tirei rápido porque comecei a fritar.

os pontinhos brancos no blazer são folhinhas

Essa bota eu comprei na promoção, na renner. Ela é da Via Marte e o que achei mais engraçado foi essa parte de trás mais alta dela. É bem confortável, apesar de eu ter andando até meus pés virarem batatas assadas, ela segurou muito bem a onda.

A decepção do look foi o Jetés da Dailus. Sim, aquele batom líquido que procurei loucamente. Eu passei ele duas vezes (com e sem protetor labial) para fotografar, porque a cada uma hora ele saia (e olha que nem comi) e tive que aplicar mais de uma camada e corrigir com meu lápis da QDB, para cobrir as falhas. Fiquei um pouco triste, porque foi minha primeira experiência com a marca e agora não sei se deveria tentar novamente, já que as cores são muito bonitas, mas não sei se os outros também duram pouco. </3

uma mão vai na cabeça, um mamão vai na cabeça… não pera

O shorts já apareceu em outro look, mas achei válido, pois ainda é o ano da cor marsala.

oi, amassei

Blusa: Forever 21

Blazer: Renner

Shorts: Marisa

Coturno: Via Marte

Bolsa: Renner

Batom: Jetés da Dailus

Fui com a Simone (ela que tirou todas as fotos em que apareço) e a Amanda.

beijo das miga

E a sessão de memes que minha cara proporciona, toda vez que uma câmera vira pra ela. Não faço ideia de como acontece.

 

Fastasmas brincando com meu cabelo | Não parece um macaco de desenho?

 

Wait what? | Flagrada beijando meu namorado invisível

badge_post_01

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 1 de 212
 
ir ao topo