21 de mar 2017

Iron Fist (no Brasil, Punho de Ferro), estreou na sexta-feita (dia 17) na Netflix e eu já maratonei a serie para contar pra vocês tudo que achei sobre ela. Mentira, eu sou viciada em Marvel e iria assistir de qualquer forma mesmo, só to usando isso como desculpa.

Na série vamos conhecer Daniel Rand, o herdeiro da fortuna das Indústrias Rayne, que após um acidente de avião no Himalaia, que matou seus pais, Wendell e Heather Rand, foi dado como morto por 15 anos. Mas Danny foi salvo e viveu todo esse tempo na cidade mística de K’un-Lun, uma das Sete Capitais do Céu. Lá, Danny aprendeu a canalizar o seu chi e se tornou o Punho de Ferro.  A série começa com a sua volta a Nova York para recuperar a empresa do seu pai, a dificuldade em provar quem ele realmente é, e a missão de derrotar o inimigo declarado do Punho de Ferro, o Tentáculo.

Para quem não conhece nada do universo Marvel, e eu não estou me referindo as HQs (não vou comparar série e HQ), mas sim as séries e filmes, pode perder bastante referencias, principalmente a Demolidor e Jessica Jones, e essa foi uma das coisas mais legais de Punho de Ferro, a quantidade de referencias que a série fez aos outros “heróis”, que junto com ele, formaram os Defensores, pois só me deixou ainda mais ansiosa para ver todos juntos.

collen punho de ferro

Punho de Ferro não foi a melhor série da Marvel, ela com certeza tem alguns pontos positivos, como por exemplo a personagem Colleen Wing, que com certeza foi o melhor acerto da série com relação aos personagens. É uma personagem feminina forte, uma lutadora incrível e uma personagem muito bem construída quando o assunto é rumo, proposito e carga emocional. Com relação as outras atuações considero todas bastante medianas, inclusive a do Finn Jones, que interpretou o Punho de Ferro.

Com relação ao lado mistico, principalmente os poderes, vamos ver poucas coisas, mas esse é o proposito da série, não ser uma série sobre a origem. O que vamos ver é uma rápida explicação do que é o poder do punho de ferro, algumas poucas cenas do Danny descobrindo algo novo no seu poder e alguns flashbacks (mais no final da série) que mostram K’un-Lun. No geral eu considero que isso foi um ponto positivo, pois a série já teve um pouco de dificuldade de se desenrolar, se tivesse tentando abranger, também, muitas questões de origem do personagem ou dos seus poderes, isso teria sido bem pior.

punho de ferro lutando

As cenas de lutas seguiram um pouco abaixo das outras séries da Marvel também. E quando tivemos uma boa cena, acabou sendo um pouco que “mais do mesmo” do que já vi, principalmente, em Demolidor.

Depois de tudo isso você deve estar se perguntando se vale a pena ver a série, e sim, com todos os seus defeitos com certeza vale a pena maratonar a série principalmente por duas razões: Se você planeja assistir Os Defensores e se você vem acompanhando as outras séries da Netflix em parceria com a Marvel e ficou curioso para ver um pouco mais sobre o Tentáculo nas telas. Agora se você não curtiu muito as outras que a Marvel já lançou, talvez essa também não vá te agradar, pois entre elas, essa não é a melhor.

E ai, vai assistir ou já assistiu? Me conta lá nos comentários. xoxo :*

Crédito: O site Adoro Cinema foi usado para ajudar na composição da sinopse. 

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

01 de ago 2015

stalker

Lembra quando a Beyonce lançou Crazy in love naquela versão super lenta e sensual para 50 tons de cinza? Bom, ela não foi a única. Até onde vi, criou todo um movimento. E é incrível como algumas músicas ficam até melhores que suas versões originais.
A primeira coisa que me chamou atenção na série Stalker foram os covers sensacionais. Já sai quinem doida procurando, achei uma playlist no spotify, mas todas as músicas mesmo, só encontrei no youtube.

Eu já conhecia a maioria das músicas, por elas terem sido usadas como soundtracks de filmes e séries. Tentem reconhecer. :D

Espero que gostem!
Link da playlist no spotify.

badge_post_01

O que é BEDA?
Vocês lembram do VEDA? (Vlog everyday April/August), é o mesmo conceito, só que com o blog. Então vai ter post todos os dias em Agosto – pelo menos eu espero. A iniciativa partiu do Rotaroots. <3

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

05 de maio 2014

Olá, e quem disse que os trabalhos da faculdade te deixam postar no blog? Bom, mesmo atrasando os posts, fiz uma playlist com minhas músicas favoritas de The Vampire Diaries. Descobri algumas bandas que hoje eu amo (Within Temptation, por exemplo) com a série. Vocês provavelmente já conhecem todas elas, então o objetivo aqui hoje é: Pra quem assiste, relembrar alguns momentos Dalena e pra quem não, curtir minha playlist hahaha.

Espero que gostem, beijos.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 2 de 3123
 
ir ao topo