23 de out 2017

Está chegando a data comemorativa mais legal do ano (pelo menos para mim): O HALLOWEEN, yaaaaay!

Comecei a assistir algumas séries e vocês sabem que não sei assistir um episódio por vez, se não for pra maratonar eu nem abro o Netflix, hahaha. Separei algumas série terror/suspense para vocês conhecerem, todas do Netflix para facilitar, espero que gostem e se já assistiram alguma dessas, comenta aqui no post para conversarmos a respeito.

Mind Hunter

Essa série me lembrou imediatamente Stranger Things, a caracterização de tudo para realmente parecer os anos 70 foi incrível.

A série é baseada no livro de mesmo nome, conta a história de dois agentes do FBI que entrevistaram serial killers durante o processo desenvolvido ao longo dos anos para solucionar assassinatos em série. Muitos casos que aparecem são reais, assim como os dois agentes e os assassinos em série (são interpretados por atores, porém, existiram na vida real).

Scream

Já falei de Scream aqui no blog, mas voltei porque eles lançaram um episódio especial de halloween super longo e vale a pena assistir.

Slasher

A pior série que já vi na vida, muito provavelmente (minha opinião, claro). Ela é canadense e lembra bastante Scream, porém muito mais trash, tripas e sangue jorrando, os personagens são bem burrinhos e o roteiro bem óbvio e clichê. Quem gosta desse estilo vai amar.

Assim como American Horror Stories, cada temporada tem uma história individual, muitos dos atores são os mesmos.

The mist

Baseado no conto de mesmo nome, escrito por Stephen King, a série se passa na cidade de Bridgton que é envolvida por um nevoeiro que esconde algum tipo de monstro atacando qualquer um que estiver nele. A maior parte da série mostra os conflitos dos moradores da cidade durante o certo da neblina. Seguindo um terror mais psicológico WTF que só Stephen King consegue inventar, tem quem ache a série parada, mas é questão de gosto mesmo.

Há um filme ‘O nevoeiro’, também muito bom, recomendo.

Lucifer

Lucifer, apesar de carregar o nome do demônio, não é tão pesada quanto parece. Ele, o Lucifer no caso está dando um tempo na terra porque cansou da vida de malvadão e quer aproveitar dos prazeres disponíveis entre os humanos, saber dos desejos mais profundos de nossas almas, esse tipo de coisa.

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

27 de set 2016

Sabe aquele mini ataque cardíaco que temos ao começar um filme de terror que diz ser baseado em fatos reais? E conforme o filme vai rolando você fica tentando descobrir qual parte ali foi verdade, porque se for mesmo, o monstro pode vir te pegar, hahaha. Sabendo do efeito que essa frase causa nas pessoas, cada vez mais filmes a carregam e nem sempre a história realmente aconteceu. Separei alguns filmes, os mais recentes, conhecidos e que lembrei de cabeça.

Contatos imediatos de 4º grau

Demorei para ver esse filme, justamente pelo medo que as pessoas me colocaram e talvez por ter esperado alguns anos e aprendido umas coisas sobre vídeo, não acreditei na veracidade do mesmo. Quando o filme começa, a primeira cena é, na verdade, a atriz Mila Jovovich – Sim, a atriz, que já era bem famosa na época, dizendo que aquela história era baseada em fatos reais, que haviam provas documentadas e estatísticas. Durante o decorrer do filme, muitas vezes a tela se divide para mostrar a cena do filme e a tal evidência documentada.

A cidade Nome, no Alasca, onde eles dizem ter acontecido a história e a cidade que aparece nas imagens no filme, nem é a mesma. Nome é cercada por neve (Hello, Alasca) e teve casos de desaparecimentos, geralmente de viajantes, o que fez famílias se preocuparem que houvesse um serial killer a solta. E as pessoas que aparecem da filmagem “real” no filme, que eu já tinha achado muito bem enquadradas para serem verdadeiras, são atores, depois de um tempo apareceram no imdb e tudo, ou seja, tudo falso. Mas não quer dizer que os alienígenas não existam, só acho que se eles realmente vierem pra cá, estamos perdidos de vez.

A bruxa de Blair

Acho que da Bruxa de Blair todo mundo sabe, mas já que lançou o segundo filme, vamos reforçar. A história do filme não é real, ainda que os diretores tenham criado um background histórico super convincente, sobre uma mulher acusada de tirar sangue de crianças, crianças desaparecidas e equipes de resgate mortas ao tentar encontra-las. O filme parece tão real porque foi filmado em primeira pessoa, pelos próprios atores, que praticamente improvisaram as cenas e falas. Ele foi gravado em 8 dias em um parque estadual em Maryland, os três atores realmente dormiram lá e durante a noite a produção do filme os assustava de verdade. E criaram um site, na época que a internet mal existia, que acabou divulgando.

Os estranhos

Quando perguntado a respeito o diretor do filme disse que se inspirou em casos em que pessoas tocam a campainha de casas e no caso de não haver ninguém, furtam a casa, ou seja, não existe uma história de terror ou semelhante de serial killer em que o filme tenha se baseado.

Possessão

Apesar de bem simples e assustador, a história do filme não aconteceu, a única coisa de real é que as caixas que guardam Dybbuks realmente existem, espalhadas pelo mundo.

Bom gente, é isso, se souberem de mais algum filme, me contem. :D

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

09 de jan 2016

poltergeist de enfield

Eu sou muito fã de “Invocação do mal”, realmente fico super curiosa com os casos dos Warren, já falei aqui no blog sobre as histórias em que se basearam o primeiro filme (Harrisville Haunting), “Horror em Amityville” e Anabelle (clique para ver o post). O novo filme Invocação do Mal 2 (The Conjuring 2) chega aos cinemas dia 10/06 e foi também baseado em uma história real, o Poltergeist de Enfield.

O Poltergeist de Enfield, foi o nome dado para as atividades de aconteceram entre 1977 e 1979 em uma casa na cidade de Enfield, Inglaterra.

A família que morava na casa, era formada por Peggy (mãe solteira) e seus quatro filhos Margaret, Janet, Johnny e Billy. Muitos dos acontecimentos envolviam as crianças, principalmente, Margareth e Janet de 13 e 11 anos.

Tudo começou com as crianças relatando a mãe que os móveis se moviam sozinhos e que ouviam batidas nas paredes. Depois de um tempo as manifestações se expandiram a vozes demoníacas, barulhos altos, pedras e brinquedos sendo atirados, cadeiras viradas e crianças levitando.

Há fotografias mostrando momentos em que as meninas flutuam pela casa e gravações de áudios que os investigadores fizeram na casa (que eu não tive coragem de ouvir inteiros, mas se clicar aqui pode ir até eles)

O caso foi investigado pela Society for Psychical Research e alguns dos acontecimentos foram comprovados como falsos, o que foi explicado pela família como uma forma de testar os investigadores, saber se eles sabiam ou não distinguir o que era real. Depois de adulta Janet disse ter falsificado 2% dos eventos.

Ed Warren chegou a dizer que Janet estava possuída, por flutuar durante o sono e porque as vozes demoníacas ouvidas, aparentemente, virem dela. Janet chegou a relatar que sentia uma presença atrás dela o tempo todo.

Esse vídeo conta mais sobre a atividade, com fotos, vídeos e textos, para quem souber inglês é uma boa:
 


 
Vários filmes de poltergeist se basearam de alguma forma nesse caso, incluindo “Poltergeist, o Fenômeno” de 1982, o qual a refilmagem foi lançada uma nova versão em 2015.

Aqui vai o trailer de Invocação do mal 2, boa sorte, não olhe para trás:
 


 
Fontes: 1, 2, 3 e 4

 

Acompanhe o blog também nas redes sociais:  Facebook InstagramTwitter

Página 1 de 71234567
 
ir ao topo